Condutores sem infracções recebem três pontos na carta

Os condutores que, nos últimos três anos, não perderam pontos na carta de condução vão ganhar três pontos, passando dos 12 para os 15.

(auto.look2010@gmail.com)

Os condutores que não registaram quaisquer infracções nos últimos três anos vão receber três pontos extra na carta de condução, uma medida que entra em vigor a partir de domingo, anunciou a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), citada pelo Jornal de Notícias. Contudo, os dados mostram que o número de condutores a ficar sem carta ou em vias de a perder tem estado a aumentar substancialmente.

Desde 1 de Junho de 2016, altura em que entraram em vigor os pontos na carta de condução, 505 pessoas ficaram sem carta de condução e 968 estão em vias de a perder devido à perda da totalidade dos 12 pontos, ficando inibidos de conduzir durante dois anos, referiu a ANSR, em comunicado.

«Dos cerca de 80 mil condutores sancionados com a subtracção de pontos, mais de 60% apenas perdeu dois, correspondendo a uma infracção grave», mostrando que estes números não param de aumentar.

Entre Janeiro e Março deste ano, 73 mil condutores já tinham perdido pontos na carta de condução, de acordo com um balanço da secretaria de Estado da Protecção Civil, um número superior ao registado em todo o ano passado. No primeiro trimestre deste ano, 168 condutores ficaram sem carta de condução, enquanto no mesmo período do ano passado esse valor ficou-se pelos 17.

BÓNUS AOS CONDUTORES BEM COMPORTADOS

Mas para os condutores sem infracções registadas há bonificações. A partir de agora, quem não tiver perdido pontos por não ter cometido nenhuma infracção grave ou muito grave ou crime rodoviário vai receber três pontos extra na carta, passando dos 12 para os 15 pontos. A ANSR acredita que este sistema de pontos é «mais transparente e de fácil compreensão».

No sistema anterior, a perda da carta só acontecia quando, em cinco anos, eram praticadas três infracções muito graves ou cinco infracções entre graves e muito graves. Entre 2011 e 2016, recorda a ANSR, foram apenas cassados dois títulos de condução. Apesar do crescente aumento do número de cartas cassadas, a sinistralidade rodoviária continua a aumentar. No ano passado morreram 512 pessoas nas estradas portuguesas, um número que subiu pelo segundo ano consecutivo, pondo fim a 30 anos de queda.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação