Editorial

Aventura e emoção de mãos dadas na Arábia Saudita

Carlos Sousa

O Dakar é um fenómeno de popularidade nos quatro cantos do mundo que tem o hábito de oferecer muitas histórias e venturas que nos surpreendem, nos transportam e nos deleitam. Todos os anos, o cenário da prova proporciona muitos altos e baixos, com os vencedores de um dia a serem algumas vezes os perdedores do dia seguinte.

No entanto, a vida é feita de excepções à regra, em que a resistência é o factor primordial do Dakar, sendo, precisamente, essa qualidade que os vencedores demonstram para levarem de vencida a enorme distância de uma prova como aquela que é organizada pela Amaury Sport Organisation (ASO).

O sucesso desportivo de todas as edições do Dakar deve-se muito às modificações efectuadas nos regulamentos. Todos os anos, a estrutura organizativa põe e dispõe para manter viva a história, as aventuras e peripécias. Sem dúvida factores valiosos. Todavia, a ASO dá, também, a primazia à navegação, sendo, acima de tudo, uma forma de respeitar e recompensar o espírito do Dakar.

Esta linha de pensamento e trabalho mantém-se inalterável ano após ano, essencial na preparação do Dakar, vários meses antes de cada edição. O gosto da aventura é o denominador comum para todos quantos se reencontram nesta caravana e, à semelhança do ano passado, a Arábia Saudita volta a ser o destino privilegiado para este desafio.

Tem sido assim desde a edição inaugural, em 1979, com início a 26 de Dezembro de 1978, um ano após Thierry Sabine ter-se perdido no deserto quando participava do Rali Abidjan-Nice, de moto, e decidir que aquele seria um bom percurso para um rali regular. A prova, até 2007, privilegiou a Europa e África, com as duas últimas a ter início em Lisboa e final em Dakar, capital do Senegal.

Com o cancelamento em 2008 por motivos de segurança na Mauritânia, também com o arranque marcado para a capital portuguesa, a ASO deslocou a prova para a América do Sul onde permaneceu entre 2009 e 2019, transferindo-a para a Arábia Saudita na edição de 2020.

O Rali Dakar – ou simplesmente Dakar, uma vez que, anteriormente, era conhecido como Rali Paris-Dakar – é a mais longa prova de todo-o-terreno do mundo. A Amaury Sport Organisation continua a explorá-lo em detalhe, muitas vezes “movido a pinças”, com a convicção de encontrar novos territórios “desconhecidos”.

Naturalmente que o Dakar retém, também, as histórias entristecem tudo e todos. Os acidentes trágicos levam a estrutura organizativa ir a ir cada vez mais longe no que concerne à segurança. Esta é daquelas missões que, mais do que uma prioridade, é uma obsessão. O dispositivo é todos os anos reforçado com a convicção de permitir aos pilotos e restante caravana a máxima segurança. A luta para a prevenção dos riscos sobre os concorrentes, e em especial sobre as populações, não deve conhecer nenhuma interrupção.

A partir do próximo dia 2 de Janeiro, o entusiasmo está garantido a partir da Arábia Saudita. Pilotos e máquinas estão preparados para novo desafio. A aventura vai começar. A aventura está garantida até 15 de Janeiro de 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *