“Carrinhos de choque” agitaram a Toscana

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) venceu hoje o Grande Prémio da Toscana de Fórmula 1, nona corrida da temporada, que teve de ser interrompida duas vezes devido a acidentes.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Inacreditável o que sucedeu na estreia do traçado de Mugello no “Mundial” de F1, com a corrida a ser interrompida por duas vezes, na sequência de várias colisões, mas com o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) a vencer, pela 90.ª vez e a ficar a um triunfo do “record” do alemão Michael Schuamcher.

Contra o que é habitual, no arranque o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) surpreendeu Lewis Hamilton, que largou da “pole”, mas de imediato o “Safety Car” entrou em acção, em consequência de um “toque” entre vários carros, do qual resultou o abandono do holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda), terceiro na grelha, mas que partiu mal e foi “engolido” pelos que o seguiam, e do francês Pierre Gasly (Alpha Tauri/Honda), que se estreara a vencer, no passado domingo, em Monza.

Na origem do acidente parece estar o facto de nem todos os pilotos terem esperado pelo momento em que Valtteri Bottas, que encabeçava o pelotão e tinha a responsabilidade de marcar o ritmo, ia relançar a corrida, com alguns a não esperarem pelo “arranque” do finlandês e acelerarem antes do que deviam, o que provocou a carambola e a interrupção da corrida, para limpeza dos destroços.

No recomeço, Lewis Hamilton não se deixou surpreender e assumiu o comando à frente de Valtteri Bottas, mas a corrida voltaria a ser interrompida, na 43.ª volta, em consequência do despiste do canadiano Lance Stroll (Racing Point/Mercedes), provocado por um furo.

“Nova corrida, nova viagem”, com Lewis Hamilton a manter o comando à frente de Valttei Bottas, para mais 1-2 dos “flechas negros”, com o inglês Alexander Albon (Red Bull/Honda) a subir pela primeira vez ao pódio, depois de levar a melhor sobre o australiano Daniel Riccardo (Renault).

No final, o Lewis Hamilton revelava que «foi um dia incrivelmente duro, em que tivemos três corridas, e na parte final a preocupação era não deixar o Valtteri entrar em zona de DRS, o que foi difícil para conservar a eficácia dos pneus, porque no último recomeço montámos pneus macios usados»

Por sua vez, Valtteri Bottas não escondia o seu descontentamento depois «de ter feito um excelente arranque e de estar na frente quando o primeiro “Safety Car” apareceu, mas depois não tive oportunidade de o apanhar»

Feliz estava Alexander Albon que reconhecia que «levou tempo a chegar aqui, mas é muito bom, apesar de ter sido difícil, embora não esconda que as bandeiras vermelhas ajudaram»

Atrás do australiano, e nos lugares pontuáveis, classificaram-se o mexicano Sergio Perez (Racing Point/Mercedes), o inglês Lando Norris (McLaren/Renault), o russo Daniil Kvyat (Alpha Tauri/Honda), o monegasco Charles Leclerc (Ferrari), o finlandês Kimi Raikkonen (Alfa Romeo/Ferrari) e o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) que, nas derradeiras voltas superou o inglês George Russell (Williams/Mercedes), que esteve perto de dar os primeiros pontos à equipa.

O finlandês perdeu o oitavo lugar por ter sido penalizado em cinco segundos, por ter cruzado a linha de entrada nas “boxes”.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – Pirelli Gran Premio della Toscania Ferrari

Circuito – Mugello

Extensão – 309,497 km = 59 x 5,245 km

“Pole position” – Lewis Hamilton (Mercedes W11/Mercedes), 1 volta (5,793 km), em 1’15,144” (251,277 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’15,144”; Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’15,203”; 2.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB16/Honda), 1’15,509”; Alexander Albon (Red Bull RB16/Honda), 1’15,954”; 3.ª linha: Charles Leclerc (Ferrari SF1000/Ferrari), 1’16,270”; Lance Stroll (Racing Point RP20/Mercedes), 1’16,356”; 4.ª linha: Sergio Perez (Racing Point RP20/Mercedes), 1’16,311”; Daniel Ricciardo (Renault RS20/Renault), 1’16,543”; 5.ª linha: Carlos Sainz (McLaren MCL35/Renault), 1’17,870”; Esteban Ocon (Renault RS20/Renault), sem tempo; 6.ª linha: Lando Norris (McLaren MCL35/Renault), 1’16,640”; Daniil Kvyat (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’16,854”; 7.ª linha: Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’16,854”; Sebastian Vettel (Ferrari SF100/Ferrari), 1’16,858”; 8.ª linha: Romain Grosjean (Haas VF-20/Ferrari), 1’17,254”; Pierre Gasly (Alpha Tauri AT01/Honda), 1’17,125”; 9.ª linha: Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C39/Ferrari), 1’17,220”; George Russell (Williams FW43/Mercedes), 1’17,232”; 10.ª linha: Nicholas Latifi (Williams FW43/Mercedes), 1’17,320”; Kevin Magnussen (Haas VF-20/Ferrari), 1’17,348”.

Nota – Sérgio Perez (Racing Point RP20/Mercedes) penalizado em um lugar, por ter colidido com Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C39/Ferrari) quando este saia da “box”

Comandantes sucessivos – Valtteri Bottas, da 1.ª à 9.ª volta; Lewis Hamilton, da 9.ª à 59.ª volta

Volta mais rápida – Lewis Hamilton (Mercedes W11/Mercedes), 1 volta (5,245 km), em, 1’18,833” (239,518 km/h)

Vencedor – Lewis Hamilton (Mercedes W11/Mercedes), 59 voltas (309,497 km), em 2.19’35,060” (133,036 km/h)

Classificação

POS. PILOTO CARRO MOTOR TEMPO
1.º Lewis Hamilton Mercedes W11 Mercedes 2.19’35,060”
2.º Valtteri Bottas Mercedes W11 Mercedes a 4,880″
3.º Alexander Albon Red Bull RB16 Honda a 8,064″
4.º Daniel Ricciardo Renault RS20 Renault a 10,417″
5.º Sergio Perez Racing Point RP20 Mercedes a 15,650″
6.º Lando Norris McLaren MCL35 Renault a 18,883″
7.º Danill Kvyat Alpha Tauri AT01 Honda a 21,756″
8.º Charles Leclerc Ferrari SF1000 Ferrari a 28,345″
9.º Kimi Raikkonen Alfa Romeo C39 Ferrari a 29,770″
10.º Sebastian Vettel Ferrari SF1000 Ferrari a 29,983″
11.º George Russell Williams FW 43 Mercedes a 32,404″
12.º Romain Grosjean Haas VF-20 Ferrari a 42,036″

Classificações dos “Mundiais”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 190 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 135; 3.º, Max Verstappen, 110; 4.º, Lando Norris, 65; 5.º, Alexander Albon, 63; 6.º, Lance Stroll, 57; 7.º, Daniel Ricciardo, 53; 8.º, Charles Leclerc, 49; 9.º Sérgio Perez, 44; 10.º, Pierre Gasly, 43; 11.º, Carlos Sainz, 41; 12.º, Esteban Ocon, 30; 13.º, Sebastian Vettel, 17; 14.º, Daniil Kvyat, 10; 15.º, Nico Hulkenberg, 6; 16.º, Kimi Raikkonen, 2; 17.º, Antonio Giovinazzi, 2; 18.º, Kevin Magnussen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes-AMG Petronas F1 Team, 325 pontos; 2.º, Aston Martin Red Bull Racing, 173; 3.º, McLaren F1 Team, 106; 4.º, BWT Racing Point F1 Team, 92; 5.º, Renault DP World F1 Team, 83; 6.º, Scuderia Ferrari, 66; 7.º, Scuderia Alpha Tauri Honda, 53; 8.º, Alfa Romeo Racing ORLEN, 4; 9.º, Haas F1 Team, 1

Próxima prova – VTB Russian Grand Prix, no Sochi Autodrom, dia 27 de Setembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: