Armindo Araújo equaciona participação no “Dakar”

O piloto de Santo Tirso conduziu o Skoda Fábia Rally 2 Evo ao 14.º lugar da classificação geral no Vodafone Rally de Portugal e 5.º melhor na categoria WRC2. As dificuldades foram enormes desde sexta-feira, embora o empenho e abnegação permitiu recuperar o tempo perdido nos dias seguintes.

(auto.look2010@gmail.com)

Armindo Araújo, que hoje terminou o Vodafone Rali de Portugal como o melhor piloto português da prova, confessou que o feito «teve um sabor especial pela recuperação feita na prova». «Depois dos dois furos que tivemos na sexta-feira, que nos colocou no segundo lugar do Campeonato Nacional de Ralis (CPR) e a 1m40s do posto de melhor português, sabíamos que ia ser difícil recuperar, mas, se atacássemos, teríamos uma palavra a dizer. Foi uma recuperação com um sabor especial, depois de termos estado tão atrasados», disse o tirsense de 44 anos.

O experiente piloto mostrou-se satisfeito pela «velocidade conseguida no sábado», que lhe permitiu passar para frente na luta entre os portugueses: «Na sexta-feira, os troços estavam duros, mas sábado e hoje os pisos estavam fantásticos. Foi uma questão de atacar e depois gerir a vantagem», completou.

O piloto tirsense deixou, ainda, uma palavra para o público português, garantindo que no carro sentiu «todo o carinho e apoio» que lhe foi dirigido, considerando que «foram fantásticos e com um comportamento exemplar». «Desde os reconhecimentos até às etapas notei sempre muita gente, mesmo com chuva. O apoio que sentimos deu um alento extra para a nossa prestação», apontou Armindo Araújo.

A caminho do pódio de consagração, instalado na marginal de Matosinhos e com a sempre apetecível frescura do Atlântico, o piloto de Santo Tirso e o navegador Luís Ramalho foram escoltados por militares da Guarda Nacional Republicana (GNR). Uma escolta de honra a uma equipa portuguesa e ao Skoda Fábia Rally 2 Evo, assistido pela The Racing Factory, que fez as delícias do público que assistiu à 55-.ª edição do Vodafone Rally de Portugal.

O piloto nortenho partilhou ainda que está a avaliar projetos na disciplina do todo-o-terreno, tendo em vista uma participação numa edição do Rali Dakar: «Analisamos os projetos que vão aparecendo, tenho olhado para o todo-o-terreno com um carinho muito especial. Tenho feito alguns contactos para fazer algumas provas nesta disciplina, para eventualmente preparar o Dakar, vamos ver e ainda nada está definido», sublinhou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.