Ferrari quer vitória no 90.º aniversário

Uma semana após a marca de Maranello ter registado a primeira vitória do ano, em em Spa-Francorchamps, segue-se este fim-de-semana o mítico traçado de Monza com esperanças redobradas que conta com a paixão dos “tiffosi”.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

A vitória do monegasco Charles Leclerc (Ferrari) em Spa-Francorchamps foi a melhor coisa que podia ter acontecido aos responsáveis do Gran Prix Heineken d’Italia que tem lugar, este fim-de-semana no mítico traçado de Monza, uma semana depois da marca de Maranello ter alcançado a primeira vitória do ano.

Se é certo que a paixão dos “tiffosi” pela Ferrari é enorme, a frustração vivida ao longo da temporada, depois das promessas deixadas nos testes de Barcelona, podia levar a que muitos deles não comparecessem em Monza, mas o triunfo de Charles Leclerc vai levar milhares de italianos ao circuito, situado nos arredores de Milão, onde a Ferrari “não pode perder”.

Sabia-se que o traçado de Spa-Francorchamps era favorável à Ferrari, mas faltava saber se os seus pilotos e a equipa não cometiam erros, que levaram a derrotas que pareciam improváveis, para assegurarem um triunfo anunciado desde a primeira sessão de treinos livres.

Monza é um circuito que permite médias mais elevadas que a pista belga e por isso a Ferrari parte como favorita, contando para isso com um novo motor, para festejar da melhor maneira o 90.º aniversário da Scuderia Ferrari, criada por Enzo Ferrari, que é um símbolo no desporto automóvel mundial.

Perante esta vontade, claramente assumida, resta à Mercedes encontrar uma forma de neutralizar a superioridade, teórica, da Ferrari, o que teve perto de suceder em Spa, em mais uma manifestação da maior eficácia dos estrategas da Mercedes.

Do lado da marca alemã, o objectivo vai ser diminuir “os estragos” e alcançar o melhor resultado possível, com o pódio a ser o objectivo, para o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) e o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes).

Resta saber aquilo que o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) será capaz de fazer, por também ele dispor de um carro rápido, e se o tailandês Alexander Albon (Red Bull/Honda), que fez a estreia na equipa, em Spa-Francorchamps, repete o bom resultado, não tendo de partir do fundo da grelha.

A McLaren vai tentar continuar a ser “a melhor das outras”, mas Renault e Toro Rosso, pelo que mostraram no circuito belga, podem colocar em causa esse desejo, o que deixa antever numa luta intensa no segundo pelotão, eventualmente, decidida nos últimos momentos.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 268 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 203; 3.º, Max Verstappen, 181; 4.º, Sebastian Vettel, 169; 5.º, Charles Leclerc, 157; 6.º, Pierre Gasly, 65; 7.º, Carlos Sainz, 58; 8.º, Daniil Kvyat, 33; 9.º, Kimi Raikkonen, 31; 10.º, Alexander Albon, 26; 11.º, Lando Norris, 24; 12.º, Daniel Ricciardo, 22; 13.º, Sergio Perez, 21; 14.º, Nico Hulkenberg, 21; 15.º, Lance Stroll, 19; 16.º, Kevin Magnussen, 18; 17.º, Romain Grosjean, 8; 18.º, Antonio Giovinazzi, 1; 19.º, Robert Kubica, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas Motorsport, 471 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 326; 3.º, Aston Martin Red Bull Racing, 254; 4.º, McLaren F1 Team, 82; 5.º, Red Bull Toro Rosso Honda, 51; 6.º, Renault F1 Team, 43; 7.º, SportPesa Racing Point F1 Team, 40; 8.º, Alfa Romeo Racing, 32; 9.º, Rich Energy Haas F1 Team, 26; 10.º, ROKiT Williams Racing, 1.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação