“Dor” de George Russell atenuada pelos amigos

O piloto George Russell viu a hipótese de pontuar pela primeira vez na Fórmula 1 fugir-lhe das mãos depois de perder o controlo do carro. Lewis Hamilton e Romain Grosjean apoiam o jovem piloto britânicol depois de acidente durante o “safety car”

(auto.look2010@gmail.com)

Lewis Hamilton e Romain Grosjean mostraram o seu apoio a George Russell, esta segunda-feira, depois do acidente do britânico numa altura em que o safety car estava em pista durante o Grande Prémio de Emilia-Romagna no último fim-de-semana.

George Russell, de 22 anos, era 10.º com a forte possibilidade de garantir o seu primeiro ponto na Formula 1 e o primeiro da Williams esta época, quando perdeu o controlo do carro enquanto aquecia os pneus acabando por embater na parede. Ele saiu do carro e sentou-se junto à pista com as mãos na cabeça antes de regressar às garagens.

O seis vezes campeão mundial disse ao seu compatriota que era «ok cometer erros e sentir a dor», adicionando que ele tinha de «manter a cabeça levantada e continuar a lutar».

Romain Grosjean conhecia bem a “dor” depois de ter ficado fora dos pontos devido a um acidente atrás do safety car no Azerbaijão há dois anos atrás: «Meu, sei o que isso é», disse, afirmando ainda que «vai levar algum tempo para esquecer, mas o que fazes é mega. Continua».

Mais tarde George Russell descreveu o incidente como «o maior erro que cometi na minha carreira». Ironicamente, o inglês é considerado um dos novos pilotos a ter em conta para o futuro do campeonato de Fórmula 1, com Russell, um “pupilo” da Mercedes, bem posicionado para ter um lugar na equipa da marca.

A sua carreira tem sido gerida por Toto Wolff, chefe de equipa, que, depois das declarações de Lewis Hamilton a abrir a porta a uma possível “reforma”, pode tê-lo em mente para ser o sucessor para o lugar ao lado de Valtteri Bottas.

O azarento finlandês foi incapaz de converter a sua 15.ª pole position numa vitória – a 10.ª vez que tal aconteceu – viu a sua corrida estragada por causa de um pedaço da asa frontal de um Ferrari que se alojou no piso do carro na segunda volta. A Mercedes fez uma publicação nas redes sociais com uma foto dos detritos.

O material vermelho saiu do carro do quatro vezes campeão mundial Sebastian Vettel, depois de uma colisão com o Haas de Kevin Magnussen, e perturbou as possibilidades de Bottas controlar a corrida e vencer. A equipa removeu os detritos no segundo pit stop, quando Lewis Hamilton tomou a iniciativa para alcançar uma inédita 93.ª vitória

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: