Daniel Ricciardo foi herói no traçado em Monza

Numa corrida acidentada para Verstappen e Hamilton, o australiano terminou as 53 voltas ao traçado de Monza com o tempo de 1h21m54,365s, à frente do companheiro de equipa, o britânico Lando Norris (McLaren), e do finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) em terceiro.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Com uma corrida em que soube aproveitar as circunstâncias que podiam jogar a seu favor, a McLaren conseguiu o 1-2, o que não conseguia desde o GP do Canadá de 2010. Os ingleses Lewis Hamilton e Jenson Button foram os protagonistas, com o segundo a ser o último vencedor ao volante de um carro da equipa, o que aconteceu no GP do Brasil de 2012.

Coube ao australiano Daniel Riccardo (McLaren/Mercedes) fazer a marca regressar às vitórias, naquele que foi o seu oitavo triunfo, o que lhe permite igualar o número de triunfos do seu compatriota Dennis Hulme e o belga Jacky Ickx, e ao lugar mais alto do pódio o que não sucedia desde o GP da China de 2018.

Com um excelente arranque, Daniel Riccardo surpreendeu o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) e assumiu o comando posição que só perdeu quando parou para mudar de pneus, para depressa regressar ao comando, quando os seus adversários fizeram o mesmo, enquanto o inglês Lando Norris (McLaren/Mercedes) mantinha o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) atrás de si.

Lewis Hamilton, que foi o único dos homens da frente a arrancar com pneus duros, com o objectivo de poder fazer um primeiro turno mais longo que os seus opositores e para poder montar pneus macios na fase final.

Já na segunda parte da corrida, o inglês parou na “box” para trocar pneus e regressou à pista à frente de Max Verstappen, cuja paragem nas “boxes” tinha sido catastrófica e o tinha atrasado, com o inglês a chegar à chicane à frente do holandês. Na segunda curva tentou passar por dentro, com o inglês a manter a posição, o que levou os carros a tocarem-se. O Red Bull subiu por cima do Mercedes e a roda traseira direita do carro de Max Verstappen ficou junto à cabeça de Lewis Hamilton, com os dois a ficarem fora de prova.

O holandês mantêm os três pontos de avanço sobre o inglês, mas este acidente, em Monza, depois do ocorrido em Silverstone, vai fazer aquecer ainda mais os duelos nas derradeiras corridas da temporada, pelo que não surpreenderá se os “toques” continuarem a acontecer, numa repetição do conflito entre Ayrton Senna e Alain Prost.

A partir daí os dois homens da McLaren tinham a corrida na mão e não desperdiçaram a oportunidade, com o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), que saiu da derradeira posição da grelha, a fazer uma notável recuperação que o levou ao derradeiro lugar do pódio.

Como consequência dos cinco segundos de penalização aplicados ao mexicano Sergio Perez (Red Bull/Honda), terceiro a cortar a meta, por ter saído da pista e ganho vantagem, o que o relegou para o quinto lugar, atrás, ainda do monegasco Charles Leclerc (Ferrari).

O espanhol Carlos Sainz (Ferrari), o canadiano Lance Stroll (Aston Martin/Mercedes), o espanhol Fernando Alonso (Alpine/Renault), o inglês George Russell (Williams/Mercedes) e o francês Esteban Ocon (Alpine/Renault) terminaram nos restantes lugares pontuáveis.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – Heineken Grand Prix d’Italia

Circuito – Autodromo Nazionale Monza

Extensão – 306,720 km = 53 x 5,793 km

“Pole position” – Max Verstappen (Red Bull/Honda)

Grelha de partida1.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB16B/Honda); Daniel Riccardo (McLaren MCL35/Mercedes); 2.ª linha: Lando Norris (McLaren MCL35/Mercedes); Lewis Hamilton (Mercedes W12/Mercedes); 3.ª linha: Charles Leclerc (Ferrari SF21/Ferrari); Carlos Sainz (Ferrari SF21/Ferrari); 4.ª linha: Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C41/Ferrari); Sérgio Perez (Red Bull/Honda); 5.ª linha: Lance Stroll (Aston Martin AMR21/Mercedes): Fernando Alonso (Alpine A521/Renault); 6.ª linha: Sebastian Vettel (Aston Martin AMR21/Mercedes); Esteban Ocon (Alpine A 521/Renault); 7.ª linha:, 1’10,406”; Nicholas Latifi (Williams FW43B); George Russell (Williams FW43B/Mercedes); 8.ª linha: Yuki Tsunuda (Alpha Tauri AT02/Honda); Nikita Mazepin (Haas VF-21/Ferrari); 9.ª linha: Robert Kubica (Alfa Roneo C41/Ferrari); Mick Schumacher (Haas VF-21/Ferrari); 10.ª linha: Valtteri Bottas (Mercedes W12/Mercedes)

Nota – Valtteri Bottas (Mercedes W12/Mercedes) relegado para a última posição da grelha, por ter trocado de unidade motriz, e Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda) sai da via das “boxes”, por o carro ter sido reparado em período de parque fechado.

Comandantes sucessivos – Daniel Riccardo, da 1.ª à 21.ª volta; Max Verstappen, na 23.ª volta; Lando Norris, na 24.ª volta; Lewis Hamilton, na 25.ª volta; Daniel Riccardo, da 26.ª à 53.ª volta

Volta mais rápida – Daniel Riccardo (McLaren/Mercedes), 1 volta (5,793 km), em 1’24,812” (245,849 km/h)

Vencedor – Daniel Riccardo (McLaren/Mercedes), 53 voltas (306,720 km), em 1.21’54,365” (224,686 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS. PILOTO CARRO MOTOR TEMPO
1.º Daniel Ricciardo McLaren MCL35 Mercedes 1.21’54,365″
2.º Lando Norris McLaren MCL35 Mercedes a 1’747″
3.º Valtteri Bottas Mercedes W12 Mercedes a 4,921″
4.º Charles Leclerc Ferrari SF21 Ferrari a 7,309″
5.º Sergio Perez Red Bull 16B Honda a 8,723″
6.º Carlos Sainz Ferrari SF21 Ferrari a 10,535″
7.º Lance Stroll Aston Martin AMR21 Mercedes a 15,804″
8.º Fernando Alonso Alpine A521 Renault a 17,801″
9.º George Russell Williams FW43 B Mercedes a 19,742″
10.º Esteban Ocon Alpine A521 Renault a 20,868″
11.º Nicolas Latifi Williams FW43 B Mercedes a 23,743″
12.º Sebastian Vettel Aston Martin AMR21 Mercedes a 24,621″
13.º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo C41 Ferrari a 27,216″
14.º Robert Kubica Alfa Romeo C41 Ferrari a 27,769″
15.º Mick Schumacher Haas VF-21 Ferrari a 51,088

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Max Verstappen, 224,5 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 221,5 pontos; 3.º, Valtteri Bottas, 141; 4.º, Lando Norris, 132; 5.º Sérgio Perez, 118; 6.º, Charles Leclerc, 104; 7.º, Carlos Sainz, 97,5; 8.º, Daniel Ricciardo, 83; 9.º, Pierre Gasly, 66; 10.º, Fernando Alonso, 50; 11.º, Esteban Ocon, 45; 12.º, Sebastian Vettel, 35; 13.º, Lance Stroll, 24; 14.º, Yuki Tsunoda, 18; 15.º, George Russell, 15; 16.º, Nicholas Latifi, 7; 17.º, Kimi Raikkonen, 2; 18.º, Antonio Giovinazzi, 1;

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 362,5 pontos; 2.º, Red Bull Racing Honda, 344,5; 3.º, McLaren F1 Team, 215; 4.º, Scuderia Ferrari Mission Winnow, 201,5; 5.º, Alpine Renault, 95; 6.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 84; 7.º, Aston Martin Cognizant F1 Team, 59; 8.º, Williams Mercedes, 22; 9.º, Alfa Romeo Racing Ferrari, 3

Próxima prova – VTB Russia Grand Prix, dia 26 de Setembro, no Sochi Autodrom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *