Campeão José Lameiro estreia-se a vencer este ano

Segundo dia de acção na pista do Alto do Roçário repleto de competitividade após um sábado longo e cheio de surpresas nesta terceira jornada do Campeonato de Portugal de Ralicross by Diatosta organizada pelo Vouga Sport Clube.

(auto.look2010@gmail.com)

Com condições climatéricas bem mais estáveis que no sábado, este segundo dia de competição na pista do Alto do Roçário, palco da terceira jornada do RX Portugal by Diatosta, voltou a revelar-se muito animado, com os pilotos a darem o máximo para lutarem pelas melhores posições.

Sem Oscar Ortfeld nos Super Cars, em consequência do aparatoso acidente de sábado do italo-sueco, caminho livre para os restantes concorrentes lutarem pela vitória e darem a conhecer um novo vencedor pela primeira vez este ano na categoria rainha do RX Portugal by Diatosta.

Um desafio a que José Lameiro acabou por responder da melhor forma com um triunfo inesperado. Pontualmente aos comandos de um Citroën DS3 especificação R5, o campeão em título garantiu o primeiro triunfo do ano numa jornada em que se apresentou com um carro claramente menos performante que os dos rivais.

Um resultado em que poucos apostariam à partida, mas que acabou por dar novo ânimo à luta pelo título e deixando antever uma ronda muito disputada na próxima visita a Montalegre, de 23 a 25 de Julho. No segundo lugar ficou Joaquim Santos, enquanto Pedro Matos, que fez um regresso pontual ao Ralicross nesta jornada de Sever do Vouga, acabou por desistir na final depois de ter sido o mais forte nas corridas de qualificação.

Como não podia deixar de ser, emoções muito fortes naquela que é uma das mais concorridas grelhas deste Campeonato de Portugal de Ralicross by Diatosta, os Super 1600. João Ribeiro veio ao Alto do Roçário para dominar o fim-de-semana de início a fim, reforçando assim a liderança no Campeonato.

Depois de garantir a vitória em três das quatro corridas de qualificação e de ter assegurado o melhor tempo das duas meias-finais, o piloto do Skoda Fabia teve tarefa mais árdua na final, com Mário Teixeira a impor-se na partida com o Ford Fiesta. Sem desistir, Ribeiro não descolou de Teixeira.

Contudo, incapaz de encontrar uma porta aberta para salta para a liderança, o líder do Campeonato optou por fazer a Joker Lap antes de Teixeira, o que se revelou determinante para garantir o triunfo. Quem também apresentou uma estratégia perfeita foi André Sousa que, tal como Ribeiro, logrou passar Teixeira no regresso à pista após a Joker Lap para terminar no intermédio do pódio. Já Mário Barbosa foi tocado pelo azar e foi forçado a abandonar ainda antes da partida devido a problemas no seu Citroën AX.

Já no Nacional 1.6, outra das prestações dominadoras do fim-de-semana por parte de André Ferreira. Líder do Campeonato e vencedor da última jornada em Montalegre, o piloto do Peugeot 106 já tinha dado mostras dos seus intentos nas corridas de qualificação e provou isso mesmo na final deste domingo ao triunfar sem qualquer margem para dúvidas.

Atrás dele acabou por concluir Rafael Rocha. Depois de não ter alinhado em Lousada, o piloto do Citroën Saxo apresentou-se ao mesmo nível que em Montalegre e voltou a ser segundo, batendo Telmo Costa.

NAS 2 RODAS MOTRIZES, DESAIRE PARA CELMO GUICHO.

Líder do Campeonato à chegada a esta jornada do Vouga Sport Clube, o piloto do Renault Clio até começou bem o fim-de-semana com a liderança após as quatro corridas de qualificação, mas acabou depois por não alinhar na meia-final.

Assim, e com Celmo Guicho fora do embate final, Adão Pinto acabou por chamar a si todas as atenções ao vencer a final após uma prestação exemplar. Luís Carvalho, segundo no Campeonato antes desta jornada, ainda tentou o triunfo, mas não encontrou os argumentos necessários e teve de se contentar com o intermédio do pódio, à frente da campeã em título, Andreia Sousa.

Enquanto isso, nos Iniciados, o líder da classificação Jorge Rego não deixou os créditos por mãos alheias. Depois de ter garantido três vitórias em quatro possíveis nas rondas de qualificação, o jovem do Citroën Saxo entrou para a final ao ataque e assumiu desde a partida.

Sem nunca baixar o ritmo, Rego foi-se isolando na frente do pelotão para triunfar sem qualquer dificuldade, repetindo o mesmo nível de prestação que já tinha apresentado em Lousada e na primeira visita a Montalegre. Mais disputada foi a luta pela segunda posição, com Gonçalo Novo a acabar por levar a melhor sobre André Monteiro nos metros finais ao conseguir uma fantástica ultrapassagem por dentro a duas curvas da bandeira de xadrez.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *