Carlos Sainz já pensa no Dakar de 2022

O piloto madrileno, que recebeu o Troféu Lenda no decorrer da 73.ª edição da Grande Gala do Mundo Desportivo, revelou que ambiciona regressar à prova da Amaury Sport Organisation para não ficar com um amargo de boca depois do terceiro lugar este ano.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

“El Matador” ainda não digeriu o terceiro lugar alcançado este ano no Dakar. Pelo menos não escondeu esse amargo de boca na entrega do Troféu Lenda na 73.ª edição da Grande Gala do Mundo Desportivo.

O piloto espanhol, que fez equipa na edição deste ano com o compatriota Lucas Cruz ao volante de um Mini JCW Buggy preparado pela germânica X-Raid, referiu que «ainda não existe qualquer projecto» para a prova mais dura de todo-o-terreno do mundo, mas «gostava de regressar com garantias de lutar pelo triunfo».

Aos 58 anos de idade, Carlos Sainz ainda tem o “bronze” da edição deste ano atravessado na garganta, razão pela qual está fortemente empenhado em regressar à prova da Amaury Sport Organisation (ASO) para mais um “tira-teimas”, acelerando para o quarto triunfo no Dakar. O piloto madrileno, recorde-se, já logrou a vitória absoluta em 2010, 2018 e 2020, com três marcas diferentes (Volkswagen, Peugeot e Mini).

Para além de querer regressar ao Dakar já no início do próximo ano, “El Matador” está fortemente empenhado em participar, este ano, na primeira temporada do Extreme E, competição lançada em Outubro passado e que promete levar os veículos eléctricos para fora de estrada.

Para esta missão, o madrileno Carlos Sainz terá como companheira de equipa a catalã de Corbera de Llobregat, Laia Sanz. A jovem piloto, que este ano defendeu as cores da GAS GAS Factory Racing para completar com sucesso seu 11.º Dakar consecutivo – terminou na 17.ª posição –, junta-se o veteraníssimo com vários anos de experiência nos ralis e no Dakar para assumirem o volante do SUV eléctrico Odyssey 21 da Acciona / Sainz XE Team.

«Trata-se, sem margem para dúvidas, de um novo tipo de competição no mundo dos desportos motorizados e não apenas pelo tipo de carro, que é 100% eléctrico, mas por causa do formato», sublinhou Carlos Sainz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *