Bianchi Prata com “Speedy” no pensamento

Piloto de Marco de Canaveses subiu hoje um lugar na classificação dos SSV no Rali Dakar de todo-o-terreno após uma oitava etapa, em que teve Paulo “Speedy” Gonçalves «no pensamento».

(auto.look2010@gmail.com)

Pedro Bianchi Prata, navegador do zimbabueano Conrad Rautenbach, enfrentou «um dia muito longo», numa etapa em que a dupla da PH Sport terminou no nono lugar, a 22m06ss do vencedor da tirada, o brasileiro Reinaldo Varela.

«Cada quilómetro parecia demorar horas (a passar) dentro do carro, cada perigo parecia ter em si o dobro do perigo. Não perdi a concentração, foquei-me o máximo possível, mas o SSV desta segunda-feira não estava nos seus dias pelo que andámos muito tranquilos. Havia partes com muita pedra, não quisemos furar. Nas dunas andámos bem, não cometemos erros nenhuns», começou por explicar Pedro Bianchi Prata.

«O Dakar prepara-se para entrar no Rub’ al-Khali ou Empty quarter, um dos maiores desertos do mundo e a maior área contínua de areia do mundo. O principal factor será a precisão de condução num terreno maioritariamente duro e irregular, que requer especial cautela», explicou Pedro Bianchi Prata, que espera «um dia duro, muito duro», depois de uma jornada em que foi difícil manter a concentração.

Pedro Bianchi Prata lembrou a morte do piloto português Paulo Gonçalves no domingo após uma queda ao quilómetro 276 da sétima de 12 etapas da 42.ª edição do Rali Dakar de todo-o-terreno: «Foi muito difícil este primeiro dia a saber que o Paulo não está cá. Pus o despertador para as 5h15 e acordei eram 4h30. Acordei a desejar que fosse um pesadelo, mas é a realidade. Um abraço a todos e vamos tentar continuar aqui fortes», concluiu o piloto de Marco de Canaveses.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação