Estónio Ott Tanak campeão mundial de ralis

Thierry Neuville vence na Catalunha na consagração do piloto do Toyota Yaris WRC como campeão mundial de ralis, conquistando os pontos suficientes para garantir o título de pilotos, ao terminar na 2.ª posição.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

A vitória na “Power Stage” (La Mussara – 20,72 km) e o segundo lugar alcançado nessa mesma especial, na qual ganhou 6,2” ao espanhol Dani Sordo (Hyundai i20 Coupé WRC) o que lhe permitiu ascender ao segundo lugar do pódio, por 0,4”, atrás do belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC), permitiram ao estónio Ott Tanak (Toyota Yaris WRC) garantir a conquista antecipada do título mundial de 2019.

À partida para as derradeiras quatro classificativas Dani Sordo era o “guarda costas”, atrás de Thierry Neuville, situação que permitia adiar a decisão do título para a Austrália, com o espanhol a aumentar a vantagem sobre o estónio nas três primeiras provas de classificação, mas na última, no momento do “tudo ou nada”, Ott Tanak esteve imperial e garantiu, com toda a justiça, a conquista do ceptro e sucede ao francês Sébastien Ogier (Citroen C3 WRC), discreto oitavo numa prova onde cedeu perdeu as hipóteses que tinha de conservar o ceptro.

Para a Toyota é o quinto título de pilotos, com Ott Tanak a juntar-se ao espanhol Carlos Sainz (1990 e 1992), ao finlandês Juha Kankkunen (1993) e ao francês Didier Auriol (1994) no lote de pilotos que conquistaram o título ao volante de um carro da marca nipónica.

Para a Austrália fica a decisão do título de marcas, com a Hyundai a arrancar com 18 pontos de avanço sobre a Toyota, margem que pode permitir a conquista do título, sendo certo que, no Parque de Assistência, muitas contas vão ser feitas, com as duas marcas a desejarem que Sébastien Ogier possa entrar na discussão dos primeiros lugares e “roubar pontos”, que podem ser decisivos para a decisão do título.

O norueguês Mads Ostberg (Citroën C3 R5) confirmou a vitória entre os RC2, à frente do francês Eric Camilli (Citroën C3 R5), com os dois a fecharem o “top ten” mas viu esfumar-se a possibilidade de regressar ao volante de um WRC na Austrália, por o título ter ficado decidido e a marca francesa ter deixado de necessitar da sua colaboração para levar Sébastien Ogier à revalidação do título.

CLASSIFICAÇÃO FINAL – 1.º Thierry Neuville/Gilsoul Nicolas (Hyundai i20 Coupé WRC), 3.07’39,6; 2.º Ott Tanak/Martin Jarveoja (Toyota Yaris WRC), a 17,2”; 3.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 Coupé WRC), a 17,6”; 4.º Sébastien Loeb/Daniel Elena (Hyundai i20 Coupé WRC), a 53,9”; 5.º Jari-Matti Latvala/Mikka Antilla (Toyota Yaris WRC), a 1’00,2”; 6.º Elfyn Evans/Scott Martin (Ford Fiesta WRC), a 1’14,2”; 7.º Teemu Suninen/Jarmo Lehtinen (Ford Fiesta WRC), a 1’47,6”; 8.º Sébastien Ogier/Julien Ingrassia (Citroen C3 WRC), a 4’20,5”; 9.º Mads Ostberg/Torstein Eriksen (Citroen C3 R5), a 8’24,6” (1.º R2); 10.º Eric Camilli/Benjamin Veillas (Citroen C3 R5), a 8’47,2”. Classificaram-se mais 33 equipas.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Ott Tanak, 263 pontos; 2.º Thierry Neuville, 227; 3.º Sébastien Ogier, 217; 4.º Andreas Mikkelsen, 102; 5.º Elfyn Evans, 102; 6.º Kris Meeke, 98; 7.º Jari-Matti Latvala, 94; 8.º Teemu Suninen, 89; 9.º Dani Sordo, 89; 10.º, Esapekka Lappi, 83; 11.º Sébastien Loeb, 51; 12.º Kalle Rovampera, 18; 13.º Pontus Tidemand, 12; 14.º Craig Breen 10; 15.º Gus Greensmith, 9; 16.º Benito Guerra 8; 17.º Mads Ostberg e Marco Bulacia Wilkinson, 6; 19.º Jan Kopecky, 5; 20.º Yoann Bonato, 4; 21.º Stéphane Sarrazin, Ole Christian Veiby e Pierre-Louis Loubet, 2; 24.º Adrien Fourmaux, Ricardo Triviño, Janne Tuohino, Pedro Heller, Emil Bergkvist, Nikolay Gryazin, Takamoto Katsuta, Petter Solberg, Eric Camilli, 1

MARCAS – 1.º, Hyundai Shell Mobis WRT, 380 pontos; 2.º, Toyota Gazoo Racing WRT, 362; 3.º, Citroen Total WRT, 284; 4.º, M-Sport Ford WRT, 218

PROXIMA PROVA – Kennards Hire Rally Austrália, de 14 a 17 de Novembro

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação