Descanso para retemperar energias

O norte-americano Ricky Brabec (Honda, nas motos, os espanhóis Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), nos automóveis, os chilenos Francisco Lopez/Juan Pablo Latrach (Can-Am), nos SSV, o seu compatriota Ignacio Casale (Raptor 700), nos “Quads”, e os russos Andrey Karginov/Andrey Mokeev/Igor Leonov (Kamaz), nos camiões, comandam as respectivas classificações, quando o “Dakar” entra na segunda semana.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Automóveis, SSV e camiões são as especialidades em que existem maiores dúvidas quanto ao vencedor, uma vez que nas motos e nos “Quads” a vantagem angariada pelos comandantes pode colocá-los a coberto de qualquer surpresa, o que nas motos significará o fim do domínio da KTM, que vence desde 2001.

No que diz respeito aos portugueses, Paulo Fiúza, que navega Stéphane Peterhansel (Mini), está na corrida pelo triunfo, com a chegada das dunas a poder beneficiar o “Senhor Dakar”, enquanto Filipe Palmeiro vai procurar que o letão Benediktas Vanagas (Toyota) mantenha até final um lugar no “top ten”, para o que a navegação do português pode ser decisiva.

A dupla Ricardo Porém/Manuel Porém (Borgward) está fora da competição mas continua em prova em “Dakar Expirence”, o que significa que não faz parte da classificação.

Algo de semelhante se passa nas motos, com Joaquim Rodrigues (Hero) a estar na mesma situação, enquanto António Maio (Yamaha) é o melhor dos “motards” lusos, depois do tempo perdido por Paulo Gonçalves (Hero), que já recuperou até ao 46.º lugar e que poderá continuar a trepar na classificação na segunda metade da prova.

Pedro Bianchi Prata, companheiro do zimbabuano Conrad Rautenbach (PH-Sport), nos SSV, tem estado perto de levar o piloto à vitória no SS, o que ainda não sucedeu, mas poderá acontecer nas etapas que faltam, o que lhes pode permitir entrar no lote dos cinco primeiros.

Mas num “Dakar” novo para todos e com nova regulamentação, com destaque para o facto dos cadernos de itinerário, considerados por muitos como perfeitos, serem entregues, em alguns dias, à partida para a etapa, tudo pode acontecer e nada está cedido.

7.ª ETAPA COM AREIA E MUITAS DUNAS

Após um dia de descanso, em Riyadh, a capital da Arábia Saudita, a competição está de regresso ao terreno, com o mais longo SS (546 km) da prova, numa etapa que vai lugar Riyadh a Wadi Al-Dawasir, com um SS que tem 56% em areia, 16% em terra e 28% em dunas, que podem provocar alterações na classificação.

 

CLASSIFICAÇÕES

GERAL

MOTOS – 1.º, Ricky Brabec (Honda), 23.43’47”; 2.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 20’56”; 3.º, Toby Pryce (KTM), a 25’39”; 4.º, Jose Cornejo (Honda), a 25’41”; 5.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 32’58”; 6.º, Matthias Walkner (KTM), a 33’39”; 7.º, Luciano Benavides (KTM), a 39’02”; 8.º, Skyler Howes (Husqvarna) a 1.04’50”; 9.º, Stefan Svitko (KTM), 1.07’49”; 10.º, Franco Caimi (Yamaha), a 1.10’24”…; 30.º, António Maio (Yamaha), a 4’12’12”; …; 34.º, Fausto Mota (Husqvarna), a 5’33’01”; …; 38.º, Mário Patrão (KTM), a 6.18’17”; …; 46.º, Paulo Gonçalves (Hero) a 8.05’58”

AUTOMÓVEIS – 1.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), 23.33’05”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Mathieu Baumel (Toyota), a 7’46”; 3.º Stéphane Peterhansel/Paulo Fiuza (Mini), a 16’18”; 4.º, Yazzed Al-Rahji/Konstantin Zhiltsov (Toyota), a 36’46”; 5.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini), a 43’52”; 6.º, Mathieu Serradori/Fabian Lurquin (Century), a 50’19”; 7.º, Giniel De Villiers/Alex Haro(Toyota), a 55’39”; 8.º, Bernard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota), a 1.12’56”; 9.º, Yasir Seaidan/Kuzmich Alexy (Mini), a 2.00’09”; 10.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota), a 2.38’24”.

SSV – 1.º, Francisco Lopez/Juan Pablo Vinagre (Can-Am), 28.52’’26”; 2.º, Casey Currie/Sean Berriman (Can-Am), a 9’48”; 3.º, Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Can-Am), a 30’24”; 4.º, Jose Antonio Lopez/Diego Gil (Can-Am), a 36’31”; 5.º, Mitchell Gunthrie/Ola Floene (Cam-Am), a 47’49; 6.º, Conrad Rautenbach/Pedro Bianchi Prata (PH-Sport), a 1.00’14”

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação