Dani Sordo é favorito no “Serras de Fafe”

Portugueses, espanhóis, britânicos, chilenos e eslavos aceleram, sexta-feira e sábado, nas icónicas especiais de Fafe para o Rali Serras de Fafe, prova de abertura do Campeonato de Portugal de Ralis.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Como sucede desde 2013, o Rali Serras de Fafe, organizado pelo Demoporto, abre o Campeonato de Portugal de Ralis, este ano contando também para European Rally Trophy (ERT), onde ocupa o lugar deixado vago pelo Rali Vinho Madeira, a Peugeot Rally Cup Ibérica e o Campeonato de Ralis do Norte, o que justifica o elevado número de equipas inscritas.

O facto do traçado integrar as classificativas que serão percorridas na derradeira etapa do Vodafone Rali de Portugal traz ao norte do país, equipas que aproveitam para treinar, em competição, as especiais que podem decidir a mais importante prova do calendário nacional, sendo uma delas a “Power Stage”.

É por isso que o espanhol Dani Sordo (Hyundai i20 R5), com toda a sua experiência do “Mundial”, parte como favorito, restando saber aquilo que os chilenos Alberto Heller (Ford Fiesta R5) e Pedro Heller (Ford Fiesta R5) serão capazes de fazer, embora seja crível que os melhores pilotos nacionais andem à sua frente.

Em termos de Campeonato de Portugal, o ano promete com 19 RC2 na prova de abertura, o que é um bom indicativo daquilo que pode ser a temporada, não faltando candidatos a suceder a Armindo Araújo na lista de campeões, estando na estrada um total de 14 títulos nacionais.

Mais feito ao carro, depois da estreia o ano passado, Armindo Araújo (Hyundai i20 R5) parte como “o homem a bater” e candidatos não faltam.

José Pedro Fontes (Citroën DS3 R5), de volta aos bons velhos tempos, como se viu no final da temporada anterior, Pedro Meireles (VW POlo GTi R5), que estreia um novo carro, que já mostrou ser competitivo, como se viu na Suécia, onde o Olé Christian Veiby venceu o agrupamento, Bruno Magalhães (Hyundai i20 R5), que regressa ao campeonato embalado pelo ritmo ganho no “Europeu”, Ricardo Teodósio (Ford Fiesta R5), vice-campeão nacional, que esteve muito perto do título em 2018, e Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5), cada vez mais adaptado às provas de estrada, constituem o lote de candidatos a suceder a Armindo Araújo, havendo, ainda que contar, na prova inaugural, na luta pela vitória nacional, com Ricardo Moura (Skoda Fabia R5), vencedor da edição anterior, que terá presenças esporádicas no campeonato.

PEUGEOT RALLY CUP IBERICA – Vodafone Rallye de Portugal 2018 Photo: AIFA/Jorge Cunha

PEUGEOT RALLY CUP IBÉRICA

O Rali Serras de Fafe marca, também, o arranque da segunda edição do Peugeot Rally Cup Ibérica competição dividida entre Portugal e Espanha, com três provas em cada país.

Em relação ao ano anterior, apenas o Vodafone Rali de Portugal e o Rali RACC-Catalunha, as duas provas mundiais se mantêm, com os Ralis Serras de Fafe e Terras d’Aboboreira a renderem, em Portugal, as provas de Castelo Branco e do Algarve, enquanto em Espanha os Ralis de Ferrol e Príncipe das Astúrias foram substituídos pelos Ralis Serra Morena e Comunidad de Madrid.

Vinte e três equipas (nove portuguesas, 11 espanholas, uma estónia e duas inglesas) alinham na prova de abertura, onde não estará presente o vencedor do ano passado, o espanhol Robert Blach.

Pedro Antunes, que o ano passado completou o pódio final, atrás de Diogo Gago, é o único dos três primeiros presente e “a jogar em casa” pode ser apontado como favorito.

Mas numa competição na qual os carros são iguais para todos, será o talento de cada um a fazer a diferença, numa prova onde a vitória deverá ser decidida ao segundo.

CAMPEONATO NORTE DE RALIS

O Rali Serras de Fafe marca, ainda, a arranque do Campeonato Norte de Ralis, que conta com 1 equipas, duas delas espanholas. Com o pódio do ano anterior ausente, Daniel Silva (Mitsubishi Colt), que foi quarto em 2 018, vai abrir a estrada, devendo ter em Filipe Madureira (Mitsubishi Lancer IX) o seu mais directo adversário na luta pela vitória.

A ESTRADA

O Rali Serras de Fafe, que arranca na sexta-feira (15h45), tem um total de 355,72 ko dos quais 124,44 km serão cumpridos em 13 provas de classificação. No primeiro dia, os concorrentes cumprem uma dupla passagem pelas especiais de Luilhas (12,82 km – 16.37 e 18.00) e Fafe Street Stage (2,05 km), que tem um novo traçado, com a classificação desta última a ser função da soma dos tempos das duas passagens.

No sábado, a partida será dada às 8h15, com os concorrentes a passarem duas vezes pelos troços cronometrados de Ruivães (9,45 km – 9h00 e 11h28), com novo traçado, S. Pedro (8,02 km – 9h23), que regressa ao percurso do rali (11h51) e Aboim/Rio Vizela (10,32 km – 10h12 e 12h40), que é uma novidade, havendo um reagrupamento (10h53) entre as duas passagens.

O rali encerra com uma dupla passagem por Montim (8,52 km – 14h48 e 16h16) e Lameirinha (10,84 km – 15h16 e 16h44), estando a chegada agendada para as 17h39. Os concorrentes envolvidos no Campeonato de Ralis do Norte terão um prova mais curta, com 160,03 km, dos quais 53,20 km de correm em sete especiais.

Para estes o rali só começa com a dupla passagem pela Fafe Street Stage, para no sábado passarem uma vez por Aboim/Rio Vizela e cumprirem toda a secção da tarde com a dupla passagem por Montim e Lameirinha.

JOAQUIM SANTOS (PILOTOS), MIGUEL OLIVEIRA (NAVEGADORES)  FORD OS MAIS VITORIOSOS

No arranque de mais um Campeonato de Portugal de Ralis, Joaquim Santos (pilotos), Miguel Oliveira (navegadores) e Ford (marcas) estão no topo da tabela das respectivas listas de vencedores e lá permanecerão pelos tempos mais próximos. Criado em 1966, o Campeonato Nacional de Ralis teve, até agora, 504 provas, mas só há 503 vencedores, porque no Rali de Inverno de 1968, ninguém chegou ao fim, como consequência das más condições atmosféricas que se fizeram sentir nesse fim-de-semana. Registe-se o número de vitórias de pilotos, navegadores e marcas, após o campeonato de 2018

VENCEDORES

PILOTOS

39 – Joaquim Santos

30 – Fernando Peres

21 – Adruzilo Lopes, Bruno Magalhães

18 – Armindo Araújo, Américo Nunes

16 – Miguel Campos, Mário Silva

15 – Joaquim Moutinho

14 – Carlos Bica

13 – José Pedro Fontes

12 – Ricardo Moura

10 – Santinho Mendes

9 – José Miguel, “Mêquêpê”, Giovanni Salvi

7 – Manuel Gião, Inverno Amaral, Pedro Matos Chaves, Pedro Meireles, Bernardo Sousa

5 – Markku Alen, António Coutinho, Luís Netto, Sebastien Ogier, Carlos Torres

4 – Andrea Aghini, Giandomenico Basso, Massimo Biasion, Jorge Bica, António Borges, José Lampreia, Heitor de Morais, Rui Madeira, António Carlos Oliveira, Jorge Ortigão

3 – José Pedro Borges, Carpinteiro Albino, António Dieguez, Mário Figueiredo, Piero Liatti, Manuel Inácio, Juha Kankkunen, José Carlos Macedo, Hannu Mikkola, Jorge Nascimento, António Rodrigues, Francisco Romãozinho, Fabrizio Tabaton

2 – João Barros, Craig Breen, Alexandre Camacho, César Torres, “Tony” Fassina, Manuel Gomes Pereira, “Larama”, Sebastien Loeb, Vítor Lopes, Yves Loubet, Tommi Makinen, Colin McRae, Paulo Meireles, Manuel Mello Breyner, Jean-Pierre Nicolas, Carlos Sainz, Patrick Snijers, Bruno Thiry, Carlos Vieira

1 – Mabílio de Albuquerque, Bento Amaral, Hiroki Arai, Didier Auriol, Pedro Azeredo, Basílio dos Santos, Richard Burns, Daniel Carlsson, Dario Cerrato, João Clemente, Pedro Côrtes, Gregoire De Mevius, François Delecour, Alessandro Fiorio, Rui Gonçalves, Juho Hanninen, Mikko Hirvonen, Jan Kopecky, Aly Kridel, Simo Lampinen, Pedro Leal, Paulo Lemos, Piero Liatti, Freddy Loix, Alexey Lukyanuk, Markko Martin, Kris Meeke, Raul Mendonça, Andreas Mikkelsen, Michéle Mouton, Sandro Munari, Thierry Neuville, Ernesto Neves, Ivo Nogueira, “Ominirf”, Mads Ostberg, Alcide Paganelli, Carlos Peres, Pedro Peres, Walter Rohrl, Luca Rossetti, Timo Salonen, Francisco Santos, Vítor Sá, João Santos, Wemer Schweiser, Salvador Serviá, Olivier Tabatoni, Ricardo Teodósio, Jean-Luc Thérier, Henri Toivonen, Renato Travaglia, Ewold Van Bergen, Ari Vatanen, Nicolas Vouilloz, Adartico Vudafieri, Achim Wambold, António Zanini

NAVEGADORES

36 – Miguel Oliveira

27 – Carlos Magalhães

26 – Luís Lisboa

25 – Ricardo Caldeira

18 – Miguel Ramalho

17 – Fernando Prata

15 – Edgar Fortes

13 – António Costa, Pedro de Almeida

12 – Pedro de Almeida

9 – Mário Castro,

8 – Filipe Lopes, Hugo Magalhães, José Nobre, Inês Ponte, Nuno Rodrigues da Silva

7 – Joaquim Neto, Sérgio Paiva, Miguel Villar

6 – Fernando Jorge, Fernando Fonseca, Paulo Grave, José Pedro Silva

5 – Manuel Coentro, Julien Ingrassia, Cândido Júnior, Ilkka Kivimaki, Pina de Morais, Evaristo Saraiva

4 – Paulo Babo, Rui Bevilacqua, Joaquim Capelo, António Morais, José Arnaud, “Barata”

3 – Henrique Alegria, Carlos Barata, José Bernardo, Miguel Borges, Fernando Castelo Branco, José Cotter, Mitia Dotta, Pedro Garcia, Fernando Garcia e Costa, Nicky Grist, Arne Hertz, Tiziano Siviero, Miguel Sottomayor

2 – António Abreu, António Manuel, João Baptista, Pedro Calado, Jorge Eduardo Carvalho Carlo Cassina, Danny Colenbunders, John Davenport, Daniel Elena, Sauro Farnocchia, Horácio Franco, Seppo Harjanne, Jorge Henriques, Imerito, “Jocames”, Alfredo Lavrador, Luís Moya, Juha Piironen, Fabrizia Pons, Stephane Prevot, Luís Ramalho, Raposo Magalhães, Loris Roggia, Ricardo Simões

1 – Gonçalo Aguiar, Fernando Albino, Alessandro Alessandrini, Almeida Marques, Jonas Andersson, Mattias Andersson, Jean-Marc Andrié, João Anjos, Alexey Arnautov, Thierry Barjou, Barbosa da Gama, Vittorio Brambilla, Paulo Brandão, Daniel Breton, Michel Cadier, Pedro Cameira, Carmo Santos, Jorge Carreiro, Giuseppe Cerri, Matteo Chiarcossi, Jorge Cirne, Rui Cunha, Thomas Dorschat, Pavel Dresler, Paul Dunkel, José Ferreira, Tiago Ferreira, Jean Marc Fortin, Ola Floene, Christian Geistdorfer, Nicolas Gilsoul, J. Gomes Pereira, Lorenzo Granai, Daniel Grataloup, Andy Hasley Jacques Jaubert, Nicolas Klinger, Henry Liddon, Glenn MacNeall, Silvio Maiga, Mauro Mannini, Risto Mannisenmaki, Mikko Markkula, Scott Martin, Diogo Mascarenhas, Jorge Mascarenhas, Frederic Miclotte, Aloísio Monteiro, José Montes, Paul Nagle, Nascimento Costa, Ernesto Neves, Nogueira da Silva, Ornelas Camacho, Michael Park, Fabio Penariol, António Pereira, Pedro Perez, Portela de Morais, Robert Reid, Claude Roure, “Rudy”, Nini Russo, Jordi Sabater, Giovanni Salvi, Santos Mendonça, Silva Pereira, Miguel Sousa, Luciano Tedeschini, José Teixeira Teixeira Gomes, Jean Todt, Albino Tristão, Luigi Vale, Minota Van Bergen, António Vicente, Villalobos Santos, Flávio Zanetta

MARCAS

124 – Ford (Escort RS 42; Escort Cosworth, 26; Sierra Cosworth, 15; Fiesta R5, 9; Escort RS 2000, 6; Fiesta S2000, 7; Sierra Cosworth 4×4, 5; RS 200, 4; Focus WRC, 4; Escort WRC, 2; Escort TC, 1; Escort RS Cosworth, 1; Focus RS WRC, 1; Fiesta WRC, 1)

65 – Peugeot (207 S2000, 23; 206 WRC, 17; 306 Maxi, 16; 206 S1600, 4; Peugeot 208 T16, 3; 205 Turbo 16, 1; 208 T16 R5, 1)

38 – Porsche (911 S, 25; 911 L, 3; 911, 2; Carrera, 2; 911 T, 2; SC RS, 1, 997, 1; 997 GT3, 2)

37 – Renault (5 Turbo Corse, 15; 11 Turbo, 11; 8 Gordini, 4; Mégane Maxi, 4; Alpine, 1; Alpine A100, 1; Clio S1600, 1)

35 – Lancia (Delta HF 4WD, 9; Delta Integrale 16V, 9; Delta HF Integrale, 6; Delta Integrale, 4; Stratos, 2; Rallye, 2; Fulvia HF, 1; Delta S4, 1; Delta HF Integrale, 1)

28 – Citroen (DS3 R5, 12; Saxo Kit Car, 7; C4 WRC, 3; ID 20, 1; DS 21, 1; Visa Chrono, 1; DS3 WRC, 1; DS3 R3T, 1 ; C3 R5, 1)

25 – Opel (1904 SR, 12; Kadett GT/E, 9; Ascona 400, 3; Ascona 2.0, 1)

23 – Mitsubishi (Lancer IX, 10; Lancer VIII MR, 8; Lancer VII, 2; Lancer IV, 1; Lancer VI, 1; Lancer X, 1)

23 – Toyota (Corolla WRC, 9; Celica GT-4, 7; Corolla GT-4, 4; Corolla GT, 2; Celica Turbo 4WD, 1)

19 – Datsun (160 J, 9; 240 Z, 7; 1600 SSS, 1; 120Y, 1; 1200 Coupé, 1)

16 – Fiat (131 Abarth, 6; 124 Spyder, 5; Punto S2000, 4; 125 S, 1)

15 – Skoda (Fabia S2000, 8; Fabia R5, 7)

15 – Subaru (Impreza P2000, 5; Impreza, 3; Impreza WRX STi, 3; Impreza 555 WRC, 2; Impreza 555, 1; Impreza WRX, 1;)

12 – Austin (Cooper S, 11; 1275 GT, 1)

8 – BMW (2002, 4; 2002 Alpina, 3; M3, 1)

5 – Morris (Cooper S, 5)

4 – VW (Golf Rallye G60, 2; Polo R WRC, 2)

3 – Audi (Quattro, 3)

3 – Hyundai (Hyundai i20 R5, 2; Hyundai i20 Coupé WRC, 1)

3 – Mazda (RX3, 3)

2 – Vauxhall (Chevette 2.3, 2)

1 – Lotus (Elan S2, 1)

1 – NSU (TT 1200, 1)

1 – Saab (96 V4, 1)

23 CLUBES ORGANIZARAM PROVAS

Desde 1966 foram organizadas 504 provas a contar para o Campeonato de Portugal de Ralis e, curiosamente, são os clubes insulares aqueles que mais provas montaram cabendo ao Club Sports Madeira encabeçar a lista que clubes organizadores

NÚMERO DE PROVAS ORGANIZADAS POR CLUBE

52 – Clube Sports Madeira

49 – Grupo Desportivo e Comercial

47 – Clube Automóvel do Centro, Targa Clube

46 – Automóvel Clube de Portugal

42 – Clube Automóvel da Marinha Grande

40 – Futebol Clube do Porto

30 – Estrela e Vigorosa Sport

28 – Clube 100 à Hora

25 – Clube Automóvel do Algarve

23 – Clube Arte e Sport

20 – Sport Clube do Porto

18 – Racal Clube de Silves

13 – Escuderia de Castelo Branco

10 – Demoporto

7 – Sporting Clube de Portugal

6 – Sport Lisboa e Benfica

3 – Académico Futebol Clube

2 – Académica S. Mamede, Clube Automóvel de Amarante

1 – Aero Clube de Viseu, Grupo Cultural e Desportivo da TAP, Sporting Clube de Aveiro

VENCEDORES DOS RALIS DO DEMOPORTO

SEIS VENCEDORES EM NOVE ANOS

O Rali Serras de Fafe vai ter a sua décima edição, organizada pelo Demoporto, e ao longo dos nove anos anteriores três pilotos venceram por duas vezes.

Pedro Meireles, Ricardo Moura e Bernardo Sousa são os únicos que bisaram, com os dois primeiros a puderem aspirar ao “tri”.

Entre os navegadores sucede o mesmo com Mário Castro, António Costa e Hugo Magalhães a somarem dois triunfos, ainda que o último o tenha feito com pilotos diferentes.

No que diz respeito às marcas, Ford já conseguiu três vitórias, enquanto a Skoda regista dois triunfos.

DUPLAS VENCEDORAS DA PROVA

ANONOMEEQUIPACARRO
 
2010Rali Serras de FafeBernardo Sousa/Nuno Rodrigues da SilvaFord Fiesta S2000
2011Rali Serras de FafeVítor Lopes/Hugo MagalhãesSubaru Impreza N2009
2012Rali Serras de FafePedro Peres/Tiago FerreiraMitsubishi Lancer IX
2013Rali Serras de FafeBernardo Sousa/Hugo MagalhãesPeugeot 207 S2000
2014Rali Serras de FafePedro Meireles/Mário CastroSkoda Fabia S2000
2015Rali Serras de FafeRicardo Moura/António CostaFord Fiesta R5
2016Rali Serras de FafeJosé Pedro Fontes/Inês PonteCitroen DS3 R5
2017Rali Serras de FafePedro Meireles/Mário CastroSkoda Fabia S2000
2018Rali Serras de FafeRicardo Moura/António CostaFord Fiesta R5

NÚMERO DE VITORIAS

PILOTOS

2 – Pedro Meireles, Ricardo Moura, Bernardo Sousa

1 – José Pedro Fontes, Pedro Peres, Vítor Lopes

NAVEGADORES

2 – Mário Castro, António Costa, Hugo Magalhães

1 – Tiago Ferreira, Inês Ponte, Nuno Rodrigues da Silva

MARCAS

3 – Ford (Fiesta S2000, 1; Fiesta R5, 2)

2 – Skoda (Fabia S2000, 1; Fabia R5, 1)

1 – Citroen (DS3 R5, 1); Mitsubishi (Lancer IX, 1); Peugeot (207 S2000, 1); Subaru (Impreza N2009, 1)

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação