Bernhard Ten Brinke conquista Baja Portalegre 500

Holandês venceu pela primeira vez a Baja Portalegre 500, a mais emblemática prova de todo-o-terreno que pontuou para a Taça do Mundo da especialidade, com Miguel Barbosa a sair do Alto Alentejo com o título de campeão nacional.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com) – Fotos: JR BRANCO E PAULO MARIA/ACP MOTORSPORT

O holandês Bernhard Ten Brinke (Toyota Hilux Overdrive) venceu a encurtada edição da Baja Portalegre 500, depois de ter visto o russo Vladimir Vasilyev (Mini Cooper Countryman) igualar o seu tempo no SS de hoje, depois do holandês ter feito a parte final do SS com um furo no pneu dianteiro esquerdo, com Miguel Barbosa (Toyota Hilux Overdrive) a recuperar o título nacional, que não era seu desde 2015.

 

As más condições atmosféricas, que tornaram o piso quase impraticável, que se sentiram ontem e que levaram a organização da anular o segundo SS, para os automóveis, fizeram com que a Baja Portalegre 500, hoje, em vez de ter dois SS, um com 164,13 km, o outro com 178,18 km, tivesse só um com escassos 79,00 km, em lugar dos mais de 300 km que estavam previstos e que prometiam duelos intensos nas pistas alentejanas.

A situação obrigou a um intenso trabalho nocturno para avaliação das condições do terreno, para encontrar a melhor alternativa, que passou pela anulação daquele que seria o SS3, por causa do caudal das ribeiras, e encurtar o SS4, com o aproveitamento das partes onde esse problema não existia.

Entretanto, a anulação da Baja Idanha-a-Nova, reduziu o CPTT/AM48 a cinco provas, das quais os pilotos escolhiam quatro para pontuar e aproveitavam as três melhores pontuações, situação regulamentar que permitiu a Miguel Barbosa (Toyota Hilux Overdrive), apesar do abandono, ontem, ainda na fase inicial so SS, conquistar o oitavo título, recuperando o ceptro, que tinha alcançado, pela última vez, há cinco anos.

O belga Bernhard Ten Brinke, navegado por Tom Colsoul, em Toyota Hilux Overdrive, sagrou-se vencedor da prova organizada pelo ACP Motorsport, depois de um Sector Selectivo em que o russo Vladimir Vasilyev (Mini Cooper Countryman) a efectuar o mesmo tempo, com o belga Guillaume De Mevius (Can-Am Maverick X3) a perder tempo, sendo 12.º no SS, e garantir o segundo lugar, intercalando-se entre os dois mais rápidos do SS.

 

Alejandro Martins e José Marques, ao comandos de um Mini Jow Rallye, foram os melhores representantes portugueses, terminando na sexta posição, a 8m51,9s do vencedor, com Alexandre Ré e Pedro Ré, em Can-Am Maverick X3, a estarem em destaque ao registarem o terceiro tempo no SS de hoje, enquanto Pedro Dias da Silva (Ford EXR05 Proto), segundo no início do dia, e Ricardo Porém (Borgward Bx7 Evo), quinto na sexta-feira, a serem traídos pelos respectivos motores.

 

SEBASTIAN BUHLER

COM TRIPLO TRIUNFO EM PORTALEGRE

Nas motos, Sebastian Buhler (Hero) tornou-se no primeiro piloto a vencer por três vezes consecutivas a Baja Portalegre 500, com o estreante Joaquim Rodrigues (Hero), seu companheiro de equipa, a assegurar o segundo lugar, mantendo as posições alcançadas ontem, com Bruno Santos (Husqvarna) a completar o pódio, depois de ter sido o mais rápido no SS de abertura.

Nos “quads”, o piloto Ruben Alexandre, aos comandos de um modelo Yamaha, manteve o domínio patenteado na véspera e a sua vitória não oferece qualquer discussão, uma vez que só não foi o mais rápido no Sector Selectivo de abertura para, a partir desse momento, instalar-se no comando e assegurar a tão ambicionada vitória, à frente de Fábio Ferreira (Yamaha), sempre segundo, com Filipe Silva (Suzuki) a terminar no terceiro lugar.

Nos SSV, João Dias (Can-Am) repetiu a vitória de 2015, depois de, no dia de hoje, ter conseguido ser o mais rápido no Sector Selectivo, com uma vantagem que lhe assegurou o triunfo, à frente de Alexandre Pinto (Can-Am) e Roberto Borrego (Can-Am), com a vitória de João Dias a assegurar-lhe a conquista do respectivo campeonato. As más condições meteorológicas sentidas este fim-de-semana provocaram alguns desgaste aos pilotos, com a condução feita m terreno lamacento e escorregadio.

CLASSIFICAÇÕES DO 3.º SS

AUTOMÓVEIS (79,00 km) – 1.º, Bernhard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota Hilux Overdrive), a 1.02,41”; 2.º, Vladimir Vasilyev/Dmitro Tsyro (Mini Cooper Countryman), a 0’00”; 3.º, Alexandre Ré/Pedro Ré (Can Am Mverick X3), a 1’00; 4.º Luis Recuenco/Sergio Peinado (Mini John Cooper Work Rallye), a 1’08”; 5.º, Vasily Gryazin/Oleg Uperenko (Can-Am Maverick X3), a 1’55”; 6.º, Vítor Conceição/Valeria Geo (Mini All4 Racing), a 2’02”; 7.º, Aron Donzala/Marciel Martin (Can-Am Maverick), a 2’06”; 8.º, Laurent Poletti/Cyril Debet (Can-Am Maverick X3), a 2’16”; 9.º, Ghislain De Mevius/Joahn Jalet (Yamaha Interceptor), a 3’10”; 10.º, André Amaral/Nelson Ramos (Ford Ranger), a 3’17”

MOTOS (79,00 km) – 1.º Sebastien Buehler (Hero Hero), 57’50”; 2.º, Joaquim Rodrigues (Hero Hero), a 21”; 3.º, Martim Ventura (Yamaha), a 2’58”; 4.º, Bernardo Megre (Husqvarna), a 2’59”; 5.º, Bruno Santos, (Husqvarna), 3’00”; 6.º, David Megre (KTM), a 3,47”; 7.º, João Ortega (Husqvarna), 3’50”; 8.º, Salvador Vargas (Husqvarna), a 4’15”; 9.º, Mário Patrão (KTM), a 5,14”; 10.º, Micael Simão (KTM), a 5’16. Classificaram-se mais 53 pilotos.

SSV (79,00 km) – 1.º, João Dias (Can-Am), 58’49”; 2.º, Alexandre Pinto/Fábio Belo (Can-Am), a 49”; 3.º, Roberto Borrego/Nuno Abrantes (Can-Am), a 55”; 4.º, Luís Portela Morais/Tomás Neves (Can-Am), a 1’04”; 5.º, Luís Cidade/Pedro Mendonça (Bombardier), a 1’40”.

QUADS (79,00 km) – 1.º, Ruben Alexandre (Yamaha), 1.05’04”; 2.º, Fábio Ferreira (Yamaha)), a 1’03”; 3.º, Luís Fernandes (Yamaha), a 2’02”; 4.º, Filipe Silva (Suzuki), a 2’30”; 5.º, Tiago Ferreira (Yamaha), a 3’53”.

GERAL

AUTOMÓVEIS – 1.º Bernhard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota Hilux Overdrive), a 2.18’11”; 2.º Guillaume De Mevius/Martijn Wydaeghe (Can-Am Maverick X3), a 1’17” (1.º T3); 3.º Vladimir Vasilyev/Dmitro Tsyro (Mini Cooper Countryman), a 1’20”; 4.º Aron Donzala/Marciel Martin (Can-Am Maverick), a 2,50” (1.º T4); 5.º Vasily Gryazin/Oleg Uperenko (Can-Am Maverick X3), a 3,54”; 6.º Alejandro Martins/José Marques (Mini John Cooper World Rallye), a 8,51”; 7.º Laurent Poletti/Cyril Debet (Can-Am Maverick X3), a 13,49”; 8.º Alexandre Ré/Pedro Ré (Can-Am Maverick), a 16’50”; 9.º Luis Recuenco/Sérgio Peinado (Mini John Cooper Work Rallye), a 18’10”; 10.º Vítor Conceição/Valéria Geo (Mini All4 Racing), a 19’02”. Classificaram-se mais 18 equipas.

MOTOS – 1.º Sebastien Buehler (Hero Hero), 1.55’16”; 2.º Joaquim Rodrigues (Hero Hero), a 1.14”; 3.º Bruno Santos, (Husqvarna), 5’16”; 4.º Salvador Vargas (Husqvarna), a 8,47”; 5.º David Megre (KTM), a 9,27”; 6.º Bernardo Megre (Husqvarna), a 9’43”; 7.º João Ortega (Husqvarna), a 11’01”; 8.º Micael Simão (KTM), a 13,36”; 9.º Mário Patrão (KTM), a 13’42”; 10.º Martim Ventura (Yamaha) a 13’45”.

SSV – 1.º, João Dias (Can-Am), 2.02’54”; 2.º Alexandre Pinto/Fábio Belo (Can-Am), a 19”; 3.º Roberto Borrego/Nuno Abrantes (Can-Am), a 1’04”; 4.º Luís Cidade/Pedro Mendonça (Bombardier), a 1’51”; 5.º Ricardo Domingues (Can-Am), a 1’53”. Classificaram mais 64 pilotos.

QUADS – 1.º, Ruben Alexandre (Yamaha), 2.16’34”; 2.º Fábio Ferreira (Yamaha)), a 4’56”; 3.º Filipe Silva (Suzuki), a 9,15”;4.º Freddy De Oliveira (Can Am Outlander), a 18’07; 5.º Yoann Decressonniere (Can Am Outlander), a 19’37”. Classificaram-se mais nove pilotos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: