Esposende decreta dia de luto municipal

Benjamim Pereira, presidente do município de Esposende, quer eternizar o nome de Paulo Gonçalves.

(auto.look2010@gmail.com)

A Câmara Municipal de Esposende vai decretar um dia de luto municipal por altura das cerimónias fúnebres do piloto português Pulo Gonçalves, que perdeu a vida na sétima etapa do Rali Dakar de todo-o-terreno, no passado domingo. O despacho do presidente da autarquia, Benjamim Pereira, «já foi assinado», anunciou esta quinta-feira o município, em comunicado. Segundo o documento, será proposto um voto de pesar e decretado o luto municipal para o dia em que decorrerem as cerimónias fúnebres, que ainda não têm data devido à demora na libertação do corpo da Arábia Saudita.

«Esposende perdeu um grande Homem. Íntegro, solidário, generoso e, principalmente, sempre disponível para todos», sublinhou Benjamim Pereira, citado no mesmo comunicado. O presidente do município de Esposende quer eternizar o nome de Paulo Gonçalves, «devido à postura exemplar que sempre o caracterizou, dignificando os valores do desporto que também nós preconizamos», frisou o autarca.

O município, «após articulação com a família de Paulo Gonçalves», informa que o cortejo fúnebre passará pelo centro de Esposende, antes de rumar a Gemeses, onde decorrerão as cerimónias fúnebres, em dia a anunciar. A última homenagem do universo “motard” decorrerá nesse trajecto, com as motos alinhadas na marginal de Esposende, antecedendo o minuto de silêncio que será cumprido na Praça do Município, antes de rumar a Gemeses.

SEGURADORAS ATRASAM AUTÓPSIA

E TRASLADAÇÃO DO CORPO PARA PORTUGAL

Entretanto, exigências das seguradoras quanto a despistes toxicológicos ao corpo de Paulo Gonçalves estão a atrasar a autópsia e a devolução do corpo à família. Fonte da equipa Hero avançou que em causa estão exames adicionais pedidos devido aos seguros de vida e que estarão a atrasar a realização da autópsia do malogrado piloto português.

A mesma fonte garante que o Ministério dos Negócios Estrangeiros tem envidado esforços no sentido de acelerar o processo, de forma a transportar o corpo para Portugal o mais rapidamente possível.

Fonte da equipa Hero confirmou que lesões na zona da cabeça e cervical estarão na origem da morte do piloto de Esposende. Na quarta-feira, no decurso da 10.ª etapa, a organização viu-se obrigada a cancelar os últimos quilómetros do percurso pelo facto de ter todos os seus helicópteros ocupados com vários acidentes ocorridos na mesma zona de dunas em que o espanhol Fernando Alonso (Toyota) e diversos outros pilotos sofreram percalços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: