Ferrari “joga em casa” todo o prestígio

Nenhum dos pilotos da Ferrari viu a bandeira axadrezada no final da corrida em Monza: Vettel abandonou com problemas de travões e Leclerc teve um acidente. Agora segue-se o traçado de Mugello…

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

As circunstâncias fazem com que 1000.ª participação da Ferrari, como equipa, no “Mundial” de F1, decorra no traçado de Mugello, a pista de testes da marca italiana, pela primeira vez integrada no calendário, como consequência da Liberty precisar de encontrara traçados que lhe permitissem concretizar esta temporada, que viu muitas das corridas canceladas, em consequência do Covid-19.

O anúncio da estreia do traçado italiano começou por levantar alguma contestação por parte das restantes equipas que consideravam que a Ferrari ia beneficiar do profundo conhecimento que tem do traçado, em consequência de ser ali que desenvolve os seus carros.

Contudo, o descalabro que a marca italiana vive este ano, fez com que a contestação tivesse desaparecido e ninguém, por aquilo que se tem visto, acredita que a Ferrari possa causar uma surpresa, para desespero de algumas centenas de “tiffosi” que irão estar presentes.

Os maus resultados do ano, com destaque para o alcançado, no passado fim-de-semana, em Monza, que foi o pior da temporada, retiram a equipa de Maranello do lote de potenciais candidatos à vitória, algo que ninguém na equipa esperava que sucedesse quando a corrida foi anunciada.

Para desespero dos “tiffosi”, a Mercedes deverá continua a dominar, com Red Bull/Honda, McLaren/Renault, Renault e Racing Point/Mercedes a lutarem pelo derradeiro lugar do pódio, pois a surpresa verificada em Monza, onde a Mercedes cometeu um erro inesperado e “ofereceu” a vitória ao francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda), não é crível que se repita.

Por isso, os “Mercedes boys”, o inglês Lewis Hamilton e o finlandês Valtteri Bottas, deverão voltar a monopolizar a primeira linha da grelha, com o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), por norma terceiro na qualificação e único que, até ao passado domingo, tinha quebrado o domínio da Mercedes, ao triunfar na segunda corrida em Silverstone, a ver a sua posição ameaçada, por uma concorrência de que a Ferrari não faz parte.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 164 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 117; 3.º, Max Verstappen, 110; 4.º, Lance Stroll, 57; 5.º, Lando Norris, 57; 6.º, Alexander Albon, 48; 7.º, Charles Leclerc, 45; 8.º, Pierre Gasly, 43; 9.º, Carlos Sainz, 41; 10.º, Daniel Ricciardo, 41; 11.º Sérgio Perez, 34; 12.º, Esteban Ocon, 30; 13.º, Sebastian Vettel, 16; 14.º, Nico Hulkenberg, 6; 15.º, Daniil Kvyat, 4; 16.º, Antonio Giovinazzi, 2; 17.º, Kevin Magnussen, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 281 pontos; 2.º, Aston Martin Red Bull Racing, 158; 3.º, McLaren F1 Team, 96; 4.º, BWT Racing Point F1 Team, 82; 5.º, Renault DP World F1 Team, 71; 6.º, Scuderia Ferrari, 61; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 47; 8.º, Alfa Romeo Racing ORLEN, 2; 9.º, Haas F1 Team, 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: