Filipe Albuquerque vence Super Seven by Toyo Tires

CLASSIFICAÇÃO 1.ª CORRIDA – SUPER SEVEN BY TOYO TIRES Piloto de Coimbra suplantou José Carlos Pires e J.J. Magalhães na última volta da primeira corrida do Estoril Racing Festival. Nélson Gomes e Luís Filipe Oliveira triunfaram nas categorias 420R Gentleman e 275R.

(auto.look2010@gmail.com) – Fotos: NUNO ORGANISTA

Foi chegar, ver e… sentir na pele as emoções do troféu monomarca. Autor da “pole position”, Filipe Albuquerque juntou o útil ao agradável e venceu, igualmente, embora com forte oposição dos seus adversários, a disputadíssima corrida que concluiu o primeiro dia de competição do Super Seven by Toyo Tires no Estoril Racing Festival.

Apesar de realizar o seu contacto inaugural com o Caterham 420R, o piloto conimbricense precisou de apenas um par de voltas para deixar em evidência todo o seu talento, adaptando-se rapidamente ao carro assistido pela CRM Motorsport. Mas não teve vida facilitada, como seria de esperar dos super pilotos que participam no Super Seven by Toyo Tires!

CORRIDA IMPRÓPRIA PARA CARDÍACOS

No arranque para a Corrida 1, Albuquerque conseguiu suster os ataques de José Carlos Pires, Lourenço Monteiro e J. J. Magalhães, que saíram das duas primeiras linhas da grelha, e assim conservar a liderança na travagem para a Curva 1. Mas a ténue vantagem durou apenas uma volta, com o actual líder da 420R Pro (José Carlos Pires) a passar para o comando na 2.ª passagem pela recta da meta.

Filipe Albuquerque acabaria ainda por cair para o 3.º posto, recuperando logo depois o lugar a Lourenço Monteiro, no mesmo instante em que a cronometragem indicava que Diogo Tavares (8.º) voava baixinho para marcar o melhor tempo no 1.º sector.

Apesar do lugar que ocupava na classificação, o piloto do carro #7 (Diogo Tavares) arrecadaria, mesmo, a volta mais rápida durante a passagem seguinte pela recta da meta, fazendo jus às corridas sem igual da competição promovida pela CRM Motorsport. Tão distintas que o feito durou pouco tempo, com J. J. Magalhães a roubar-lhe a glória no início da 3.ª volta!

Com os três primeiros separados por 5 décimos — e os 15 primeiros, por 10 segundos —, adivinha-se uma corrida imprópria para cardíacos, já sem Lourenço Monteiro, forçado a abandonar a prova. Num piscar de olhos, Filipe Albuquerque recuperou o comando, até que a entrada do safety-car em pista para remover da gravilha o Caterham #11 da zona dos “esses” voltou a reagrupar o pelotão.

No reinício da corrida, quando faltavam oito minutos para o seu desfecho, assistiu-se a uma luta diabólica entre José Carlos Pires e o piloto convidado, Filipe Albuquerque, com J. J. cada vez mais próximo e Nuno Afonso a 1 segundo destes.

Alguns minutos volvidos e Filipe Albuquerque voltava a cair para segundo, aparentando ter de se contentar com essa posição dado o andamento de José Carlos Pires. Mas no último sector da derradeira volta, o piloto do Caterham #10 suplantou o adversário na zona da “orelha”, conservando o comando até à bandeirada de xadrez.

Um final épico, em que os quatro primeiros classificados terminaram separados por 6 décimos de segundo, e com muitos momentos para recordar: da grande batalha entre António Nunes de Almeida e Gonçalo Lobo do Vale à enorme recuperação de Diogo Tavares (largou de 16.º). Mas também as estreias muito positivas de Mariano Pires e Miguel Matos, a bonita disputa entre Ricardo Pedrosa e José Kol Almeida na categoria Gentleman e a batalha espectacular entre Luís Filipe Oliveira e Paulo Santos.

ESTREIAS POSITIVAS

Recuperando a classificação final, atrás dos quatro primeiros da categoria 420R Pro concluíram a corrida António Nunes Almeida, Gonçalo Lobo do Vale, Diogo Tavares, Bernardo Bello e Mariano Pires. Luís Calheiros Ferreira terminou no top 10, após um delicioso confronto com André Correia, Paulo Macedo e Duarte Lisboa. Miguel Matos encerrou a categoria, mas guarda para si o facto de, na estreia, ter assegurado a volta mais rápida entre os pilotos que marcaram tempos no segundo “53”.

Na Gentleman, Nélson Gomes voltou a demonstrar o motivo para ser o líder do campeonato. Cada vez mais rápido com o Caterham, deu novo triunfo à Speedy Motorsport, na frente de Ricardo Pedrosa e José Kol Almeida. André Matos, Fernando Costa e o rookie Mário Melo concluíram a classificação.

Por fim, destaque para a 275R, cujo pódio foi arrematado por Luís Filipe Oliveira, Paulo Santos e Frederico Brion Sanches. Com apenas duas participações (as corridas extracampeonato no Algarve Classic e Caterham Racing Festival), Gonçalo Nobre da Veiga classificou-se num excelente 4.º lugar, dando provas de uma evolução e entrosamento notáveis com o carro.

Seguiu-se Miguel Ferreira, a participar a solo no Estoril Racing Festival e que demonstra encontrar-se no mesmo caminho do antigo colega de equipa, o rookie Kevin Embourg, que deixou óptimas indicações na sua estreia com o carro, e ainda o trio composto por Luís Seguro, Paulo Duarte e Ivo Prada — pilotos que não se largaram durante toda a corrida.

Para este domingo têm lugar as restantes corridas do fim-de-semana, cujos resultados podem ser seguidos nas redes sociais do Super Seven by Toyo Tires (@supersevenbytoyotires) e em https://www.crm-motorsport.com/estorilracing-festival.

PROGRAMA SUPER SEVEN BY TOYO TIRES, ESTORIL RACING FESTIVAL

DOMINGO (12 DE DEZEMBRO DE 2021)

11h25-11h45 – Corrida 2

14h00-14h20 – Corrida 3

16h30-16h50 – Corrida 4

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *