Ferrari “ajuda” Mercedes na Rússia

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) venceu hoje o Grande Prémio da Rússia, 16.ª prova do Mundial de Fórmula 1, ampliando a sua vantagem na liderança e interrompendo uma série de três vitórias da Ferrari.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

A paragem do alemão Sebastian Vettel (Ferrari), na 27.ª volta, que levou à entrada em pista do “Safety Car”, inverteu a situação da corrida, que parecia destinada a um dos pilotos da marca italiana, mas a Mercedes tirou partido da situação e permitiu ao inglês Lewis Hamilton (Mercedes) alcançar a oitava vitória do ano, em 16 corridas, e à marca alemã manter a invencibilidade no traçado de Sochi.

A corrida começou da melhor maneira para a Ferrari, que viu Sebastian Vettel fazer um fantástico arranque e “saltar” de terceiro para primeiro, depois de ultrapassar Lewis Hamilton e o monegasco Charles Leclerc (Ferrari), que largou da “pole”.

O objectivo dos carros vermelhos foi “fugir” do inglês, com a equipa, desde cedo, a impor a inversão das posições dos pilotos, com o alemão a querer adiar essa operação para uma altura em que a vantagem sobre Lewies Hamilton fosse mais confortável.

Tal como tinha sucedido em Singapura, a Ferrari fez entrar quem estava na frente, na circunstância Sebastian Vettel, para permitir a troca de posições dos seus pilotos, desta vez, em favor de Charles Leclerc, que ficava em posição de aproveitar a paragem de Lewis Hamilton para ascender ao comando.

Só que a paragem do alemão levou a que fosse accionado o “Safety Car” virtual, e a Mercedes fez entrar os seus dois pilotos, na mesma volta, dada a diferença de tempo que os separava, para trocar os pneus e aos fazer regressar à pista à frente de Charles Leclerc.

Entretanto, o “Safety Car” passava de virtual a real, em consequência do despiste do inglês George Russell, e a partir do momento em que ele saiu da pista, as tentativas de Chalres Leclerc para passar o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) e ir em busca do inglês foram infrutíferas, com Lewis Hamilton a conquistar a 82.ª vitória da carreira, o que coloca a nove triunfos do “record” de Michael Schumacher (91), oitava da temporada, em 16 corridas, e a ficar mais perto da revalidação do título.

Obrigado a largar da nona posição, em consequência de uma penalização, o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) recuperou até ao quarto lugar, à frente do tailandês Alexander Albon (Red Bull/Honda), autor de uma corrida notável, que o levou da via das “boxes” até ao quinto lugar final.

O espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault), em sexto, voltou a ser o “melhor dos outros” e cimentou a posição no campeonato, estando a três pontos do sexto lugar que é ocupado pelo francês Pierre Gasly (Toro Rosso/Honda), que beneficia do facto de ter feito a primeira parte da temporada ao volante de um Rede Bull.

O mexicano Sergio Perez (Racing Point/Mercedes), o inglês Lando Norris (McLaren/Renault), o dinamarquês Kevin Magnussen (Haas/Ferrari) e o alemão Nico Hulkenberg (Renault) terminaram nos restantes lugares pontuáveis, numa corrida que começou com o “Safety Car”, logo na volta de abertura, devido ao “encontro de terceiro grau”, entre o italiano Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari), o australiano Daniele Ricciardo (Renault), que ficou o pneu traseiro esquerdo furado, e o francês Romain Grosjean (Haas/Ferrari), que foi projectado para o muro de protecção, o que levou à neutralização da corrida, para o carro ser retirado, e que viu pela primeira vez nenhum dos Williams/Mercedes chegar ao fim.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – Russia

Circuito – Sochi Autodrom

Extensão – 309,745 km = 53 x 5,848 km

“Pole position” – Charles Leclerc (Ferrari), 1 volta (5,848 km), em 1’31,628” (229,763 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Charles Leclerc (Ferrari SF90/Ferrari), 1’31,628”; Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’32,030”; 2.ª linha: Sebastian Vettel (Ferrari SF90/Ferrari), 1’32,053”; Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’32,632”; 3.ª linha: Carlos Sainz (McLaren MCL34/Renault), 1’33,222”; Nico Hulkenberg (Renault RS19/Renault), 1’33,289”; 4.ª linha: Lando Norris (McLaren MCL34/Renault), 1’33,331”; Romain Grosjean (Haas VF-19/Ferrari), 1’33,517”; 5.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB15/Honda), 1’32,310”; Daniel Riccardo (Renault RS19/Renault), 1’33,661”; 6.ª linha: Sergio Perez (Racing Point RP19/Mercedes), 1’33,958”; Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C38/Ferrari), 1’34,037”; 7.ª linha: Kevin Magnussen (Haas VF-19/Ferrari), 1’34,082”; Lance Stroll (Racing Point PR19/Mercedes), 1’34,233”; 8.ª linha: Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C38/Ferrari), 1’34,840”; Pierre Gasly (Toro Rosso STR14/Honda), 1’33,950”; 9.ª linha: George Russell (Williams FW42/Mercedes), 1’35,356”; Robert Kubica (Williams FW42/Mercedes), 1’36,474; 10.ª linha: Daniil Kvyat (Toro Rosso STR14/Honda), sem tempo

Nota – Max Verstappen, Pierre Gasly e Alexander Albon penalizados em cinco lugares, por terem trocado a unidade motriz, com o Alexander Albon (Red Bull RB15/Honda), 1’39,197” a largar da via das “boxes”; Robert Kubica e Daniil Kvyat pediram para partir do final da grelha.

Comandantes sucessivos – Sebastian Vettel, da 1.ª à 26.ª volta; Lewis Hamilton, da 27.ª à 53.ª volta

Volta mais rápida – Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1 volta (5,848 km), em 1’35,761” (219,847 km/h)

Vencedor – Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 53 voltas (309,745 km), em 1.33’38,992” (198,448 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS.PILOTOCARROTEMPO
1.ºLewis HamiltonMercedes W10/Mercedes1.33’38,992″
2.ºValtteri BottasMercedes W10/Mercedesa 3,829″
3.ºCharles LeclercFerrari SF90/Ferraria 5,212″
4.ºMax VerstappenRed Bull RB15/Hondaa 14,210″
5.ºAlexander AlbonRed Bull RB15/Hondaa 38,348″
6.ºCarlos SainzMcLaren MCL34/Renaulta 45,889″
7.ºSergio PerezRacing Point RP19/Mercedesa 48,728″
8.ºLando NorrisMcLaren MCL34/Renaulta 57,749″
9.ºKevin MagnussenHaas VF-19/Ferraria 58,779″
10.ºNico HulkenbergRenault RS19/Renaulta 59,841″
11.ºLance StrollRacing Point RP19/Mercedesa 1’00,821″
12.ºDaniil KvyatToro Rosso STR14/Hondaa 1’02,496″
13.ºKimi RaikkonenAlfa Romeo C38/Ferraria 1’08,910″
14.ºPierre GaslyToro Rosso STR14/Hondaa 1’10,076″
15.ºAntonio GiovanniAlfa Romeo C38/Ferraria 1’13,346″

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 322 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 249; 3.º, Charles Leclerc, 215; 4.º, Max Verstappen, 212; 5.º, Sebastian Vettel, 194; 6.º, Pierre Gasly, 69; 7.º, Carlos Sainz, 66; 8.º, Alexander Albon, 52; 9.º, Lando Norris, 35; 10.º, Daniel Ricciardo, 34; 11.º, Nico Hulkenberg, 34; 12.º, Daniil Kvyat, 33; 13.º, Sergio Perez, 33; 14.º, Kimi Raikkonen, 31; 15.º, Kevin Magnussen, 20; 16.º, Lance Stroll, 19; 17.º, Romain Grosjean, 8; 18.º, Antonio Giovinazzi, 4; 19.º, Robert Kubica, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas Motorsport, 571 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 409; 3.º, Aston Martin Red Bull Racing, 311; 4.º, McLaren F1 Team, 101; 5.º, Renault F1 Team, 68; 6.º, Red Bull Toro Rosso Honda, 55; 7.º, SportPesa Racing Point F1 Team, 52; 8.º, Alfa Romeo Racing, 35; 9.º, Rich Energy Haas F1 Team, 28; 10.º, ROKiT Williams Racing, 1

PRÓXIMA PROVA – Japanese Grand Prix, no Suzuka International Racing Course, dia 13 de Outubro.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação