Félix da Costa em 2.º e Chaves sofre acidente

O piloto português, que faz equipa com o mexicano Roberto González e com o britânico Will Stevens, terminou a menos de 12 segundos do vencedor, o Real Team do angolano Rui Andrade. Henrique Chaves (Aston Martin), quando liderava entre os GTE AM, sofreu um acidente aparatoso.

(auto.look2010@gmail.com)

António Félix da Costa

António Félix da Costa (Jota) foi este domingo o segundo classificado da categoria LMP2 nas 6 Horas de Monza, quarta prova do Mundial de Resistência, e reforçou a liderança do campeonato. A prova ficou marcada pelo acidente do português Henrique Chaves (Aston Martin), quando liderava entre os GTE AM, que, apesar do aparato, não provocou problemas físicos ao piloto de Torres Vedras. Henrique Chaves ficou sem travões quando rodava a 250 km/h na 74.ª volta, o carro entrou em despiste e voou pela pista, dando uma cambalhota antes de se imobilizar.

«Foi um impacto muito forte, mas estou bem. A célula de sobrevivência do carro protegeu-me e consegui sair pelo meu próprio pé sem qualquer problema. Não tenho qualquer questão física, para além de umas nódoas negras», contou o piloto de Torres Vedras.

Henrique Chaves

Mas, o principal destaque foi para o segundo lugar de António Félix da Costa nos LMP2, a segunda categoria mais importante do campeonato, quinto da geral. O piloto de Cascais, que faz equipa com o mexicano Roberto González e com o britânico Will Stevens, terminou a menos de 12 segundos do vencedor, o Real Team do angolano Rui Andrade.

Já Filipe Albuquerque (Oreca), que largou da “pole position” entre os LMP2, teve um problema no sensor do acelerador, que atirou a equipa para último. O piloto de Coimbra, que fez equipa com o britânico Phil Hanson e com o norte-americano William Owen, ainda recuperou até à 13.ª posição da categoria, 23.º da geral.

Filipe Albuquerque

«Nem sei o que dizer. Começamos sempre bem, da linha da frente, mas há sempre alguma coisa a acontecer para nos impedir de conseguir traduzir o nosso andamento em resultados efetivos. Desta vez foram problemas no acelerador, logo após a uma situação de “safety-car”. Estávamos todos muito juntos e fomos para último. Quando a sorte não nos acompanha, não há nada a fazer», explicou o piloto de Coimbra.

A Alpine, com o brasileiro André Negrão e os franceses Nicolas Lapierre e Mathieu Vaxiviere, bateu os dois Toyota híbridos e está no comando do campeonato, com 106 pontos. Já na classe LMP2, é António Félix da Costa quem lidera, com 95 pontos, enquanto a Algarve Pró Racing lidera entre as equipas desta categoria.

As 8 Horas de Fuji, no Japão, são a próxima ronda do campeonato, em 11 de setembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.