Dakar 2020 nas areias da Arábia Saudita

De 5 a 17 de Janeiro de 2020, a 42.ª edição do “Dakar” será realizada na Arábia Saudita. Início da prova será dado em Jeddah, coração económico do país, para realizar mais de 9.000 quilómetros até ao futuro complexo de Al Qiddiya, perto do Riyadh, capital onde será efectuado um dia de descanso.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

A francesa Amaury Sport Organisation (ASO), entidade que organiza o “Dakar”, confirmou, de forma oficial, aquilo que há muito tempo era sabido: a edição 2020 da mítica prova criada por Thierry Sabine decorrerá na Arábia Saudita. A 42.ª edição do “Dakar”, que já passou por Portugal, decorrerá de 5 a 17 de Janeiro, com partida em Jeddah, cidade situada junto ao Mar Vermelho, e final em Al Qiddiya, uma cidade criada recentemente, com o dia de repouso a ter lugar em Riyadh, a capital do país, após a primeira semana de competição.

O facto de terem de enfrentar um terreno que é desconhecido, para todos, e onde a areia aparecerá em doses monumentais pode proporcionar surpresas em termos de classificação, sendo quase certo que os “atascanços” serão uma constante da prova.

Para David Castera, o novo director da prova, «é com enorme satisfação que me lanço nesta aventura, com a novidade de irmos percorrer um país onde as possibilidades de construir um percurso, ao mesmo tempo, exigente, equilibrado e variado são enormes, tanto mais que temos a maior liberdade de criação neste território gigantesco, onde encontramos desertos, montanhas, “canyons”, vales e paisagens deslumbrantes».

Na conferência de imprensa, que contou com a presença dos príncipes Abdulaziz bin Turki AlFaisal Al Saud e Khalid bin Sultan Abdullah Al Faisa, participaram também Laia Sanz, Stéphane Peterhansel e Andréa Peter Nielsen, Carlos Sainz, Giniel de Villiers, Adrien van Beveren, Nani Roma, Joana Barreda, Sam Sunderland e, claro, o saudita Yazeed Al Rahji

O Dakar vai descobrir em Janeiro próximo o 30.º país: a Arábia Saudita. Depois de três décadas em solo africano e 11 anos na América do Sul, pilotos e equipas do maior rali de todo-o-terreno do mundo estão convidados a abrir um novo capítulo na história da mítica prova no maior país do Médio Oriente.

O território saudita, limitado a oeste pelo Mar Vermelho e a leste pelo Golfo Pérsico, oferece extensões desérticas com características variadas, permitindo “construir” uma prova capaz de responder às exigências do “Dakar”, com destaque para a condução e velocidade, em que a navegação é de capital importância, além da resistência física dos concorrentes.

Áreas montanhosas, perto da fronteira com a Jordânia, vão permitir aos concorrentes “mergulhar” em verdadeiros labirintos, enquanto as dunas de “Quart vazio”, às vezes com mais de 250 metros de altura, permitirão aos especialistas travessias para se distinguirem.

Feita a apresentação das linhas gerais da prova, em Riyadh, resta esperar pela realização dos reconhecimentos para ficarmos a saber como vai ser a primeira aventura no Médio Oriente. Pela frente vão estar 12 etapas a percorrer ao longo de mais de nove mil quilómetros.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação