Flor do Alentejo Cidade de Serpa em Maio

O Rali Flor do Alentejo Cidade de Serpa (Maio), Rali Vila do Bispo (Junho), Rali Cidade de Portimão (Setembro) e Rali do Clube Automóvel do Sul (Outubro) são as provas que não chegam para encher uma mão correspondente ao Campeonato Sul de Ralis, pontuável também para o Desafio Kumho Portugal… O Sul merecia mais.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Márcio Marreiros

O Campeonato Sul de Ralis, versão 2021, está bastante amputado, apresentando somente quatro provas em agenda, uma no Alentejo e três no Algarve, pontuáveis para o Desafio Kumho Portugal. As quatro competições deixam um enorme amargo de boca, sobretudo para quem fez parte das temporadas primordiais, quer ao nível de pilotos e navegadores, passando pelos inúmeros elementos que integram as equipas e outros agentes, como, por exemplo, jornalistas e repórteres fotográficos.

Se nos dois primeiros anos a qualidade esteve um pouco aquém das expectativas, o certo é que, nos anos seguintes, o talento de pilotos e navegadores disparou de forma abrupta. A qualidade das equipas já lá estava, as máquinas começaram a ser ajustadas e a fórmula para um campeonato excepcional foi servida com esmero, com o Campeonato Sul de Rali a cotar-se o mais apetecido logo a seguir ao “Nacional” primodivisionário. Até o Campeonato Nacional de Open, quando visitava o território algarvio, não tinha “pedalada” para tornear o fantástico pelotão regional sulista.

Fernando Peres

Houve um ano, inclusive, que apenas quatro viaturas inscritas no Open apresentaram-se no Rali de Loulé, ao passo que o “Regional” do Sul, para além da qualidade de pilotos e navegadores, expunha viaturas de uma enorme performance, permitindo lutas titânicas pelos triunfos, a esmagadora maioria das vezes descodificados os vencedores nos derradeiros metros das especiais.

De facto, as provas do Campeonato Sul de Ralis eram as mais cobiçadas, com as equipas a desenvolver trabalhos notáveis apara que, nos dias de competição, a festa dos automóveis fosse a mais cintilante. Este ano, porém, o número de prova está sintetizado a quatro, pese embora a qualidade dos pilotos e navegadores continue a ser sumptuosa. Uma machadada nas pretensões das equipas que sempre lutaram por ter um conjunto de provas digno e desejado.

Desafio Kumho Portugal

Obviamente que não é esperado que haja um milagre para inverter o número de provas, mas também não deixa de ser curioso que a competição inaugural do Campeonato Sul de Ralis de um conjunto de quatro seja disputada a quatro dias do 13 de Maio.

Cabe, portanto, ao Rali Flor do Alentejo Cidade de Serpa abrir as “hostilidades”, nos dias 8 e 9 desse mês, sob os auspícios da Secção de Motorismo da Sociedade Artística Reguenguense, em parceria com a Câmara Municipal de Serpa. Já faltam menos de dois meses para a retoma dos ralis a sul. Até lá, as equipas prosseguem o trabalho minucioso para que as máquinas aguentem o calor daquele território pertencente ao distrito de Beja, situado na região do Alentejo e sub-região do Baixo Alentejo.

Carlos Martins

A prova disputa-se nas magníficas especiais de piso de terra aquele território alentejano e, à semelhança de anãos anteriores, a manhã do primeiro dia é destinado às habituais verificações administrativas e técnicas, cuja competição deverá decorrer no período da tarde de sábado e manhã de domingo.

Servido o aperitivo com o “Flor do Alentejo Cidade de Serpa”, seguir-se-á a prova desenhada pelo Clube Automóvel do Sul. Trata-se do Rali Vila do Bispo, na estrada a 5 e 6 de Junho. Posteriormente, haverá um interregno de pouco mais de três meses, com as equipas a regressar ao activo somente a 11 e 12 de Setembro, com o Rali Cidade de Portimão, levado a cabo também pelo Clube Automóvel do Sul. A quarta e derradeira prova da temporada está agendada para os dias 23 e 24 de Outubro, com o Rali do Clube Automóvel do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *