Fábricas Dura Automotive entram em “lay-off”

As duas fábricas da Dura Automotive, no Carregado (Lisboa) e na Guarda, entraram em “lay off”, com a suspensão da laboração durante o mês de Abril, devido à pandemia, disse a directora dos recursos humanos.

(auto.look2010@gmail.com)

Elisabete Cruz

Elisabete Cruz disse que a fábrica do Carregado, no concelho de Alenquer, com 200 trabalhadores, entrou em “lay off” na segunda-feira e hoje foi a da Guarda, com 155 operários. Tendo em conta a pandemia, «os nossos clientes cancelaram as encomendas, não tínhamos trabalho para os nossos trabalhadores e parámos a laboração», justificou a responsável.

O “lay off” na fábrica do Carregado prolonga-se até 17 de Abril, enquanto na Guarda vai até 24 de Abril. Contudo, «a expectativa da empresa é começar a pôr as fábricas a trabalhar e suspender o “lay off” se surgirem encomendas», adiantou Elisabete Cruz, esclarecendo que, nos dois casos, «não há suspensão do contrato de trabalho».

 

A empresa candidatou-se aos apoios do Estado previstos para casos de “lay off” causados pelos efeitos da pandemia. Nos dois casos, os salários de Março «vão ser pagos até ao dia em que houve trabalho», enquanto os restantes dias de Março, no caso do Carregado, e o salário de Abril são pagos no âmbito da legislação publicada para o efeito e são repartidos entre a empresa e o Estado. As duas fábricas da Dura Automotive produzem componentes para o sector automóvel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: