Fabio Quartararo vai de férias no comando

O piloto francês da Yamaha, que surge em Assen com um triunfo conquistado na Alemanha, está confiante para a prova deste fim de semana. Já o português Miguel Oliveira terá já assinado pela equipa-satélite de Razlan Razali, a RNF, para os próximos dois anos.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Fabio Quartararo (Yamaha)

A corrida deste domingo, no traçado neerlandês de Assen, marca o início da segunda metade da temporada de MotoGP e das férias, já que como consequência da anulação da prova finlandesa, que devia fazer a estreia no calendário, o “Mundial” só regressa a 7 de Agosto, no circuito inglês de Silverstone.

Dos comandantes dos três campeonatos, só o francês Fabio Quartararo (Yamaha) sabe que ficar em branco nos Países Baixos não afecta o seu primeiro lugar em MotoGP, enquanto o italiano Celestino Vietti (Kalex), Moto2, e o espanhol Sergio Garcia (GasGas), Moto3, correm o risco de ir de férias sem ser no lugar que ocupam no arranque da prova.

Em MotoGP, Fabio Quartararo, vencedor das duas últimas corridas (Catalunha e Alemanha), além de ter ganho em Portugal, tem sido aquele que melhor tem contestado a superioridade exibida pela Ducati nos treinos e nas corridas, mas sem que um dos seus pilotos se imponha, ao contrário do que sucede na marca dos três diapasões, onde o campeão do mundo, tem sido mais eficaz do que aqueles que dispõem de material igual.

Aleix Espargaro (Aprilia)

A regularidade que faz com que o espanhol Aleix Espargaro (Aprilia) ocupe o segundo lugar do campeonato a 34 pontos do francês, com os dois e o italiano Luca Marini (Ducati) a serem os únicos que pontuaram em todas as provas, com o espanhol a contabilizar um triunfo (Argentina).

É que se na Yamaha e na Aprilia há um piloto que tem dominado a concorrência que tem motos iguais, na Ducati tem havido equilíbrio, sem que nenhum dos seus pilotos consiga destacar-se, o que compromete as aspirações ao título.

Do lote dos vencedores do ano (Indonésia) faz parte Miguel Oliveira (KTM), nono nas últimas três corridas, que não tem tido ao seu dispor moto que lhe permitam discutir as primeiras posições, excepto quando o asfalto está molhado.

Miguel Oliveira (KTM)

MIGUEL OLIVEIRA NA APRILIA

NOS PRÓXIMOS DOIS ANOS

O piloto português está de saída da KTM no final da temporada e, segundo a Sky Italia, Miguel Oliveira vai juntar-se à RNF e representar a Aprilia, num acordo de dois anos: «Miguel Oliveira já assinou um contrato de dois anos com o construtor de Noale para alinhar na equipa-satélite de Razlan Razali, a RNF. Em semanas recentes, o piloto português tinha estado perto de um acordo com a Gresini, contudo, nunca foi formalizada uma proposta financeira. Para além do interesse da Gresini, a KTM tinha voltado a mostrar interesse em Miguel Oliveira, que escolheu o projeto da Aprilia», pode ler-se.

A mesma fonte informa que Álex Rins, que também tinha sido apontado à RNF, irá agora continuar com Joan Mir na Honda, se bem que Rins irá para a LCR, equipa-satélite.

Emotivo está o campeonato de Moto2, com os quatro primeiros separados por menos de uma vitória (25 pontos), com o italiano Celestino Vietti (Kalex), que se fala poderá estar, para o ano, na Aprilia, como companheiro de equipa de Miguel Oliveira, o japonês Ai Ogura (Kalex) e os espanhóis Augusto Fernandez (Kalex) e Aron Canet (Kalex) separados por 17 pontos, pelo que vai ser o traçado neerlandês a decidir quem vai de férias na frente.

Em Moto3, a primeira parte da temporada colocou os dois pilotos da GasGas, os espanhóis Sergio Garcia (GasGas) e Izan Guevara (GasGas) destacados no comando do campeonato, com sete pontos a separá-los e com o terceiro, o italiano Dennis Foggia (Honda) a estar, já, a 51 pontos do primeiro espanhol, diferença que será difícil anular.

Tudo aponta para que o título vá para um dos pilotos espanhóis e os responsáveis da equipa vão ter de ter cuidado na gestão das ambições dos seus pilotos, que podem entrar num duelo particular, que poderá ter consequências para a equipa.

CLASSIFICAÇÕES DOS CAMPEONATOS

PILOTOS

MOTOGP – 1.º, Fabio Quartararo, 172 pontos; 2,º, Aleix Espargaro, 138; 3.º, Johann Zarco, 111; 4.º, Enea Bastianini, 100; 5.º, Brad Binder, 82; 6.º, Francesco Bagnaia, 81; 7.º, Jack Miller, 81; 8.º, Alex Rins, 69; 9.º, Joan Mir, 69; 10.º, Miguel Oliveira, 64. Estão classificados mais 14 pilotos.

MOTO2 – 1.º, Celestino Vietti, 133 pontos; 2.º, Ai Ogura, 125; 3.º, Augusto Fernandez, 121; 4.º, Aron Canet, 116; 5.º, Tony Arbolino, 95; 6.º, Joe Roberts, 89; 7.º, Marcel Schrotter, 88; 8.º, Pedro Acosta, 75;  9.º, Somkiat Chantra, 66; 10.º, Jake Dixon, 60. Estão classificados mais 20 pilotos.

MOTO3 – 1.º, Sergio Garcia, 166 pontos; 2.º, Izan Guevara, 159; 3.º, Dennis Foggia, 115; 4.º, Jaume Masia, 107; 5.º, Deniz Oncu, 91; 6.º, Ayumu Sasaki, 88; 7.º, Tatsuki Suzuki, 81; 8.º, Andrea Migno, 76; 9.º, Carlos Tatay, 62; 10.º, Ricardo Rossi, 47. Estão classificados mais 16 pilotos.

CONSTRUTORES

MOTOGP – 1.º Ducati, 211 pontos; 2.º, Yamaha, 172; 3.º, Aprilia, 130; 4.º, KTM, 110; 5.º, Suzuki, 93; 6.º, Honda, 81.

MOTO2 – 1.º, Kalex, 250 pontos; 2.º, Boscoscuro, 47; 3.º, MV Agusta, 5.

MOTO3 – 1.º, GasGas, 215 pontos; 2.º, Honda, 168; 3.º KTM, 164; 4.º, Husqvarna, 108; 5.º, CFMoto, 84.

EQUIPAS

MOTOGP – 1.º Monster Energy Yamaha MotoGP, 197 pontos; 2.º, Aprilia Racing, 184; 3.º, Prima Pramac Racing, 172; 4.º, Ducati Lenovo Team, 162; 5.º, Red Bull KTM Factory Racing, 146; 6.º, Team Suzuki Ecstar, 138; 7.º, Gresini Racing MotoGP, 116; 8.º, Repsol Honda Team, 100; 9.º, Mooney VR46 Racing Team, 87; 10.º, LCR Honda, 64; 11.º, Withu Yamaha RNF MotoGP Team, 20; 12.º Tech3 KTM Factory Racing, 14.

MOTO2 – 1.º, Red Bull KTM Ajo, 196 pontos; 2.º, Idemitsu Honda Team Asia, 191; 3.º, Flexbox HP40, 174; 4.º, ELF Marc VDS Racing Team, 146; 5.º, Mooney VR46 Racing Team, 133; 6.º, Liqui Moly Intact GP, 119; 7.º, GasGas Aspar Team, 105; 8.º, Italtrans Racing Team, 99; 9.º, MB Conveyors Speed Up, 64; 10.º, Pertamina Mandalika SAG Team, 50; 11.º, Yamaha VR46 Master Camp Team, 45; 12.º, America Racing, 43; 13.º, RW Racing GP, 15; 14.º, Gresini Racing Moto2, 14; 15.º, MV Agusta Forward Racing, 5

MOTO3 – 1.º, GasGas Aspar Team, 325 pontos; 2.º, Leopard Racing, 196; 3.º, Red Bull KTM Ajo, 145; 4.º, Red Bull KTM Tech3, 119; 5.º, Sterilgarda Husqvarna Max, 112; 6.º CFMoto Racing PruestelGP, 108; 7.º, MT Helmets – MSI, 77; 8.º, Rivacold Snipers Team, 76; 9.º, CIP Green Power, 60; 10.º, SIC58 Squadra Corse, 52; 11.º, QJMotor Avintia Racing Team, 39; 12.º, Angeluss MTA Team, 38; 13.º, Boe Motorsports, 32; 14.º, Visiontrack Racing Team, 16; 15.º, Honda Team Asia, 5.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.