Ducati dominou GP de Espanha de MotoGP

Miguel Oliveira terminou o Grande Prémio de Espanha de MotoGP na 11.ª posição, numa corrida ganha pelo australiano Jack Miller, que já não vencia desde 2016 e, em segundo, o italiano Francesco Bagnaia, ambos em Ducati, cabendo ao também italiano Franco Morbidelli (Yamaha) o terceiro lugar.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Jack Miller (Ducati)

Quatro anos depois de ter ganho pela primeira vez uma corrida de MotoGP, o que sucedeu no traçado holandês de Assen, o australiano Jack Miller (Ducati) regressou ao lugar mais alto do pódio, acompanhado pelos italianos Francesco Bagnaia (Ducati), o que garantiu o 1-2 da marca italiana, e Franco Morbidelli (Yamaha).

Apesar de largar da “pole position”, o francês Fábio Quartararo (Yamaha) caiu para quarto, na primeira volta, mas depressa regressou ao primeiro lugar e ganhou um avanço que parecia poder levá-lo ao triunfo no traçado espanhola.

Só que, a meio da corrida, os pneus perderam eficácia e o francês começou a “andar para trás”, foi perdendo posições, mas fez questão de permanecer em pista, para “salvar” três pontos, graças ao 13.º lugar em que terminou, o que o fez descer para segundo do campeonato, a escassos dois pontos do italiano Francesco Bagnaia.

Francesco Bagnaia celebra o segundo lugar com o vencedor Jack Miller, companheiros de equipa na Ducati

A partir do momento em que conseguiu colar-se a Fábio Quartararo e o deixou para trás, Jack Miller ficou confortável no comando da corrida e geriu a vantagem para garantir a vitória.

Por sua vez, o português Miguel Oliveira (KTM) terminou em 11.º, o melhor resultado do ano, depois de ter arrancado da 16.ª posição da grelha e subiu para o 17.º lugar no “Mundial”, com a equipa austríaca a continuar a ter muito trabalho para chegar mais perto da concorrência.

No final da prova, Miguel Oliveira não escondia que «foi uma corrida muito duro por causa da temperatura elevada e porque sofri de sobreaquecimento dos pneus, o que me obrigou a ter cautela para não cair, mas acabei longe do meu objectivo, daquilo que sei que sou capaz e dos objectivos da equipa, e por isso, no teste de amanhã, vamos procurar encontrar as soluções para fazer melhor em Le Mans»

O italiano Fábio Di Giannantonio (Kalex) venceu pela primeira vez uma corrida do “Mundial” de Moto2, comandando a corrida desde a primeira volta, depois de um excelente arranque da segunda posição, o que lhe permitiu levar a melhor sobre o australiano Remy Gardner (Kalex), que tinha sido o mais rápido na qualificação.

Miguel Oliveira conduziu a sua KTM ao 11.º lugar

Foi mais intensa a luta pelos restantes lugares do pódio, com o italiano Marco Bezzecchi (Kalex) a conseguir afastar-se do inglês Sam Lowes (Kalex), de Remy Gardner e do espanhol Raul Fernandez (Kalex), que constituíam o quarteto que perseguia o comandante.

Na fase final foi a vez do inglês a escapara aos seus adversários e a garantir o degrau mais baixo do pódio, com Remy Gardner a conservar o comando do campeonato, que tem os cinco primeiros separados por 17 pontos.

Quatro corridas, três vitórias e um segundo lugar, e o comando destacado do campeonato, com 51 pontos de avanço sobre o italiano Niccolò Antonelli (KTM), eis o fantástico balanço da estreia do espanhol Pedro Acosta (KTM) no “Mundial” de Moto3, sendo o primeiro estreante a conseguir quatro pódios, nas quatro primeiras corridas.

Espanhol Pedro Acosta voltou a vencer com a KTM

O piloto da marca austríaca saiu da 13.ª posição da grelha, mas depressa chegou ao grupo da frente, onde o duelo foi intenso e fez estragos na última curva, quando o espanhol Jaume Masia (KTM), o turco Deniz Oncu (KTM) e o sul-africano Darryn Binder (Honda) davam tudo por tudo para chegar à vitória, com o turco a “tocar” no espanhol e na queda apanharam o sul-africano, o que permitiu ao italiano Romano Fenati e ao espanhol Jeremy Alcoba completarem o pódio.

Mais rápido na qualificação para a primeira corrida do campeonato de MotoE, o brasileiro Eric Granado assumiu o comando da corrida no arranque, manteve a posição durante as três primeiras voltas, mas, uma queda, na quarta volta, permitiu ao italiano Alessandro Zaccone ascender ao comando e vencer a corrida à frente do suíço Dominique Aegerter e do espanhol Jordi Torres.

Apesar da queda, Eric Granado conseguiu regressar à pista e terminou a corrida no 13.º lugar, atrás do português André Pires, estreante na categoria.

CLASSIFICAÇÕES

CORRIDAS

MotoGP – 1.º Jack Miller (Ducati), 25 voltas (110,575 km), em 41’05,602” (161,4 km/h); 2.º, Francesco Bagnaia (Ducati), a 1,912”; 3.º, Franco Morbidelli, a 2,516”; 4.º, Takaaki Nakagami (Honda), a 3,206”; 5.º, Joan Mir (Suzuki), a 4,256”; 6.º, Aleix Espargaro (Aprilia), a 5,164”; 7.º, Maverick Viñales (Yamaha), a 5,651”; 8.º, Johann Zarco (Ducati), 7,161”; 9.º, Alex Marquez (Honda), a 10,494”; 10.º, Pol Espargaro (Honda), a 11,776”; 11.º, Miguel Oliveira (KTM), a 14,766”. Classificaram-se mais nove pilotos

Moto2 – 1.º, Fábio Di Giannantonio (Kalex), 23 voltas (101,729 km), em 39’07,396” (156,0 km/h); 2.º, Marco Bezzecchi (Kalex), a 1,722”; 3.º, Sam Lowes (Kalex), a 2,229”; 4.º, Remy Gardner (Kalex), a 3,019”; 5.º, Raul Fernandez (Kalex), a 8,571”; 6.º, Xavi Vierge (Kalex), a 12,181”; 7.º, Ai Ogura (Kalex), a 12,313”; 8.º, Joe Roberts (Kalex), a 12,523”; 9.º, Aron Canet (Boscoscuro), a 14,407”; 10.º, Marcel Schrotter (Kalex), a 17,152”. Classificaram-se mais 22 pilotos

Moto3 – 1.º, Pedro Acosta (KTM), 22 voltas (97,306 km), em 39’2,266” (148,2 km/h; 2.º, Romano Fenati (Husqvarna), 0,417”; 3.º, Jeremy Alcoba (Honda), a 0,527”; 4.º, Andrea Migno (Honda), a 0,548”; 5.º, Ayumu Sasaki (KTM), a 0,971”; 6.º, Carlos Tatay (KTM), a 0,997”; 7.º, Jason Dupasquier (KTM), a 1,043”; 8.º, Niccolò Antonelli (KTM), a 1,144”; 9.º, Xavier Artigas (Honda), a 1,383”; 10.º, Ryusel Yamanaka (KTM), a 1,596”. Classificaram-se mais 14 pilotos

MotoE – 1.º, Alessandro Zaccone (Energica), 8 voltas (35,384 km), em 14’33,776” (145,7 km/h); 2.º Dominique Aegerter (Energica), a 0,419”; 3.º, Jordi Torres (Energica), a 0,614”; 4.º, Mattia Casadei (Energica), a 4,273”; 5.º, Miguel Pons (Energica), a 6,105”; 6.º, Matteo Ferrari (Energica), a 6,704”; 7.º, Hikari Okubo (Energica), a 8,574”; 8.º, Andrea Mantovani (Energica), a 10,734”; 9.º, Maria Herrera (Energica), a 11,322”; 10.º, Yonny Hernandez (Energica), a 11,438”; …; 12.º André Pires (Energica), a 28,027”. Classificaram-se mais dois pilotos

CAMPEONATOS

PILOTOS

MotoGP – 1.º, Francesco Bagnaia, 66 pontos; 2.º, Fábio Quartararo, 64; 3.º, Maverick Viñales, 50; 4.º, Joan Mir, 49; 5.º, Johann Zarco, 48; 6.º, Jack Miller, 39; 7.º, Aleix Espargaro, 35; 8.º, Franco Morbidelli, 33, 9.º, Alex Rins, 23; 10.º, Brad Binder, 21; …; 17.º, Miguel Oliveira, 9. Estão classificados mais seis pilotos

Moto2 – 1.º, Remy Gardner, 69 pontos; 2.º, Sam Lowes, 66; 3.º, Raul Fernandez, 63; 4.º, Marco Bezzecchi, 56; 5.º, Fábio Di Giannantonio, 52; 6.º, Joe Roberts, 31; 7.º, Aron Canet, 30; 8.º, Xavi Vierge, 26; 9.º, Augusto Fernandez, 23; 10.º, Ai Ogura, 20. Estão classificados mais 14 pilotos

Moto3 – 1.º, Pedro Acosta, 95 pontos; 2.º, Niccolò Antonelli, 44; 3.º, Andrea Migno, 42; 4.º, Romano Fenati, 40; 5.º, Jaume Masia, 39; 6.º, Darryn Binder, 36; 7.º, Ayumu Sasaki, 33; 8.º, Gabriel Rodrigo, 25; 9.º, Sérgio Garcia, 24; 10.º, Izan Guevaram 24. Estão classificados mais 13 pilotos.

MotoE – 1.º, Alessandro Zaccone, 25 pontos; 2.º Dominique Aegerter, 20; 3.º, Jordi Torres, 16; 4.º, Mattia Casadei, 13; 5.º, Miguel Pons, 11; 6.º, Matteo Ferrari, 10; 7.º, Hikari Okubo, 9; 8.º, Andrea Mantovani,8; 9.º, Maria Herrera (Energica), 7; 10.º, Yonny Hernandez, 6; …; 12.º André Pires, 4; Estão classificados mais dois pilotos

CONSTRUTORES

MotoGP – 1.º, Yamaha, 91 pontos; 2.º, Ducati, 85; 3.º, Suzuki, 53; 4.º, Aprilia, 35; 5.º, Honda, 33; 6.º, KTM, 27

Moto2 – 1.º, Kalex, 100 pontos; 2.º, Boscoscuro, 36; 3.º, MV Agusta, 4

Moto3 – 1.º KTM, 100 pontos; 2.º, Honda, 72; 3.º, Husqvarna, 40; 3.º, Gasgas, 36.

EQUIPAS

MotoGP – 1.º, Monster Energy Yamaha MotoGP, 114 pontos; 2.º, Ducati Lenovo Team, 105; 3.º, Team Suzuki Ecstar, 72; 4.º, Pramac Racing, 65; 5.º, Repsol Honda Team, 40; 6.º, Petronas Yamaha SRT, 37; 7.º, Aprilia Racing Team Gresini, 37; 8.º, Red Bull KTM Factory Racing, 30; 9.º, LCR Honda, 27;

10.º, Esponsorama Racing, 22; 11.º, Tech3 KTM Factory Racing, 7

Moto2 – 1.º, Red Bull KTM Ajo, 132 pontos; 2.º, ELF Marc VDS Racing Team, 89; 3.º, Sky Racing Team VR46, 69; 4.º, Federal Oil Gresini Moto2, 52; 5.º, Italtrans Racing Team, 37; 6.º, Petronas Sprinta Racing, 35; 7.º, Inde Aspar Team, 34; 8.º, Liqui Moly Intact GP; 25; 9.º, Idemitsu Honda Team Asia, 20; 10.º, Flexbox HR40, 19; 11.º, American Racing, 18; 12.º, Pertamina Mandalika SAG Team, 13; 14.º, Lightech Speed Up, 13; 15.º, MV Agusta Forward Racing, 4

Moto3 – 1.º, Red Bull KTM Ajo, 134 pontos; 2.º, Avintia Esponsorama Moto3, 58; 3.º, Rivacold Snipers Team, 52; 4.º, Solunion Gasgas Aspar Team, 48; 5.º, Carexpert Pruestel GP, 46; 6.º, Indonesian Racing Gresini Moto3, 43; 7.º, Sterilgarda Garda Max Racing Team, 40; 8.º Petronas Sprinta Racing, 36; 9.º, Red Bull KTM Tech3, 34; 10.º, Leopard Racing, 27; 11.º, CIP Green Power, 21; 12.º, SIC58 Squadra Corse, 12; 13.º, Boe Owlride, 6; 14.º, Honda Team Ásia, 3

Próxima prova – SHARK Grand Prix de France, dia 16 de Maio, no Circuito de Le Mans.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *