Assombrosa vitória de Max Verstappen

Depois de um duelo intenso com Hamilton no Grande Prémio de França, o piloto da Red Bull fez o pleno em solo francês com “pole”, triunfo na prova, volta mais rápida e reforçou a liderança no Mundial.

(auto.look2010@gmail.com)

O holandês Max Verstappen (Red Bull) venceu hoje o Grande Prémio de França, sétima prova do Mundial de Fórmula 1, após ultrapassar o britânico Lewis Hamilton (Mercedes) na penúltima volta da corrida. O holandês concluiu as 53 voltas em 1h27m25,770s e deixou Lewis Hamilton a 2,904 segundos e o mexicano Sergio Perez (Red Bull) na terceira posição, a 8,811 segundos, somando o 13.º triunfo da carreira, terceiro esta temporada, depois de ter ganho em Itália e em Monte Carlo, fazendo o pleno (“pole”, vitória e volta mais rápida) pela primeira vez na sua carreira.

Max Verstappen, que chegava a esta corrida com quatro pontos de vantagem sobre Lewis Hamilton, partiu da “pole position”, mas teve de sair de pista na primeira curva para evitar um pião. O britânico aproveitou para saltar para a liderança, que manteve até à primeira paragem para troca de pneus.

Lewis Hamilton parou mais tarde do que o holandês, mas acabou por sair para a pista na terceira posição, atrás de Sergio Pérez (que ainda não tinha parado) e de Max Verstappen, que aguentou a vantagem na travagem para a primeira curva.

Os Red Bull demonstraram sempre um ritmo superior, e isso ficou demonstrado com o que aconteceu no final da prova. Com os pneus a desgastarem-se mais do que o previsto, Max Verstappen optou por voltar a parar e montar novamente pneus médios enquanto Lewis Hamilton ficou em pista com os pneus duros que teriam de durar quase 30 voltas.

Max Verstappen foi recuperando terreno, passou pelo finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), que fazia de guarda-costas do companheiro de equipa, chegando à traseira de Lewis Hamilton com cinco segundos de atraso e nove voltas para cumprir. Foi o suficiente para apanhar o campeão do mundo e consumar uma ultrapassagem sem espinhas na penúltima das 53 voltas da corrida.

Pela primeira vez desde 2013, a Red Bull somou três vitórias consecutivas (duas de Max Verstappen e uma de Sergio Pérez) e destapa fragilidades que a Mercedes ainda não conhecia desde o início da era híbrida, em 2014.

Com estes resultados, Max Verstappen alargou a vantagem no comando do campeonato, chegando aos 131 pontos, contra os 119 de Lewis Hamilton, até porque somou um ponto extra por ter feito a volta mais rápida da corrida, na volta 35, rodando em 1m36,404s. Sergio Pérez é, agora, o terceiro, com 84 pontos, e o britânico Lando Norris (McLaren) o quarto, com 76.

Quem surpreendeu pela negativa foi a Ferrari, que ficou com os dois carros fora dos pontos. O espanhol Carlos Sainz foi 11.º e o monegasco Charles Leclerc 16.º, a uma volta do vencedor, numa corrida em que os carros italianos parecem ter sido afetados pelas novas regras de utilização dos pneus, que visam impedir as equipas de baixar as pressões além dos limites permitidos.

A Red Bull lidera, também, o Mundial de Construtores, com 215 pontos. A Mercedes tem 178, a Mclaren 110 e a Ferrari 94. A próxima corrida é o Grande Prémio da Estíria (Áustria), no domingo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *