Diogo Castro destacou-se na Taça de Portugal

A festa do karting regressou ao Algarve para “brindar” com pompa e circunstância a Taça de Portugal. Uma festividade que reuniu várias dezenas de pilotos de norte a sul do país, com Diogo Figueiredo de Castro, piloto AUTOLOOK, a superar as expectativas.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolookp.pt) – Fotos: HELLOFOTO

Com o sol a aquece ainda mais as emoções dentro e fora do traçado do majestoso Kartódromo Internacional do Algarve, pilotos e equipas abraçaram a retoma das suas actividades com arte e engenho a disputa da Taça de Portugal. Após enorme paragem devido à pandemia, esta competição era esperada com muita expectativa e muito aguardada por todos os adeptos da modalidade.

Não fosse a circulação entre concelhos a estar proibida entre as 20h00 de sexta-feira e as 5h00 de segunda-feira, no âmbito do estado de emergência para combater a pandemia da Covid-19, sem prejuízo das excepções previstas, estávamos perante um fim-de-semana em família. Mas o espírito esteve presente no traçado localizado com o Autódromo Internacional do Algarve e o jovem piloto AUTOLOOK, Diogo Figueiredo de Castro, esteve a um nível muito galvanizador.

Aos comandos de um Fórmula K / IAME X30 na categoria Júnior, o jovem piloto de Lisboa começou por qualificar-se em 6.º nos treinos cronometrados para, posteriormente, evidenciar-se nas duas mangas de qualificação, alcançando o 5.º e 3.º lugar, culminando na quarta posição a pré-final.

Mas o melhor estava reservado para a tão ambicionada final. A prova decisiva, contudo, teve um sabor agridoce. Diogo Figueiredo de Castro rodou no lote dos primeiros a esgrimir argumentos pelo triunfo, acabando a missão no degrau mais baixo do pódio. Porém, e fruto de um erro aquando do arranque, o jovem piloto não evitou uma penalização de 10 segundos e caiu para a sexta posição.

«Devido a um erro que eu cometi no arranque perdi o pódio. Esta corrida foi muito importante para nós e foi um óptimo treino, pois, após este tempo todo de paragem, serviu para mostrar que estamos bem preparados para o início do Campeonato Nacional, no qual vamos tentar disputar o título», sublinhou Diogo Figueiredo de Castro.

Refira-se que Duarte Pinto Coelho largou da “pole position” e foi alternando a liderança com Santiago Alves até à passagem da quinta volta, altura em que este último foi forçado a abandonar. A partir daí, Duarte Pinto Coelho dominou até final, com a volta mais rápida em 1m01,975s, garantindo a tão ambicionada “dobradinha”, já que também se tinha sagrado campeão nacional.

Pedro Cachada, com um andamento forte, garantiu a segunda posição e Francisco Costa assegurou o terceiro lugar, tendo Frederico Pinto Coelho e José Almeida fechado o “top five”. Diogo Figueiredo de Castro, conforme já foi referido, viu a bandeira xadrez na terceira posição, mas a dita penalização relegou-o para o sexto lugar, numa corrida em que Miguel Santos foi sétimo classificado, na frente de Francisco Macedo. Rodrigo Vilaça teve problemas na volta de lançamento, ainda tentou correr atrás do prejuízo, mas viria a abandonar com problemas no seu kart à passagem da terceira volta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *