CPM JC Group regressa na Serra da Estrela

Após um longo interregno, o Campeonato de Portugal de Montanha JC Group reata actividade e logo no desafiante “tecto” de Portugal Continental. Será sob a batuta do CAMI que a Serra da Estrela recebe um pelotão de cerca de 30 unidades, a prometer um fim-de-semana de acesa competição.

(auto.look2010@gmail.com)

João Fonseca

Os 5.200 metros do traçado da Rampa Serra da Estrela são o forte desafio que acolhe já no próximo fim-de-semana o regresso das lides da Montanha, após a paragem forçada provocada pelo surto pandémico e as dificuldades encontradas para reorganizar o calendário desta época.

A rampa, que já teve foros de chancela europeia, vai integrar as comemorações dos 150 anos de elevação da Covilhã a cidade e apresenta-se com todos os condimentos para entregar um fim-de-semana de grande nível. Uma das novidades na edição deste ano, será a inclusão no programa de uma prova de Regularidade Sport, que será disputada no domingo. Esta competição será dividida entre as categorias de Clássicos (para viaturas construídas entre 1961 e 1990) e Contemporâneos (a partir de 1991).

Joaquim Teixeira

Mas um dos destaques maiores vai para o regresso do campeão absoluto em título às lides do CPM JC Group. João Fonseca, que esta época se decidiu por um ano sabático, interrompeu felizmente essa paragem para competir na prova “de casa”.

Novamente aos comandos do Silver Car EF10 que o guindou a uma época de sonho em 2019, onde conquistou praticamente tudo quanto havia para conquistar, João Fonseca será um osso duro de roer para os outros principais candidatos ao triunfo absoluto e entre os Protótipos.

 

José Correia

Entre eles, vai estar certamente José Correia. O piloto e patrão do JC Group Racing team é o líder do campeonato, após o triunfo na Rampa Porca de Murça, prova onde alcançou a sua primeira vitória absoluta na modalidade. Cada vez mais confiante e, logo, cada vez mais rápido, com a barchetta Osella PA2000 Evo2, José Correia tudo fará para continuar na senda dos triunfos e defender da melhor forma a liderança pontual.

Já Joaquim Rino (BRC Evo 05) e António Rodrigues (BRC CM 05 Evo) vão querer dar continuidade às excelentes exibições e resultados a condizer de Murça, enquanto Hélder Silva, este ano melhor apetrechado com a aquisição de um BRC – BR53, quererá esquecer o abandono na primeira prova e se imiscuir na luta pelo triunfo na Serra da Estrela.

Flávio Saínhas

A categoria Protótipos continua a ser um feudo Porsche. São três as máquinas da marca de Stuttgart e ao comando de uma delas, um 991 GT3 CUP, estará Vítor Pascoal que em Murça não só dominou os acontecimentos nesta categoria, mas ousou ser terceiro à geral. É claramente favorito, tendo de medir forças com o seu colega de equipa Pedro Silva (997 GT3) e com Pedro Marques (991 GT3 CUP), que têm uma forte palavra a dizer na discussão da categoria.

Entre os Turismo, Joaquim Teixeira, vencedor em Murça com o Cupra TCR e Luís Nunes (Ford Fiesta ST R5) assumem claro favoritismo, numa categoria que conta ainda com Gabriela Correia (Seat Leon Supercopa MK3), Manuel Rocha e Sousa (Cupra TCR), Parcídio Summavielle (Renault Clio) e José Carlos Pouca Sorte (BMW M39 na luta por um lugar no pódio final.

Alberto Pereira

Ricardo Gomes continua a sua saga carregada de pioneirismo, ao inscrever o Tesla P100 D EGT. Evoluir este GT eléctrico único no mundo e continuar a sua adaptação a um estilo de condução totalmente diferente são os objectivos principais do rápido piloto bracarense que está, nesta época, a desbravar caminhos tecnológicos na Montanha.

Na nova categoria Legends, são cinco os pilotos que corresponderam “à chamada” do CAMI. Alberto Pereira (Honda Integra Type R) e Carlos Oliveira (Ford Sierra RS Cosworth) quererão dar continuidade às presenças no pódio que conquistaram em Murça, tendo de enfrentar a esperada forte oposição de José Carlos Magalhães (BMW M3) e dos Alfa Romeo 156 Twin Spark tripulados por Raul e Luís Delgado. A luta entre os Legends vai ser acesa!

Nos Clássicos, favoritismo total para Flávio Saínhas (Ford Escort MKI) que terá de o justificar em pista, frente ao VW 1303 de Carlos Fava. Extracampeonato, estão ainda inscritos João Macedo (BMW 328 is) e Bruno Gonçalves (Vauxhall Corsa Turbo).

Quanto às taças 1300, José Pedro Figueiredo (Datsun 1200) e Domingos Fernandes (Autoiachi A112) discutirão a primazia entre os Clássicos, enquanto Francisco Milheiro (Peugeot 106) aparece como favorito na competição para os carros atuais. Enfrentará na luta pela vitória Rui Gama (Peugeot 106) e Eva Laranjeira (Fiat Uno).

O Parque de Assistência da Rampa Serra da Estrela abrirá às 8h00 de sábado, 10 de Outubro. As verificações documentais decorrerão de forma exclusivamente electrónica, em mais uma medida de cumprimento do plano de contingência da prova, enquanto as verificações técnicas decorrerão entre as 9h00 e as 11h00, com escalonamento horário diferenciado consoante as categorias, conforme aditamento publicado.

Os motores começarão a “rugir” às 14h00. A sessão inaugural de “warm-up”, será sucedida das habituais duas sessões de treinos cronometrados, fechando o primeiro dia de competição com a 1.ª subida oficial de prova, aprazada para as 17h30.

No domingo, o programa é reatado às 10h30, com nova sessão de “warm-up”. A terceira e última subida de treinos cronometrados do fim-de-semana decorrerá logo a seguir e antecedendo as duas subidas finais “a doer”, que nos levarão ao fecho da história competitiva da edição 2020 da Rampa Serra da Estrela. O evento terminará com a entrega de prémios, que também decorrerá conforme o plano de contingência da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: