Elisabete Jacinto respira triunfo por todos os poros

Piloto portuguesa, acompanhada por José Marques e Marco Cochinho, conquistou pela primeira vez na sua carreira desportiva a vitória na categoria camião do Africa Eco Race.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Só algo de muito imprevisto, algo sempre possível em competições pode impedir, amanhã, o italiano Alessandro Botturi (Yamaha), nas motos, os franceses Jean-Pierre Strugo/François Borsotto (Optimus), nos carros, e os portugueses Elisabete Jacinto/José Marques/Marco Cochinho (MAN), nos camiões, de subirem ao lugar mais alto do pódio da 11.ª edição do Africa Eco Race.

O derradeiro SS na Mauritânia não provocou alterações nas classificações, com, nas motos, o italiano Alessandro Botturi (Yamaha) a perder pouco mais de dois minutos para o norueguês Pal Anders Ullevalseter (KTM), mas a conservar mais de quatro minutos de vantagem para o seu adversário.

Nos automóveis, Jean-Noel Julien (Optimus) foi o mais rápido, o que sucede pela primeira vez, mas Jean-Pierre Strugo (Optimus) há muito em tinha entrado em modo de contenção e limitou-se a ser quinto, conservando mais de uma hora de avanço sobre David Gerard (Optimus).

Algo de semelhante se passou nos camiões, com Elisabete Jacinto (MAN) a manter uma toada cautelosa, a perder o SS para o checo Tomas Tomecec (Tatra), mas a partir para o derradeiro dia, com mais de duas horas de avanço sobre o seu mais directo perseguidor, estando a pouco mais de 20 km de entrar na história do TT mundial, como a primeira mulher a vencer nos “pesos pesados”. Em suma, Elisabete Jacinto cumpriu de forma muito positiva esta última jornada do Africa Race 2019 e sobe, assim, ao lugar mais alto do pódio do rali entre os camiões.

«Hoje correu tudo bem. Apesar de ainda termos feito algumas travessias de dunas, logo nos primeiros quilómetros, a especial era curta e muito rápida. Não tivemos problemas a assinalar e conseguimos imprimir um bom andamento. Alcançámos o segundo lugar nesta especial, que é muito positivo, e estamos verdadeiramente felizes com a nossa prestação neste Africa Race 2019», contou a piloto portuguesa na chegada a Saint Louis no Senegal.

CLASSIFICAÇÕES – SECTOR SELECTIVO (217,69 KM)

MOTOS

1.º Pal Anders Ullevalseter (KTM), 1h49m03s

2.º Alessandro Botturi (Yamaha), a 2’14”

3.º Simone Agazzi (Honda), a 3’38”

4.º Norbert Dubois (KTM), a 7’55”

5.º Felix Jensen (KTM), a 10’32”

AUTOMÓVEIS

1.º Jean-Noel Julien/Rabha Julien (Optimus), 1h46m21s

2.º David Gerard/Pascal Delacour (Optimus), a 4’07”

3.º Yves Fromont/Paul Vidal (Tarek), a 6’23”

4.º Philippe Gosselin/David Bonon (Optimus), a 7’32”

5.º Jean-Pierre Strugo/François Borsotto (Optimus), a 9’37”

CAMIÕES

1.º Tomas Tomecek (Tatra), 2h00m20s

2.º Elisabete Jacinto/José Marques/Marco Cochinho (MAN), a 1’49”

3.º Johan Elfrink/Dirk Schuttel (Mercedes), a 14’50”

4.º Boleslav Levitskii/Stanislav Dolgov (GAZ), a 38’05”

5.º Noel Essers/Marc Lauwers/John Cooninx (MAN), a 41’39”

GERAL

MOTOS

1.º Alessandro Botturi (Yamaha), 46h05m13s

2.º Pal Anders Ullevalseter (KTM), a 4’54”

3.º Simone Agazzi (Honda), a 2.13’06”

4.º Felix Jensen (KTM), a 2.45’03”

5.º Francisco Arredondo (KTM), a 5.55’39”

AUTOMÓVEIS

1.º Jean-Pierre Strugo/François Borsotto (Optimus), 44h49m58s

2.º David Gerard/PascalDelacour (Optimus), a 1’22’13”

3.º Jean-Noel Julien/Rabha Julien (Optimus), a 1’43’32”

4.º Yves Fromont/Paul Vidal (Tarek), a 1.48’29”

5.º François Cousin/Stéphane Cousin (Nissan), a 11.12’24”

CAMIÕES

1.º Elisabete Jacinto/José Marques/Marco Cochinho (MAN), 48h07m52s

2.º Noel Essers/Marc Lauwers/John Cooninx (MAN), a 2.41’07”

3.º Johan Elfrink/Dirk Schuttel (Mercedes), a 6.42’50”

4.º Tomas Tomecek (Tatra), a 17.04’38”

5.º Boleslav Levitskii/Stanislav Dolgov (GAZ), a 23.’09’00”

A ETAPA DE AMANHÃ

Amanhã é dia de festa para todos os que conseguiram superar as dificuldades das duas semanas que durou a prova, com a caravana a ter de enfrentar um SS de 21,93 km, que em nada vai alterar as classificações, depois de uma ligação de 229,67 km, desde St. Louis, e a anteceder uma ligação de 46,15 km até Dakar, a capital do Senegal. Como é tradicional, a partida será dada em linha na praia, no mítico SS do Lac Rose, com todo o percurso a ser na praia, até ao pódio final.

 

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação