Dani Sordo acaba Sardenha na frente

O espanhol chegou ao final do primeiro dia do Rali da Sardenha, oitava prova do Mundial, na frente da classificação, com 10,8 segundos de vantagem para o finlandês Teemu Suninen (Ford Fiesta WRC).

(auto.look2010@gmail.com)

Tarde complicada na Sardenha, com a segunda passagem por Castelsardo (14,72 km) a ser anulada, quando apenas os três primeiros na estrada, o estónio Ott Tanak (Toyota Yaris WRC), o belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC) e o inglês Elfyn Evans (Ford Fiesta WRC), a tinham iniciado, para que a equipa médica pudesse entrar na especial, para socorrer um espectador.

Antes disso, porém, já o finlandês Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris WRC) tinha perdido o comando para o espanhol Dani Sordo (Hyundai i20 Coupé WRC) e para Ott Tanak, por, logo da primeira especial da tarde, ter ficado tombado de lado o que lhe custou seis minutos de atraso na especial e a descida para o 28.º lugar da geral, para acabar por abandonar na derradeira prova de classificação do dia.

A igualdade entre os dois manter-se-ia na especial seguinte, por lhes ter sido atribuído o mesmo tempo, aquele que o finlandês Teemu Suninen (Ford Fiesta WRC) havia feito, em condições normais, mas nas duas últimas especiais, o espanhol ao tirar partido na posição na estrada (nono) isolou-se no comando com o estónio, que abriu a estrada da parte da tarde, em consequência do abandono do francês Sébastien Ogier (Citroen C3 WRC), a não resistir ao ataque de Teemu Suninen e a cair para terceiro atrás do piloto da Ford.

A tarde está, também, a correr mal para Thierry Neuville, com o belga a fazer um pião na primeira e da terceira classificativas da tarde, tendo, nesta última, saído da estrada, para a ela regressar mas com a consequente perca de tempo.

Com tudo isto o belga caiu para sétimo, mas está a menos de um minuto do espanhol e na corrida pela vitória

Entre os RC2, o francês Pierre-Louis Loubet (Skoda Fabia R5) comanda, com 11,0” de vantagem sobre o finlandês Kalle Rovampera (Skoda Fabia R5 Evo) conseguindo superar quem dispõe de um carro mais evoluído do que aquele que tripula.

A etapa de amanhã tem apenas três especiais, todas feitas por duas vezes: Coiluna – Loelle (14,97 km – 8.08 e 16.08), Monti di Alà (28,21 km – 9.11 e 17.11) e Monte Lerno (28,03 km – 10.03 e 18.03), mas integra aquela que é a classificativa mais longa da prova e que tem no seu traçado o Micky’s Jump, um salto que está para a prova italiana como os da especial de Fafe para o Vodafone Rally de Portugal.

CLASSIFICAÇÃO APÓS A 9.ª ESPECIAL – 1.º, Dani Sordo/Carlos Del Barrio (Hyundai i20 Coupé WRC), 1.36’01,5”; 2.º, Teemu Suninen/Jarmo Lehtinen (Ford Fiesta WRC), a 10,8”; 3.º, Ott Tanak/Martin Jarveoja (Toyota Yaris WRC), a 11,2”; 4.º, Andreas Mikkelsen/Anders Jaeger (Hyundai i20 Coupé WRC), a 20,2”; 5.º, Elfyn Evans/Scott Martin (Ford Fiesta WRC), a 20,3”; 6.º, Kris Meeke/Sebastian Marshall (Toyota Yaris WRC), a 29,5”; 7.º, Thierry Neuville/Nicolas Gilsoul (Hyundai i20 Coupé WRC), a 57,7”; 8.º, Esapekka Lappi/Janne Ferm (Citroen C3 WRC), a 1’03,5”; 9.º, Juho Hanninen/Tomi Tuominen (Toyota Yaris WRC), a 2’38,0”, 10.º, Pierre-Louis Loubet/Vincent Landais (Skoda Fabia R5), a 2’50,3” (1.º RC2).

SUÉCIA GARANTE LUGAR ATÉ 2022

Quando se começa a falar no calendário do WRC para 2020, que deverá ser apresentado em breve e quando correm informações de que novas prova integrarão o calendário, restando saber quais as que vão sair para isso acontecer, a Suécia, cuja continuidade no campeonato era posta em causa, por nos últimos anos a neve, que era suposto existir, ter primado pela ausência, anunciou que estabeleceu um acordo, com o promotor, até 2022, garantindo o lugar para 2020.

Entretanto, destaque para a Estónio que, em meados de Julho, organiza uma prova candidata a integrar o calendário do WRC.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação