Ferrari procura quarta vitória consecutiva

Embalada pelas três vitórias consecutivas (Spa-Francorchamps, Monza e Singapura), a Ferrari chega a Sochi com a moral em alta e disposta a somar quarto triunfo de enfiada, numa altura em que reencontrou a eficácia vista nos testes de Inverno e que esteve desaparecida ao longo de grande parte da temporada.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

E se em Spa e Monza era previsível o domínio da marca italiana, por serem traçados onde a velocidade de ponta é importante, já o mesmo não sucedia no traçado citadino da cidade-estado, onde era esperado um domínio da Mercedes, mas a Ferrari conseguiu não só a assegurar a “pole position”, pelo monegasco Charles Leclerc, importante para a obtenção da vitória, como o demonstra o facto de por oito vezes, em 12, quem partiu dessa posição venceu, e a vitória, pelo alemão Sebastian Vettel, que pôs fim a jejum que durava há mais de um ano, graças a uma melhor estratégia de corrida, sector onde os homens da Mercedes costumam dar cartas, mas em que, desta vez, foram surpreendidos.

Uma vitória, diga-se, mal “digerida” por Charles Leclerc que parecia ter todas as condições para averbar o terceiro triunfo consecutivo, pela maneira como controlou os ataques do inglês Lewis Hamilton (Mercedes) na primeira parte da corrida, mas que foi surpreendido pelas opções tomadas no muro das “boxes” que acabaram por beneficar Sebastian Vettel, talvez, por os responsáveis de Maranello quererem insuflar uma dose de confiança no alemão, que teve, até agora, uma presença discreta e que foi, na maior parte das veze dominado pelo seu colega de equipa.

A reunião no final da corrida, na Ferrari, não deve ter sido fácil e embora Chalres Leclerc tenha sublinhado que o importante era o resultado da equipa era patente que o monegasco tinha clara dificuldade em aceitar a derrota.

Uma vez mais iremos ter um duelo entre Mercedes e Ferrari, com a Red Bull a tentar aproveitar os erros estratégicos dos favoritos para surpreender, com o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), o único que conseguiu intrometer-se no duelo ítalo-germânico, à procura do terceiro triunfo da temporada, depois de ter vencido na Áustria e na Alemanha.

No segundo pelotão, a menos que algo de surpreendente aconteça, a luta será travada entre a McLaren/Renault, cliente da marca francesa, e a Renault, equipa oficial, que raramente tem superada a equipa criada pelo neo-zelandês Bruce McLaren, detentora de vários títulos.

O espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault) tem sido o “ponta-de-lança” da equipa, impondo-se de forma clara ao australiano Daniel Ricciardo e ao alemão Nico Hulkenberg, pilotos da equipa oficial, e o mesmo deverá suceder em Sochi.

Entretanto, a FIA decidiu manter a penalização, de 30”, sofrida pelos Alfa Romeo, do finlandês Kimi Raikkonen e do italiano Antonio Giovinazzi, na Alemanha, por os comissários técnicos terem detectado uma afinação da embraiagem que permitia replicar o efeito do controlo de tracção.

A marca de Arese tinha apelado, mas a decisão manteve a penalização, com os resultados a serem homologados e o polaco Robert Kubica (Williams/Mercedes) a manter o ponto, o único da equipa criada por Frank Williams, graças ao 10.º lugar a que tinha sido promovido pela desclassificação dos carros italianos.

Entretanto Robert Kubica anunciou que está de saída da equipa, no final da temporada, parecendo Nicolas Latiffi, que tem sido terceiro piloto da equipa, e Sérgio Sette Câmara os mais prováveis sucessores, não sendo de descartar a possibilidade de Nico Hulkenberg, de saída da Renault, onde será substituído pelo francês Esteban Ocon, protegido da Merdedes, a ser uma hipótese.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 296 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 231; 3.º, Charles Leclerc, 200; 4.º, Max Verstappen, 200; 5.º, Sebastian Vettel, 194; 6.º, Pierre Gasly, 69; 7.º, Carlos Sainz, 58; 8.º, Alexander Albon, 42; 9.º, Daniel Ricciardo, 34; 10.º, Daniil Kvyat, 33; 11.º, Nico Hulkenberg, 33; 12.º, Lando Norris, 31; 13.º, Kimi Raikkonen, 31; 14.º, Sergio Perez, 27; 15.º, Lance Stroll, 19; 16.º, Kevin Magnussen, 18; 17.º, Romain Grosjean, 8; 18.º, Antonio Giovinazzi, 4; 19.º, Robert Kubica, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas Motorsport, 527 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 394; 3.º, Aston Martin Red Bull Racing, 289; 4.º, McLaren F1 Team, 89; 5.º, Renault F1 Team, 67; 6.º, Red Bull Toro Rosso Honda, 55; 7.º, SportPesa Racing Point F1 Team, 46; 8.º, Alfa Romeo Racing, 35; 9.º, Rich Energy Haas F1 Team, 26; 10.º, ROKiT Williams Racing, 1

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação