Conceptcars Peugeot: laboratórios de ideias

Para a Peugeot, um conceptcar não é apenas um exercício de estilo. Faz parte de uma verdadeira estratégia de marca. É uma visão apurada da sua imagem que, a longo prazo, fomenta e inspira a sua visão estética e tecnológica. É o equivalente à alta-costura por oposição ao pronto-a-vestir no mundo da moda.

(auto.look2010@gmail.com)

A Peugeot desenvolveu sempre os seus conceptcars para serem funcionais e para que se possam conduzir, a fim de oferecer uma experiência completa, mesmo quando dinâmica. Já há muitos anos que os conceptcars da PEUGEOT têm dimensões realistas (arquitectura e dimensões das rodas) e estão equipados com elementos que podem ser vistos em veículos de produção.

Com 210 anos de história, a Peugeot conta com os seus conceptcars para manter o seu ADN. O primeiro e genuíno exercício de estilo assimilado num conceptcar nasceu em 1984: o Peugeot Quasar. Sendo uma verdadeira montra tecnológica, foi a primeira vez que engenheiros e designers receberam carta-branca para criar um objecto fantástico sem quaisquer restrições industriais.

Gérard Welter, então ainda um elemento da equipa de design, projectou a carroçaria com base num esboço de Eric Berthet. Gérard Welter foi um dos pilares do estilo do Peugeot 205 e tornou-se director de design da marca em 1998, cargo que manteve até 2007. O interior, futurista para a época, foi projectado por Paul Bracq. A base do chassis derivava do lendário 205 Turbo 16, assim como o seu motor, que, para o efeito, foi levado aos 600 cavalos de potência.

Os conceptcars que se seguiram mantiveram sempre um vínculo à competição, um tema muito caro a Gérard Welter. Apresentado no “Goodwood Festival of Speed”, no Reino Unido, entre outros eventos, o Peugeot Proxima era animado por um motor V6 biturbo de 680 CV. Com um motor semelhante, o Peugeot Oxya seria cronometrado a 350 km/h no anel de velocidade de Nardo em 1988.

Em 2010, anunciando a nova tendência de Estilo com a nomeação de Gilles Vidal, o conceptSR1 inaugura uma nova era no design da Peugeot. Em 2012, o Peugeot Onyx seria o primeiro manifesto de Estilo da marca, explorando matérias-primas como o cobre, ou a nova posição do emblema ao centro da grelha. A linha Onyxtornou-se também o primeiro manifesto completo de mobilidade com os concepts de bicicletas e scooters.

Outras tendências estéticas tornar-se-iam reais manifestos da marca, com concepts como o308 R Hybrid ou o 508 Peugeot Sport Engineered desenvolvidos em parceria com a Peugeot Sport. Este último foi a base para um modelo de produção, como foi o caso da shootingbreak 306,para a Fase 2 do modelo, em 1999, do 20♥ para o 206 CC ou do Peugeot RCZ Concept para o coupé com o mesmo nome.

A GÉNESE DE UM CONCEPTCAR

Para desenhar o seu futuro, é fundamental desenvolver outros sectores criativos, preservando o ADN da marca. Quando iniciam a busca de inspiração, os designers procuram sinais apurados de tendências emergentes numa ampla variedade de sectores, como a arquitectura, moda, artes ou novas tendências de mobilidade.

O objectivo é detectar novas expectativas e novas necessidades noutros campos, ir além do mundo automóvel, detectar novas tendências sociais, tudo em benefício dos futuros clientes. Isto aplica-se ao design exterior e interior, bem como na pesquisa de novas cores, materiais ou grafismos.

Uma vez estabelecidas as especificações (ou o a que se chama moodboard), o Departamento de Design da Peugeot lança uma competição interna entre todos os designers. Alguns trabalham dia e noite, incluindo fins-de-semana, para tentar vencer a prestigiante competição. Uma vez definida a lista dos trabalhos seleccionados, são elaborados os modelos digitais e os modelos à escala real (1:1) são esculpidos para definir os volumes e o equilíbrio geral do objecto.

Depois de longas horas de deliberação e aprovação pelos mais altos responsáveis da marca, é eleito o projecto que melhor se enquadra nas especificações iniciais. Seguem-se a digitalização 3D e concepção em CAD (Desenho Assistido por Computador) para projectar um modelo digital de elevada precisão. É então esculpido um novo modelo, mais detalhado, igualmente àescala1:1, usado para apurar os detalhes, ajustes e superfícies e para definir a cor final do concept.

O mesmo processo é seguido para a definição do interior. O projecto é depois confiado às melhores empresas de modelagem, maquete e produção de peças únicas. Estas empresas são as únicas capazes de atender às mais ínfimas necessidades e desejos de um designer.

Um dos maiores desafios na construção de um conceptcar é a limitação de tempo. Muitas vezes é projectado para um grande evento, como uma feira de negócios, para ocupar um lugar de destaque, num stand de exposição; portanto, tem de ser entregue a tempo. Em menos de um ano, é necessário passar de esboços elegantes para um objecto funcional, totalmente finalizado.

Embora, presentemente, as novas ferramentas digitais, como capacetes de realidade virtual ou o sistema C.A.V.E (Cave Automatic Virtual Environment) tornem a componente de design muito mais fácil, a atenção aos detalhes e o refinamento só são possíveis em objectos físicos.

Os conceptcars são, também, uma oportunidade para estabelecer parcerias com PME ou artesãos que estejam na vanguarda nos respectivos sectores. No caso do EXALT, foi criada uma fragrância personalizada para aprimorar a experiência ao nível do olfacto, em parceria com os perfumistas da EX-NIHILO. Para o e-LEGEND, os trabalhos de carpintaria no interior, em textura de madeira “Paldao”, foram moldados pelo fabricante de armários Hervet Manufacturier.

São também estabelecidas outras parcerias com marcas de referência internacional, como foi o caso da SAMSUNG para o INSTINCT ou da FOCAL para os concepts Food truck e FRACTAL.

LABORATÓRIOS DE IDEIAS

Os conceptcars têm desempenhado um papel importante na estratégia de subida em gama da PEUGEOT. O seu nível tecnológico e de sofisticação são uma fonte de desenvolvimento dos veículos produzidos em série.

Os conceptcars são como locomotivas; objectos que congregam todas as forças vivas da empresa, sejam as equipas de Pesquisa & Desenvolvimento, Comunicação ou Marketing. Os concept permitem que as futuras utilizações sejam exploradas em torno de uma visão comum. São vectores reais de inovação utilizados nas diferentes linhas de negócio do Groupe PSA.

Embora certos estudos de estilo tenham inspirado o desenho da carroçaria de certos produtos, deram também um grande contributo para a evolução dos interiores dos modelos produzidos em série. Através da experimentação de materiais inovadores ou de novas interfaces digitais, ouphygital (combinação do físico com o digital), simplifica e transcende a experiência de condução de cada modelo Peugeot.

Cada conceptcar é um verdadeiro laboratório de ideias. Alguns destes estudos foram projectados com inovações muito vanguardistas para o seu tempo. E mesmo que não tenham sido concebidos para a produção em série, muitos dos seus elementos são utilizados em produtos da gama comercial. Eis alguns exemplos:

TOUAREG: em 1996, este pequeno conceptcar com ar de buggy apresenta-se impulsionado por um motor eléctrico alimentado por baterias com uma autonomia de 4 horas. Um pequeno motor de combustão pode aumentara sua autonomia, funcionando como um gerador: nascia o extensor de autonomia!

MOONSTER & 4002: estes dois projectos não surgiram da imaginação dos designers da marca, mas sim de um talentoso conjunto de internautas. Fruto da sua tradição inovadora e precursora, a Peugeot foi o primeiro construtor de automóveis a lançar duas competições internacionais de design, em 2000 e 2002.

O prémio consistia na produção do projecto vencedor à escala 1:1 e a sua apresentação no stand da marca em certames internacionais. Fruto do entusiasmo de Gilles Vidal, director de Design da Peugeot, a marca lançou as “Summer Classes”em 2018. Durante um mês, 12 estudantes de design são recebidos e supervisionados no “Automotive Design Network” (“ADN” para os insiders) de Vélizy Villacoublay. Em total imersão, este conjunto de jovens criativos tem a possibilidade de experienciar o design de quatro projectos sob a orientação de profissionais de design.

SESAME: alta arquitectura e portas laterais eléctricas deslizantes para uma acessibilidade excepcional. Foi a antevisão do 1007.

EX1: no ano do 2.º centenário da marca, o EX1, 100% eléctrico, quebrou três recordes mundiais de aceleração e registou três novos recordes no lendário circuito de Montlhery (França), onde, em 1965, o 404 Diesel havia batidovários recordes de resistência.

SR1: definindo a renovação do estilo da marca, os flancos do 208 Fase 1 são inspirados neste concept, no qual foi também possível ver o Peugeot i-Cockpit® pela primeira vez.

ONYX: carroçaria elaborada numa combinação de fibra de carbono e cobre puro, deliberadamente deixado em bruto; interior realizado num material inovador e ecológico designado “Newspaper Wood”, concebido a partir de jornais usados, amontoados e comprimidos. O Onyx é animado por um V8 HDi Hybrid4 de 600 CV (mais um motor eléctrico auxiliar de 80 CV) construído pela Peugeot Sport e concebido para o 908.

EXALT: a sua silhueta e o seu tablier orientaram os designers na concepção do novo Peugeot 508, a berlina com uma silhueta dinâmica. O revestimento em madeira na bagageira foi utilizado na versão SW na versão limitada “FirstEdition”. O tecido dos bancos salpicado com “riscas de ténis”, inspirou os revestimentos do mais recente Peugeot 3008.

QUARTZ: o tablier deste conceptcar foi utilizado no novo Peugeot 3008: o seu painel de instrumentos holográfico equipa agora, de série, o novo 208, assim como a denominada “grelha em franja”.

FRACTAL: 80% dos seus componentes são impressos em 3D: oferece uma nova experiência áudio 9.1.2 desenvolvida em parceria com a FOCAL.

INSTINTC: a aerodinâmica inteligente e a silhueta shootingbrake foram o prenúncio do novo PEUGEOT508 SW. OINSTINCT também beneficiou de uma parceria com a SAMSUNG. Pela primeira vez na história da Peugeot, o concept não foi apresentado num salão automóvel internacional, mas sim no “Mobile World Congress”, em Barcelona.

e-LEGEND: porque o tédio não faz parte do ADN da marca, porque autonomia não rima com monotonia e porque a transição energética não vai diluir 120 anos de história automóvel, a Peugeot apresentou o e-LEGEND no Salão Automóvel de Paris de 2018. Esta excitante visão do futuro do prazer de condução toma a forma de um veículo desejável e emblemático.

Ao abraçar um conceito realista e radicalmente moderno, esta projecção do futuro do automóvel glorifica os genes e a elegância da herança da Peugeot. Este conceptcar tornou possível modernizar a visão estratégica e editorial da marca, consubstanciadas num filme publicitário exibido em horário nobre em canais de televisão nacionais. Adrenalina garantida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: