Fabio Quartararo sagrou-se campeão do Mundo

Piloto português partiu da 5.ª posição para o GP da Emilia Romagna, chegou a estar em 2.º logo no arranque, teve o pódio à vista, mas caiu a cinco voltas do fim e desistiu. Fabio Quartararo, em Yamaha, foi 4.º e selou a conquista do título mundial.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O francês Fabio Quartararo sagrou-se, pela primeira vez, campeão do Mundo de MotoGP, como consequência do seu quarto lugar em Misano e do abandono do italiano Francesco Bagnaia (Ducati) a quatro voltas do fim, quando comandava a corrida.

Ao partir de 15.º e com o italiano na “pole” parecia difícil o francês poder resolver a questão do título no traçado italiano e durante grande parte da corrida houve a sensação que, tal como sucederá em Moto2 e Moto3, o título da categoria rainha seria decidido em Portimão.

Francesco Bagnaia não desperdiçou o facto de largar da primeira posição da grelha e assumiu o comando da corrida, desde cedo perseguido pelo espanhol Marc Marquez (Honda), que o seguiu como uma sombra, parecendo guardar o assalto à vitória para as derradeiras volta.

Enquanto isso, Fabio Quartararo ia recuperando lugares, mas a vitória do piloto da Ducati adiava tudo para o Algarve, até que o imprevisto aconteceu e, com a queda, Francesco Bagnaia “ofereceu” a vitória na corrida a Marc Marquez e o título a Fabio Quartararo.

Autor de mais um fantástico arranque, o português Miguel Oliveira (KTM), que saiu de quinto, chegou à primeira curva em segundo, mas desceria para quarto, atrás do duo italo-eapanhol que comandava a corrida e do espanhol Pol Espargaro (Honda), posição que manteve ao longo de toda a prova, longe do piloto da Honda e sem que ninguém o ameaçasse.

Com a queda de Francesco Bagnaia, Miguel Oliveira estava de regresso ao pódio, mas logo à seguir ao abandono do italiano foi a vez do português não evitar a queda, perdendo a terceira posição, na altura herdade pelo novo campeão do mundo, que, nos derradeiros metros, perdeu o último degrau do pódio, para o italiano Enea Bastianini (Ducati).

A corrida de Moto2 foi “dramática” para o espanhol Raul Fernandez (Kalex) que chegou a Misano a nove pontos do australiano Remy Gardner (Kalex) e saiu a 18, depois de uma violentíssima queda, felizmente sem consequências, na 15.ª volta, quando tinha acabado de chegar ao comando e visto o seu opositor, que era oitaco ser punido com um “long lap”, por ser considerado culpado da queda do tailandês Somklat Chantra (Kalex), na sétima volta, quando discutiam a sétima posição.

As circunstâncias da corrida, ganha pelo inglês Sam Lowes (Kalex) que chegou ao comando a quatro voltas do fim, após cerrado duelo com o espanhol Aron Canet (Boscoscuro) que, na derradeira volta, seria ultrapassado pelo seu compatriota Augusto Fernandez (Kalex), permitiram ao australiano terminar em sétimo e partir para Portimão sabendo que precisa de ser oitavo, caso o espanhol vença a corrida para garantir a conquista do título.

Consciente da necessidade de ficar à frente do espanhol Pedro Acosta (KTM) para manter a esperança de poder conquistar o título, o italiano Dennis Foggia (Honda) conseguiu o melhor resultado possível, a vitória, após cerrado duelo com o espanhol Jaume Masia (KTM), nas derradeiras voltas, depois de terem aproveitado os duelos que se travavam atrás de si para fugirem dos seus perseguidores.

Na derradeira volta, Pedro Acosta, que chegou a rodar no sétimo lugar, conseguiu garantir o degrau mais baixo do pódio e partir para o Algarve com 21 pontos de avanço sobre o italiano, o único que o pode impedir de sagrar-se campeão, uma vez que o seu compatriota Sergio Garcia (GasGas) não pontuou e ficou de fora de qualquer hipótese de discutir o título.

No Algarve Pedro Acosta precisa de ser 11.º, em caso de nova vitória de Dennis Foggia, para sagrar-se campeão, uma corrida antes do final da temporada.

CLASSIFICAÇÕES

CORRIDAS

PILOTOS

MotoGP – 1.º, Marc Marquez (Honda), 27 voltas (114,102 km), em 163,4 km/h); 2.º Pol Espargaro (Honda), a 4,859”; 3.º, Enea Bastianini (Ducati), a 12,013”; 4.º, Fábio Quartararo (Yamaha), a 12,775”; 5.º, Johann Zarco (Ducati), a 16.458”; 6.º Alex Rins (Aprilia), a 17,669”; 7.º, Aleix Espargaro (Aprilia), 8.º, Maverick Viñales (Aprilia), a 18,607”; 9.º, Luca Marini (Ducati), a 25,417”; 10.º, Valentino Rossi (Yamaha), a 27,735”. Classificaram-se mais cinco pilotos

Moto2 – 1.º, Sam Lowes (Kalex), 25 voltas (105,65º km), em 40’25,180” (156,8 km/h); 2.º, Augusto Fernandez (Kalex), a 1,233; 3.º, Aron Canet (Boscoscuro), a 1,400”; 4.º, Celestino Vietti (Kalex), a 2,554”; 5.º, Jorge Navarro (Kalex), a 4,243”; 6.º, Stefano Manzi (Kalex), a 5,198”; 7.º, Remy Gardner (Kalex), 14,261”; 8.º, Fabio Di Giannantonio (Kalex), a 15,868”; 9.º, Ai Ogura (Kalex), a 18,905” 10.º, Marco Ramirez (Kalex), a 19,069”. Classificaram-se mais 10 pilotos

Moto3 – 1.º, Dennis Foggia (Honda), 23 voltas (97,198 km) em 39’33,170” (147,4 km/h); 2.º, Jaume Masia (KTM), a 0,292”; 3.º, Pedro Acosta (KTM), a 4,686”; 4.º, Darryn Binder (Honda), a 4,797”; 5.º, Stefano Nepa (KTM), a 4,853”; 6.º, Niccolò Antonelli (KTM), a 5,052”; 7.º, Romano Fenati (Husqvarna), a 5.335”; 8.º, Ayumu Sasaki (KTM), a 6,642”; 9.º, Xavier Artigas (Honda), a 6,736”; 10.º, Filip Salac (KTM), a 6,800”. Classificaram-se mais 12 pilotos.

CAMPEONATOS

PILOTOS

MotoGP – 1.º, Fábio Quartararo, 267 pontos; 2.º, Francesco Bagnaia, 202; 3.º, Joan Mir, 175; 4.º, Johann Zarco, 152; 5.º, Jack Miller, 149; 6.º, Marc Marquez, 142; 7.º, Brad Binder, 136; 8.º, Aleix Espargaro, 113; 9.º, Maverick Viñales, 106; 10.º, Miguel Oliveira, 92. Estão classificados mais 17 pilotos

Moto2 – 1.º, Remy Gardner, 280 pontos; 2.º, Raul Fernandez, 262; 3.º, Marco Bezzecchi, 206; 4.º, Sam Lowes, 165; 5.º, Augusto Fernandez, 151; 6.º, Aron Canet, 140; 7.º, Fabio Di Giannantonio, 136; 8.º, Ai Ogura, 120; 9.º, Jorge Navarro, 89; 10.º, Marcel Schortter, 85. Estão classificados mais 21 pilotos

Moto3 – 1.º, Pedro Acosta, 234 pontos; 2.º, Dennis Foggia, 213; 3.º, Sérgio Garcia, 168; 4.º, Jaume Masia, 155; 5.º, Romano Fenati, 147; 6.º, Darryn Binder, 136; 7.º, Niccolò Antonelli, 129; 8.º, Izan Guevara, 105: 9.º, Ayumu Sasaki, 104; 10.º, Andrea Migno, 90 Estão classificados mais 20 pilotos.

CONSTRUTORES

MotoGP – 1.º, Ducati, 307 pontos; 2.º, Yamaha, 295; 3.º, Suzuki, 207; 4.º, Honda, 198; 5.º, KTM, 190; 6.º, Aprilia, 114

Moto2 – 1.º, Kalex, 400 pontos; 2.º, Boscoscuro, 175; 3.º, MV Agusta, 19; 4.º, NTS; 10

Moto3 – 1.º KTM, 328 pontos; 2.º, Honda, 315; 3.º, Gasgas, 235; 4.º, Husqvarna,153

EQUIPAS

MotoGP – 1.º, Monster Energy Yamaha MotoGP, 364 pontos; 2.º, Ducati Lenovo Team, 351; 3.º, Team Suzuki Ecstar, 266; 4.º, Repsol Honda Team, 239; 5.º, Pramac Racing, 238; 6.º, Red Bull KTM Factory Racing, 228; 7.º, Aprilia Racing Team Gresini, 126; 8.º, LCR Honda, 125; 9.º, Esponsorama Racing, 124; 10.º, Petronas Yamaha SRT, 81; 11.º, Tech3 KTM Factory Racing, 75

Moto2 – 1.º, Red Bull KTM Ajo, 542 pontos; 2.º, ELF Marc VDS Racing Team, 316; 3.º, Sky Racing Team VR46, 272; 4.º, Aspar Team Moto2, 168; 5.º, Idemitsu Honda Team Asia, 157; 6.º, Federal Oil Gresini Moto2, 148; 7.º, Liqui Molly Intact GP, 136; 8.º, Petronas Sprinta Racing, 113; 9.º, +Ego Speed Up, 102; 10.º, American Racung, 74; 11.º, Italtrans Racing Team, 69; 12.º, Pertamina Mandalika SAG Team, 68; 13.º, Flexbox HP40, 46; 14.º, MV Agusta Forward Racing, 19; 15.º, NTS RW Racing GP, 10

Moto3 – 1.º, Red Bull KTM Ajo, 389 pontos; 2.º, Gaviota Gasgas Aspar Team, 273; 3.º, Leopard Racing, 252; 4.º Petronas Sprinta Racing, 211; 5.º, Red Bull KTM Tech3, 188; 6.º, Sterilgarda Garda Max Racing Team, 170; 7.º, Avintia Esponsorama Moto3, 164; 8.º, Indonesian Racing Gresini Moto3, 132; 9.º, Rivacold Snipers Team, 125; 10.º, Carexpert Pruestel GP, 91; 11.º, Boe Owlride, 82; 12.º, CIP Green Power, 75; 13.º, SIC58 Squadra Corse, 69; 14.º, Honda Team Ásia, 19

Próxima prova – Grande Prémio do Algarve, dia 7 de Novembro, no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *