Benavides e Peterhansel no topo do Dakar

Chegou ao fim a 43.ª edição do Rali Dakar, com as vitórias de Kevin Benavides (motos), Stéphane Peterhansel (automóveis), Francisco Lopez Contardo (SSV), Manuel Andujar (quads) e Dmitry Sotnikov/Ruslan Akhmadeev/Ilgiz Akhmetzianov (camiões). Joaquim Rodrigues foi o melhor português, em 11.º nas motos, da mítica prova de todo-o-terreno.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Kevin Benavides (Honda CRF 450 Rally) nas motos, Stéphane Peterhansel/Edouard Boulanger (Mini JCW Buggy) nos automóveis, Francisco Lopez Contardo/Juan Pablo Latrach (Can-Am XRS) nos SSV, Manuel Andujar (Yamaha 700) nos Quads e Dmitry Sotnikov/Ruslan Akhmadeev/Ilgiz Akhmetzianov (Kamax) nos camiões foram os vencedores da edição 2012 do Dakar, a segunda realizada na Arábia Saudita e que se circunscreveu àquele país.

Aquele que devia ser um dia de festa para todos os que terminaram a prova, ficou marcado pela morte do “motard” francês Pierre Chapin, presente pela quarta vez na prova, que não sobreviveu às lesões sofridas, em consequência de uma queda na etapa que ligou Há’Il a Sakaka

Nas motos, para que não houvesse dúvidas quanto à justiça da sua vitória, o argentino Kevin Benavides (Honda) foi o mais rápido no SS, à frente do americano Ricky Brabec (Honda), o vencedor do ano passado, que, ao ascender ao segundo lugar, que garantiu o 1-2 da marca japonesa, o que não sucedia desde 1 987, vencedora pela segunda vez consecutiva, sétima na história da competição, com o triunfo a ter um sabor português, uma vez que a equipa é dirigida pelo português Ruben Faria.

No final da prova, Kevin Benavides confessava que «só pensei na vitória no Dakar, hoje, nos derradeiros quilómetros e estou muito feliz, pois sou o primeiro sul-americano a ganhar a prova. Quando caí na quinta etapa pensei que o meu “Dakar” tinha terminado, mas voltei a atacar e foi este o resultado»

As hipóteses do inglês Sam Sunderland (KTM), conseguir recolocar a marca austríaca no lugar mais alto do pódio, esfumaram-se logo na fase inicial do SS, em que as dificuldades de navegação o fizeram perder muito tempo para o duo da marca nipónica, o que o relegou para o 11.º lugar no SS e para o derradeiro lugar do pódio, à frente do australiano Daniel Sanders (KTM), o melhor dos “rookies”.

Apesar do terceiro lugar Sam Sunderland não estava desiludido e confessava que «fiz tudo o que podia e por isso não posso estar desiludido», começou por afirmar o piloto.

«Entrei ao ataque, não encontrei um “way point”, perdi cerca de 10 minutos e depois voltei a perder-me quando tentei recuperar o tempo perdido… mas um pódio no Dakar é sempre um bom resultado».

 

Excelente último SS dos portugueses, com Joaquim Rodrigues (Hero) e Sebastian Buhler (Hero) a integrarem o lote dos 10 mais rápidos no SS, em oitavo e décimo, respectivamente, e com Rui Gonçalves (Sherco Factory) a ser 13.º no SS.

Em termos de geral, os três “motards” portugueses terminaram no “top-twentie”, com Joaquim Rodrigues (11.º) a ficar à porta do “top-ten”, três lugares à frente de Sebastian Buhler e com Rui Gonçalves a ascender ao 19.º posto da geral e a fechar o pódio dos “rookies” atrás do australiano e do espanhol Tosha Schareina (13.º), em consequência do bom desempenho no derradeiro SS.

STÉPHANE PETERHANSEL

ULMINANTE NOS AUTOMÓVEIS

Pela oitava vez nos automóveis, 14.ª na historia da prova, pelos seis triunfos nas motos, o francês Stéphane Peterhansel (Mini JCW Buggy) venceu o “Dakar” confirmando-se como o “Senhor Dakar”.

Num ano em que a navegação determinante, para o que muito contribuiu o facto do “road-book” só ser entregue 10 minutos antes da partida, para equilibrar as possibilidades de todas as equipas muitas delas sem suporte para, durante a noite, encontrarem as melhores alternativas, a experiência do francês e os inúmeros furos sofridos pelo qatari Nasser Al-Attiyah (Toyota Hilux), que nunca baixou os braços, como o demonstra o facto de ter vencido cinco dos 12 SS, mais o Prólogo, só por uma vez tendo ficado abaixo do quarto lugar no SS, conjugaram-se para um merecido triunfo.

Para o francês «a pressão foi permanente, cada corrida é difícil de ganhar e para o fazer é preciso dar tudo, ser completo, ter um bom carro e uma boa equipa. É fantástico ganhar pela 14.ª vez 30 anos depois da minha primeira vitória nas motos, o que faz com que seja único a ter ganho nos três continentes», enquanto o qatari assegurava que «vamos voltar mais fortes, depois de termos feito um trabalho fantástico, mas penso que as regras devem ser mudadas para que a luta seja mais justa».

O espanhol Carlos Sainz (Mini JCW Buggy) completou o pódio, partilhado pelos mesmos pilotos, mas por ordem inversa, mas não escondeu que os erros cometidos na navegação, por não terem entendido as novas regras foram determinantes para, desde cedo ficar afastado da luta pela vitória.

Entre os portugueses, Ricardo Porém (Borgward) terminou a prova no 20.º lugar, atrás de Filipe Palmeiro, que levou o lituano Benediktas Vanagas (Toyota Hilux), ao 12.º posto, mas à frente de José Marques, que navegou o lituano Gintas Petrus (Optimus) até à 31.ª posição.

Nos SSV, o inglês Kris Meeke (PH-Sport) acabou como começou ou seja a ser o mais rápido, repetindo no derradeiro SS aquilo que havia feito no Prólogo, com o chileno Francisco Lopez Contardo (Can-Am)  a confirmar o triunfo, repetindo o que havia feito em 2 019, no derradeiro ano em que a prova esteve no continente sul-americano, triunfo que chegou a parecer comprometido, mas que foi recuperar, ao aproveitar as falhas de navegação dos seus opositores.

Os portugueses Lourenço Rosa (Can-Am) e Rui Carneiro (MMP) completaram a prova, com os dois derradeiros dias a tirarem Lourenço Rosa da luta por um lugar nos 10 primeiros, ao cair de 11.º para 15.º, enquanto o seu compatriota foi 26.º.

Tal como nas motos, vitória argentina nos “Quads” com Manuel Andujar (Yamaha) a assegurar o triunfo na segunda metade da prova, depois de, na fase inicial, nunca ter estado abaixo de quinto.

Sem surpresa a Kamaz monopolizou o pódio nos camiões, naquela que é a sua 18.ª vitória com o russo Dmitry Sotnikov a subir ao lugar mais alto do pódio, à frente dos seus compatriotas Anton Shibalov e Airat Mardeev.

Hugo Fojo, que acompanhou Alberto Herrero (MAN), foi o único dos portugueses à partida nos “pesos pesados” a completar a prova no 15.º lugar

CLASSIFICAÇÕES

Sector Selectivo (200 km)

Motos – 1.º, Ricky Brabec (Honda), 2.17’02”; 2.º, Kevin Benavides (Honda), a 2’17”; 3.º, Matthias Walkner (KTM), a 4’13”; 4.º Skyler Howes (KTM), a 5’49”; 5.º, Daniel Sanders (KTM), a 7’11”; 6.º, Lorenzo Santolini (Sherco Factory), a 10’31”; 7.º, Joan Pedrero Garcia (KTM), a 10’40”; 8.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 12’18”; 9.º, Jaume Betriu (KTM), a 12’35”; 10.º, Sebastian Buhler (Hero), a 13’06”; …;  13.º, Rui Gonçalves (Sherco Factory), a 16’11”;

Automóveis – 1.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini JCW Buggy), 2.17’33’’; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Matheu Baumel (Toyota Hilux), a 2’13”; 3.º, Stéphane Peterhansel/Edouard Boulanger (Mini JCW Buggy), a 2’53”; 4.º, Cyril Despres/Michael Horn (Peugeot 308 DKR), a 4’01”; 5.º, Vladimir Vasilyev/Dmitro Tsyro (Mini JCW Rally), a 5’36”; 6.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Toyota Hilux), a 6’35”; 7.º, Khalid Al Qassimi/Xavier Panseri (Peugeot 308 DKR), a 6’39’’; 8.º, Brian Baragwanath/Taye Perry (Century), a 6’39”; 9.º, Mathieu Serradori/Fabian Lurquin (Century), a 6’51”; 10.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota Hilux), a 7’39”; .., ;  21.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota Hilux), a 24’21”; …; 25.º, Ricardo Porém/Jorge Monteiro (Borgward), a 27’30”; …;  38.º, Gintias Petrus/José Marques (Optimus), a 57’45”.

SSV – 1.º, Kris Meeke/Wouter Rosegaar (PH-Sport), 2.41’11”; 2.º, Reinaldo Varela/Maykel Justo (Can-Am), a 3’15”; 3.º, Michal Gozcal/Szymon Gospodarczyk (Can-Am), a 3’57”; 4.º, Lionel Baud/Loic Minaudier (PH-Sport), a 4’43”: 5.º, Cristina Gutierrez/François Cazalet (OT3), a 5’08’’ ; … ; 30.º, Loureno Rosa/Joaquim Dias (Can-Am), a 34’27”; …; 33.º, Rui Carneiro/Filipe Serra (MMP), a 38’16”

GERAL

Motos – 1.º, Kevin Benavides (Honda CRF 450 Rally), 47.18’14”; 2.º, Ricky Brabec (Honda CRF 450 Rally), a 4’56””; 3.º, Sam Sunderland (KTM 450 Factory), a 15’57”; 4.º, Daniel Sanders (KTM 450 Factory), a 38’52”; 5.º, Skyler Howes (KTM 450 Rally Replica), a 52’33”; 6.º, Lorenzo Santolini (Sherco Factory 450 RTR), a 58’30”; 7.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna FR 450 Rally), a 1.26’39”; 8.º, Stefan Svitko (KTM Rally Replica), a 1.43’07”; 9.º, Matthias Walkner (KTM 450 Factory), a 2.32’12”; 10.º, Martin Michek (KTM 450 Rally Replica), a 2.42’37”; 11.º, Joaquim Rodrigues (Hero 450 Rally), a 3.04’24”; …; 14.º, Sebastian Buhler (Hero 450 Rally), a 3.00’03”; …; 19.º, Rui Gonçalves (Sherco Factory 450 RTR), a 6.35’21”

Automóveis – 1.º, Stéphane Peterhansel/Edouard Boulanger (Mini JCW Buggy), 44.27’11”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Matheu Baumel (Toyota Hilux), 13’51”; 3.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini JCW Buggy), a 1.00’57”; 4.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Toyota Hilux Overdrive), a 2.35’03”; 5.º, Nani Roma/Alexandre Winocq (Hunter BRX), a 3.21’48”; 6.º, Vladimir Vasilyev/Dmitro Tsyro (Mini JCW Rally), a 3.29’38”; 7.º, Khalid Al Qassimi/Xavier Panseri (Peugeot 3008 DKR), a 3.33’31”; 8.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota Hilux), a 3.57’39”; 9.º, Martin Prokop/Viktor Chytka (Ford RS Cross Country), a 4.09’21”; 10.º, Cyril Despres/Michael Horn (Peugeot 308 DKR), a 4.51’09”; …; 12.º, Benediktias Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota Hilux), a 5.21’05”; …; 20.º, Ricardo Porém/Jorge Monteiro (Borgward BX7 Evo), a 8.13’12”; …; 31.º, Gintias Petrus/José Marques (Optimus Chevrolet), a 12.28’39”.

SSV – 1.º, Francisco Lopez Contardo/JuanPablo Latrach (Can-Am XRS), 53.41’02”; 2.º, Austin Jones/Gustavo Gugelmin (Can-Am XRS), a 17’23”; 3.º, Aron Donzala/Maciej Marton (Can-Am XRS), a 51’53”; 4.º, Michal Goczal/Szymon Gospodarczyk (Can-Am XRS), a 1.13’58”; 5.º, Reinaldo Varela/Maykel Justo (Can-Am XRS), a 1’27’ 05”; …; 15.º, Lourenço Rosa/Joaquim Dias (Can-Am), a 7.10’11”; … ; 26.º, Rui Carneiro/Filipe Serra (MMP), a 11’35’58”

Quads – 1.º, Manuel Andujar (Yamaha 700), 60.28’29”; 2.º, Giovanni Enrico (Yamaha Raptor 700), a 33’44”; 3.º, Pablo Copetti (Yamaha Raptor), a 3.00’58”; 4.º, Kamil Wisniewski (Yamaha Can-Am) , a 6.50’05”; 5.º, Tomas Kubiena (Yamaha Raptor 700), a 7.11’45”

Camiões – 1.º, Dmitry Sotnikov/Ruslan Akhmadeev/Ilgiz Akhmetzianov (Kamaz 43509), 48.23’21”; 2.º, Anton Shibalov/Dmitrii Nikitin/Ivan Tatarinov (Kamaz 43509), a 39’38”; 3.º, Airat Mardeev/Dmitry Svistunov/Akhmet Galiautdinov (Kamaz 43509), a 1.14’35”; 4.º, Martin Macik/Frantosek Tomasek/David Svanda (Iveco Powerstar), a 1’45,51”; 5.º, Ales Loprais/Petr Pokora/Khalid Alkendi (Praga V4S DKR), a 2.00’31”; …; 15.º, Alberto Herrero/Juan Carlos Macho/Hugo Fojo (MAN), a 38.03’53”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *