Figueirense Daniel Jordão vence TT do Pinhal nas motos

A Baja TT do Pinhal entrou para a história do Nacional de Todo-o-Terreno com a vitória de Daniel Jordão. Esta foi a primeira vez que o piloto da Figueira da Foz venceu a classificação absoluta da prova maior da modalidade. Roberto Borrego e Pedro Santinho Mendes venceram igualmente nas suas classes.

(auto.look2010@gmail.com)

Daniel Jordão

Nas motos, Daniel Jordão (Yamaha WR450F) estreou-se a vencer uma prova à geral (venceu também a classe TT2), com o tempo total de 6h13m41,9s, deixando Bernardo Megre (Husqvarna FE), vencedor da classe TT1, a 2m41,8s. Salvador Vargas (KTM EXC) foi o terceiro, ganhando entre as TT3, a 6m37,9s do vencedor.

Apesar da vitória, o piloto da Figueira da Foz não evitou um susto no último sector selectivo, ao sofrer uma violenta queda: «O dia estava a correr muito bem, apesar do piso estar bastante deteriorado. Tinha muita pedra solta devido à passagem dos carros. O percurso era muito técnico. Parecia mais enduro do que um raide. Sensivelmente ao quilómetro 100, numa subida, bati em alguma coisa, penso que numa pedra. Sofri uma queda forte, dobrei o guiador e fiz algumas escoriações no braço. Mas consegui voltar à moto e terminar, embora com muitas dores», explicou Daniel Jordão.

O pelotão das motos, contudo, estava desfalcado do campeão António Maio, do ex-campeão Mário Patrão e de David Megre, todos a recuperar de lesões sofridas no rali Dakar.

Roberto Borrego

ROBERTO BORREGO VIRTUOSO NOS QUADS

Nos quads, Roberto Borrego (Yamaha AJ42) voltou a mostrar porque é que um dos principais nomes da competição da especialidade no TT em Portugal. O piloto de Ponte de Sor voltou à competição a fazer o que tão bem sabe… ganhar.

Começou por ser o mais rápido no prólogo, voltou a ficar no topo da tabela no primeiro sector selectivo com uma vantagem superior a dois minutos e meio sobre o campeão em título, Arnaldo Martins. Com a desistência do seu principal adversário, Roberto Borrego viu a sua vida mais facilitada. Em SS2 limitou-se a gerir, embora tenha gasto mais tempo porque andou «quatro ou cinco quilómetros perdido» explicou.

Luís Engeitado

Luís Engeitado foi o mais rápido. Ganhou 37 segundos mas, mesmo assim, ficou a quase cinco minutos de distância de Roberto Borrego.

«A seguir à primeira ZA vi os meus adversários mais perto e procurei atacar mais. Depois, o resto da prova foi a atacar e a gerir ao mesmo tempo», contou Roberto Borrego depois de terminar o sector e ter garantido mais um triunfo na sua carreira.

Na terceira posição ficou um piloto proveniente da Europa Central que está a correr na Taça FIM de Bajas. Juraj Varga chegou depois de Roberto Borrego e Luís Engeitado e beneficiou dos problemas que afectaram pilotos como Arnaldo Martins e Filipe Martins para segurar o derradeiro lugar do pódio.

 

Pedro Santinho Mendes

SANTINHO MENDES O MAIS FORTE NOS SSV

O piloto Pedro Santinho Mendes (Cam-Am), neto do antigo campeão nacional de TT, Santinho Mendes, está a seguir as pisadas da família. Não só compete no desporto automóvel, como vence. Foi o que aconteceu na Baja TT do Pinhal. O jovem piloto foi o mais forte nos SSV e conquistou a vitória com uma vantagem de 3m59,8s sobre Aristides Júnior, que ficou em segundo. Vítor Santos foi terceiro, a quase cinco minutos do vencedor.

Pedro Carvalho começou na frente, ao ser o mais rápido no prólogo. Aí, aquele que viria a ganhar a prova, não foi além do quinto tempo.

André Vilas Boas

No segundo dia de competição, Vítor Santos entrou com o pé direito e tornou-se no segundo líder da categoria na Baja TT do Pinhal. Mas no final da jornada, era já Pedro Santinho Mendes que brilhava no lugar mais alto do pódio. Com mais de 170 quilómetros pela frente, o jovem piloto da zona de Abrantes não deu qualquer margem à concorrência e triunfou.

«Precisávamos desta vitória para a equipa. É importante para nos começarmos a posicionar no campeonato. Os pisos estavam um bocado duros e perdemo-nos. Mas não foi por isso que deixámos de ganhar a corrida. Ainda tivemos um furo, mas não perdemos muito tempo», sublinhou o vencedor.

Nesta categoria, referência para André Villas-Boas (Bombardier Can-Am), antigo treinador da Académica, FC Porto e Chelsea, foi 16.º, a 32m17,9s do vencedor. Esta ronda, que foi a segunda do campeonato nacional e, também, da Taça do Mundo de Bajas, ficou marcada pela exigência dos troços sinuosos desenhados pela Escuderia Castelo Branco na região do Pinhal Interior. Entre a Sertã, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão, os concorrentes tiveram de percorrer pistas muito técnicas, como comprovam as médias de velocidade de 60,09 quilómetros por hora nas motos, 61,75 km/h nos moto4 e 60,68 km/h nos SSV.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação