Esapekka Lappi e a Citroën testaram em Arganil

A equipa francesa esteve esta terça-feira no Mont’Alto, em Arganil, com o finlandês Esapekka Lappi a preparar os próximos compromissos do Campeonato do Mundo e Ralis (WRC). O teste prossegue esta quarta-feira, na região de Mortágua.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt) – Fotos: JOSÉ MOURA

O regresso do Rali de Portugal à Lousã, Góis e Arganil está a suscitar enorme expectativa na região centro do país. A vontade de voltar a ouvir o barulho dos motores na serra e sentir toda a emoção que esta prova proporciona, nos lendários troços de Arganil, é ainda maior. Esta terça-feira, conforme adiantou “autolook.pt” em primeira mão, a Citroën, liderada por Pierre Budar, assentou arraias na zona do Mont’Alto,na região de Arganil, para testar o Citroën C3 WRC.

O piloto finlandês Esapekka Lappi, que no pretérito fim-de-semana conduziu o Citroën C3 WRC ao sétimo lugar no Rali da Córsega, queixando-se das afinações da viatura da marca do “double chévron”, teve a oportunidade de ajustar procedimentos tendo em vista os ralis da Argentina e Chile, antes de voltar ao nosso país para alinhar, de 30 de Maio a 2 de Junho, no Vodafone Rali de Portugal.

Num “vai e vem” constante na especial desenhada para o efeito, onde foi criada uma zona de água que proporcionou imagens de rara beleza, o jovem piloto nórdico, quiçá impulsionado com o sol quente que se fez sentir em Arganil, suou as estopinhas no sentido de produzi um efeito desejado no Citroën C3 WRC.

Esapekka Lappi que, recorde-se, foi segundo classificado no Rali da Suécia este ano, não descura a hipótese de voltar a brilhar na equipa onde alinha também o francês Sebastien Ogier, piloto que deverá estar esta quarta-feira aos comandos e um Citroën C3 WRC para um “exame” semelhante na região de Mortágua.

A provar que Arganil e os ralis são duas realidades que nunca se deviam ter dissociado, o piloto finlandês proporcionou um teste proveitoso na “catedral” durante praticamente todo o dia desta terça-feira. No primeiro de dois dias de teste, o Citroën C3 WRC foi acumulando quilómetros muito proveitosos, deixando bons indícios para apontar baterias nas duas próximas provas a disputar em território sul-americano.

Depois de Monte’Alto, esta quarta-feira, em Mortágua – tudo indica que o piloto de serviço será o campeão mundial em título Sébastien Ogier – a Citroën terá pela frente a missão de continuar a trabalhar consistentemente no sentido de reduzir as diferenças com seus adversários, após uma prestação menos conseguida no Rali da Córsega.

«Obviamente que este teste foi extremamente positivo. Estou muito feliz pelas ilações adquiridas, pois foi uma boa oportunidade para continuarmos a desenvolver as performances do C3 WRC. Naturalmente que o carro tem muito potencial e a equipa não se encolhe nos esforços para o colocar na linha vitoriosa. Essa também é a minha missão, bem como do Seb (Ogier)», sublinhou o jovem piloto finlandês.

Depois do Rali da Córsega, todo ele disputado em asfalto, Sebastien Ogier deverá ser hoje o piloto a testar o C3 WRC nos pisos de terra de Mortágua, zona onde a equipa prepara o Rali da Argentina.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação