Bianchi Prata e a corrida mais dura do mundo

Piloto Puretech, 10 vezes finalista do Rali Dakar em duas rodas, apresentou, no Marco de Canavezes, o documentário The Hardest Race in The World. Para Pedro Bianchi Prata, o Dakar é um modo de vida…

(auto.look2010@gmail.com)

Realizado por João Sá e visto pela em antestreia no Lisbon Motorcycle Film Festival, no cinema São Jorge em Lisboa, o documentário The Hardest Race in The World retrata, em seis episódios, o dia a dia da última edição do maior rali de todo-o-terreno do Mundo.

Como sublinhou o piloto apoiado pela Puretech/Michelin, «estas são imagens que vão muito além dos 22 dias e acabam por transmitir muito mais, revelando as emoções, o sofrimento, as conquistas e derrotas vividas ao longo de 30 anos de corrida. Não é o documentário biográfico, mas espelha bem o mais importante de uma vida desportiva».

Imagens que refletem as vivências de toda uma equipa reunida em prol do objetivo maior de levar todos os pilotos ao final, mostradas de forma ora divertida, ora dramática. Mescla de sentimentos tão forte que, em cerca de 30 minutos, conseguiu arrancar da família, amigos e patrocinadores presentes no Emergente Centro Cultural, no Marco de Canaveses, sorrisos e esgares de preocupação, gargalhadas e solidariedade perante os medos alheios.

Com moderação a cargo da apresentadora de televisão Maria Botelho Moniz – e namorada de Pedro Bianchi Prata –, a sessão contou ainda com uma animada conversa entre piloto e público, desvendando algumas histórias de uma carreira que conta com mais de uma dezena de títulos nacionais, europeus e mundiais de enduro e todo-o-terreno.

Contou até alguns detalhes da vivência por aqueles dias, do saco-cama comprado pelo pai e que o acompanha desde o seu primeiro Dakar aos amuletos oferecidos pelos sobrinhos. Orgulhou-se dos triunfos conseguidos pelos pilotos que ajudou a lançar-se na prova mais dura do Mundo. Riu-se das asneiradas que escaparam durante as filmagens (“e onde faltam os pis”). E não conseguiu esconder emoções fortes ao recordar Paulo Gonçalves.

Para Pedro Bianchi Prata este é o resultado de «uma ideia bem diferente e arrojada, para assinalar três décadas de corridas, que está em fase final de produção e deverá ir para o ar antes da próxima edição do Dakar».

O marcuense, explica ainda que «estão a ser ponderadas várias possibilidades para levar este documentário ao maior número de pessoas possível, tanto em televisão de canal aberto como em plataformas de streaming».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.