Camiões impõem-se na Africa Eco Race

Na luta pela vitória, o belga Igor Bouwens foi o mais rápido ao volante de uma Iveco, com o francês Yves Fromont, em Buggy, a cotar-se o segundo mais rápido, numa etapa em que os portugueses voltaram a sentir problemas.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Apesar de estar ao volante de um “peso pesado”, o belga Igor Bouwens (Iveco) foi o mais rápido no SS, bateu o francês Yves Fromont (Buggy), que comanda a prova, por mais de 15 minutos e reduziu a sua desvantagem para 14m51s, com o hungaro Miklos Kovacs (Scania), noutro “peso pesado”, a fazer o terceiro tempo e a ficar a 1’42” do comando.

Na luta pela vitória está também Patrick Martin (Mercedes Benz) “entalado” entre os dois pesos pesados, com os quatro a estarem separados por menos de 15 minutos, enquanto o quinto, o húngaro Karoly Fazekas (Scania) está já mais de duas horas do primeiro lugar.

A quarta etapa do Africa Eco Race cumprida entre Assa e Sidi Laroussi na distância de 385,39 quilómetros, voltou a ser madrasta para os irmãos portugueses Fernando e Nuno Barreiros que, aos comandos de um Isuzu, não foram além do 50.º lugar.

Não obstante de ter sido quarto no SS, ganho pelo inglês Lyndon Poskitt (KTM), o norueguês Pal Anders Ullevalseter (KTM) ganhou 2’35” ao italiano Alessandro Botturi (KTM), sexto no SS, e reduziu para nove segundos, o atraso em relação ao ser adversário, que conserva o comando nas duas rodas.

O anadiense João Rolo, aos comandos de uma KTM, terminou na 71.ª posição que, à semelhança dos irmãos Barreiros, nos automóveis, conheceu uma etapa bastante difícil.

ETAPA DESTE SÁBADO

Dia longo, amanhã, com os concorrentes a percorrerem 686,40 km entre Samara e Dakhla, onde os espera, no domingo, um dia de repouso. A partida para o SS, de 473,17 km, será dada após uma curta ligação (1,47km), entre o acampamento e o local de partida, para depois de terminado o SS, em Wad Assag, haver uma longa ligação (211,76 km) até Dakhla.

Etapa difícil para a navegação, por haver várias pistas paralelas, num traçado desértico, onde não será fácil encontrar o percurso ideal.

CLASSIFICAÇÕES

4.ª ETAPA (395,08 KM)

MOTOS – 1.º, Lyndon Poskitt (KTM), 5.02’45”; 2.º, Konrad Dabrowski (KTM), a 5’40”; 3.º, Paolo Lucci (Husqvarna), a 6’44”; 4.º, Pal Anders Ullevalseter (KTM), a 7’05” 5.º, Jacek Czachor (KTM), a 8’01”; (…); 70.º João Rolo (KTM),

AUTOMÓVEIS/CAMIÕES – 1.º, Igor Bouwens/Ulrich Boerboom/Frits Driesmans (Iveco), 4.28’18”; 2.º, Yves Fromont/Jean Fromont (Buggy), a 15’54” ; 3.º, Miklos Kovacs/Laszlo Acs/Peter Czegledi (Scania), a 16’43”; 4.º, Patrick Martin/Lucas Martin (Mercedes Benz), a 27’35”; 5.º, Johan Elfrink/Dirk Schuttel (Mercedes Benz) a 32’25”

GERAL

MOTOS – 1.º, Alessandro Botturi (Yamaha), 15.37’’14”; 2.º, Pal Anders Ullevalseter (KTM), a 9”; 3.º, Lyndon Poskitt (KTM), a 21’10”; 4.º, Paolo Lucci (Husqvarna), a 36’55”; 5.º, Jacek Czachor (KTM), a 41’36”

AUTOMÓVEIS/CAMIÕES – 1.º, Yves Fromont/Jean Fromont (Buggy), 15.36’18”; 2.º, Miklos Kovacs/Laszlo Acs/Peter Czegledi (Scania), a 1’42”; 3.º, Patrick Martin/Lucas Martin (Mercedes Benz), a 12’44”; 4.º, Igor Bouwens/Ulrich Boerboom/Frits Driesmans (Iveco), a 14’51”; 5.º, Karoly Fazekas/Albert Horn/Peter Csakany (Scania), a 2.09’10”.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação