Duelo escaldante entre Araújo e Magalhães

No Rali de Castelo Branco/Vila Velha de Ródão, os dois primeiros pilotos estão separados por apenas 2,2 segundos. José Pedro Fontes começou na frente mas é terceiro, a 14,8 segundos do líder, enquanto Ricardo Teodósio, campeão nacional, atrasou-se devido a problemas mecânicos.

(auto.look2010@gmail.com)

Armindo Araújo e Luís Ramalho

Se o Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou o distrito de Castelo Branco sob alerta amarelo por força das temperaturas elevadas, certamente não o fez a pensar na competição do Rali de Castelo Branco. Mas podia ter sido por isso, pois a disputa pelo primeiro lugar está a ser escaldante.

Armindo Araújo (Skoda), que já venceu a prova da Escuderia Castelo Branco por diversas vezes, está na liderança, mas tem apenas 2,2 segundos de vantagem sobre Bruno Magalhães (Hyundai), que é segundo. José Pedro Fontes (Citroën) foi o primeiro comandante desta ronda de asfalto, mas cedeu tempo para os dois rivais e fecha o dia no terceiro lugar.

O equilíbrio foi a nota dominante deste primeiro dia de competição no Rali de Castelo Branco. Ao longo de oito especiais realizadas, houve apenas dois líderes, mas a maior diferença entre o primeiro e o segundo mais rápido em todos os troços foi de apenas 2,9 segundos. Foram várias as equipas a discutirem os lugares da frente, mas Armindo Araújo foi quem melhor esteve no final do dia e, por isso, comanda a classificação geral.

Bruno Magalhães e Carlos Magalhães

Bruno Magalhães e José Pedro Fontes também estiveram em destaque e assumem, com alguma naturalidade, o segundo e o terceiro postos, respetivamente. Menos bem esteve o campeão nacional em título, Ricardo Teodósio, que perdeu muito tempo logo na especial inaugural devido a problemas no intercooler do Hyundai e, desde então, está em competição para, acima de tudo, fazer algumas experiências nas afinações do seu carro.

«O dia correu-nos bastante bem. Lideramos a prova, estamos à frente. Sabemos que a margem é curta. Temos de continuar a forçar, temos de continuar a fazer o trabalho que temos feito até agora, mas, de qualquer das formas, o dia foi extremamente positivo e amanhã queremos continuar nesta posição», afirmou Armindo Araújo.

«Foi um dia que correu bastante bem para nós. Estamos agradavelmente surpreendidos com a performance do nosso Hyundai. O carro está bom, dá confiança. No início não entrámos com o “set-up” adequado, ainda um pouco por falta de conhecimento. O carro estava demasiado macio, o que me fez perder tempo em alguns troços. À tarde recuperámos. Foi pena termos um furo na roda de trás do lado direito, em Sarzedas 2. Depois atacámos muitíssimo nas super-especiais. Recuperámos. Estamos a dois segundos da liderança. Está tudo em aberto», explicou Bruno Magalhães.

Por sua vez, José Pedro Fontes não estava contente com a sua prestação, mas ainda acredita num bom resultado: «Não foi o dia que queríamos. Começámos bem. Ganhámos o primeiro troço, mas nas duas passagens de Santo André perdemos bastante. Culpa minha».

«Não sei o que poderia ter feito melhor, mas a verdade é que perdemos. Agora mudámos um bocadinho o carro e vamos tentar ir atrás da vitória. São 14 segundos. Ao ritmo que se está a andar é um bocadinho, mas tudo pode acontecer», acrescentou o piloto do Porto que faz equipa com Inês Ponte.

Ricardo Teodósio e José Teixeira

O líder no CPR 2RM é Ricardo Sousa que, com o Peugeot 208, ocupa o oitavo posto da classificação geral. Rafael Cunha comanda a classificação da Kia Rally Cup e do FPAK Júnior Team. Rafael Pereira está à frente no Campeonato Portugal Júnior de Ralis e Nuno Mateus lidera entre os clássicos. No Campeonato Promo de Ralis, a liderança é de Filipe Nogueira.

Este domingo realiza-se a última etapa do Rali de Castelo Branco 2022. As equipas têm um programa concentrado e intenso com quatro classificativas. A primeira dupla a ir para a estrada entra em ação às 10h11. O vencedor será conhecido depois do derradeiro troço que começa às 12h55. Pela frente, os concorrentes têm 41,7 km contra o cronómetro pela frente.

Aníbal Rolo e Manuel Rolo

AS BODAS DE OURO DE ANÍBAL ROLO

A edição de 2022 do Rali de Castelo Branco foi especial para Aníbal Rolo e Manuel Rolo que, neste ano, celebram o 50.º aniversário a correr em provas de estrada aquém e além-fronteiras. A formação do Datsun 1200 apresentou-se à partida da ronda do Campeonato de Portugal de Ralis organizada pela Escuderia Castelo Branco, da qual ambos os pilotos são sócios, em modo de celebração.

«O feito alcançado por Aníbal e Manuel Rolo é admirável. Revelam uma paixão tremenda por esta modalidade que nos une e para a Escuderia Castelo Branco é gratificante e uma honra tê-los como parte da família. Neste ano tão especial, não podíamos deixar de os parabenizar por terem chegado a uma marca tão bonita», afirmou António Sequeira, o presidente da Escuderia Castelo Branco.

A participação de Aníbal Rolo e Manuel Rolo no Rali de Castelo Branco acabou, porém, por não ser tão positiva com o piloto e co-piloto desejavam pois foram forçados a abandonar logo na primeira classificativa da prova.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.