Candidatos não faltam no Rali da Suécia

Depois de um início de temporada escaldante em Monte Carlo, pilotos, máquinas e equipas estão prontos para “atacar” Rali da Suécia com as suas “armas” e sair do país nórdico com o triunfo.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Sébastien Ogier

O campeão do mundo, o francês Sébastien Ogier (Citroën C3 WRC), venceu o Rali de Monte Carlo, prova de abertura do WRC (Campeonato do Mundo de Ralis), e chega às estradas coberta de neve da Suécia no comando do campeonato, com oito pontos de avanço sobre o belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC), que venceu, a prova sueca, o ano passado.

Moralizado por esse triunfo, o belga quererá “vingar” a derrota em Monte Carlo, onde um erro lhe terá custado a vitória, com o duo franco-belga a ter de preocupar-se com os pilotos nórdicos.

 

Thierry Neuville

O finlandês Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris WRC) encabeça a lista de candidatos a contrariar o favoritismo dos dois primeiros do campeonato, mas não será de excluir o estónio Ott Tanak (Toyota Yaris WRC), que confirmou, em Monte Carlo, a rapidez vista o ano passado e que se traduziu no triunfo em todas as especiais do terceiro dia e em ser o piloto que mais classificativas venceu na prova monegasca (sete).

Um furo impediu-o de lutar pelo triunfo e o francês Sébastien Loeb (Hyundai i20 Coupé WRC), que, mais adaptado ao carro estreado em Monte Carlo, pode entrar na discussão da vitória, e o inglês Kris Meeke (Toyota Yaris WRC), que parece recuperado, do ponto de vista psicológico, depois do mau ano anterior, com a acção de Tommi Makinen, o patrão da equipa, a poder ter sido determinante, nessa recuperação.

Ott Tanak

Tal como em Monte Carlo, tudo aponta para uma discussão intensa pela vitória, numa prova, onde as saídas de estrada, por norma custam “caro”, por os carro ficarem presos nos bancos de neve que as ladeiam.

A ESTRADA

Se as estradas do sul de França, cenário da prova monegascas, apresentaram diferentes condições de aderência, o que tornou determinante a escolha de pneus, nas estradas suecas a neve será uma constante e os pneus de pregos serão usados por todos os participantes.

Como é habitual, a prova arranca, na quinta-feira, de Karlstad, cenário da super-especial de abertura, para de seguida a caravana rumar a Torsby, que funciona como centro nevrálgico da competição.

Kris Meeke

No dia seguinte, duas das provas de classificação, uma delas a de maior extensão (24,88 km), decorem na Noruega e a terceira Suécia, todas feitas por duas vezes, com o dia a terminar numa curta classificativa, que termina junto ao Parque de Assistência em Torsby.

No sábado, nova dupla passagem por três classificativas, com o destaque a ir para a especial de Vargasen, onde está em jogo um troféu, destinado aquele que fizer o maior salto em Colin’s Crest, que recorda o falecido Colin McRae.

 

Sébastien Loeb

À partida para a edição deste ano o “record”, de 46 metros, dura desde 2016 e pertence ao norueguês Eyvind Brynildsen (Ford Fiesta R5). O dia termina com uma nova passagem pela super-especial de Karlstad e pela super-especial de Torsby.

Finalmente, no domingo, haverá uma dupla passagem por uma especial, com a segunda passagem pela especial de Torsby, que fechou o dia de sexta-feira a funcionar como “Power Stage”.

Ao todo serão 1.466,63 km de percurso, dos quais 319,17 km se cumprem em 19 provas de classificação.

FICHA DA PROVA

Rali – Suécia

Data – 15/18 de Fevereiro

Organizador – Svenska Rallyt AB

Estrutura – 1.466,63 km divididos por quatro etapas: Karlstad – Torsby (104,23 km); Torsby – Torsby (548,10 km); Torsby – Torsby (611,09 km); Torsby – Torsby (203,21 km).

PC – 19 (1 + 7 + 8 + 3)

Extensão das PC – 319,17 km (1,90 km + 138,78 km + 126,55 km + 51,94 km)

Percentagem das PC – 21,76 %

Inscritos – 62 (14 RC1, 30 RC2, 15 RC4, 3 CN)

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”, ANTES DA PROVA SUECA

PILOTOS – 1.º Sébastien Ogier, 29 pontos; 2.º Thierry Neuville, 21; 3.º Ott Tanak, 17; 4.º Kris Meeke, 13; 5.º Sébastien Loeb, 12; 6.º Jari-Matti Latvala, 10; 7.º Gus Greensmith, 6; 8.º Yoann Bonato, 4; 9.º Stéphane Sarrazin, 2; 10.º Adrien Fourmaux, Teemu Suninen, 1

MARCAS – 1.º Hyundai Shell Mobis WRT, 30 pontos; 2.º Citroën Total WRT, 25; 3.º Toyota Gazoo Racing WRT, 25; 4.º M-Sport Ford WRT, 14

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação