Armando Carvalho: “rei da degustação” da Lampantana

Aos comandos de um Mitsubishi lancer Evo V, Armando Carvalho e Ana Santos venceram o Rali Rota da Lampantana, prova do Clube Automóvel do Centro desenhada em Mortágua, numa única especial, num total de 132,75 km, 61,71 dos quais a disputar contra o cronómetro.

Texto: CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt) – Fotos: NUNO DINIS PHOTOS

A dupla de Vila Nova de Poiares partiu para o Rali Rota da Lampantana, sétima e penúltima prova do Campeonato Centro de Ralis disputada em Mortágua, com as expectativas em alta. Destinado a fazer o melhor possível, ou seja, andar nos lugares cimeiros e chegar ao final numa posição de pódio, Armando Carvalho não deu o mínimo de espaço de manobra aos seus mais directos opositores, partindo para a primeira de três passagens pela especial de Mortágua literalmente ao ataque.

Na prova produzida pelo Clube Automóvel do Centro, também não houve espaço, nem tempo, para invocar a expressão “derrota injusta” em “vitória moral” para justificar fosse lá o que fosse. A vitória de Armando Carvalho, piloto navegado por Ana Santos, nunca pareceu ter estado em causa, apesar de Leonardo Coelho e Filipe Gomes terem sido os mais rápidos com o Subaru Impreza WRX STi na segunda abordagem pela especial de 20,57 km, por 1,7 segundos. Na primeira passagem, a dupla de Mortágua cotou-se a segunda mais rápida, a 8,6 segundos da líder, pelo que a diferença entre as duas equipas passou a ser de 6,9 segundos, deixando tudo em aberto para terceira e derradeira incursão pela especial.

Fernando Peres e Ricardo Caldeira, em Mitsubishi Lancer Evo IX, terminaram a primeira especial na terceira posição, a 13,5 segundos, à frente de Gaspar Pinto/Bernardo Gusmão (Mitsubishi Lancer Evo V) e Daniel Ferreira/Rodrigo Pinheiro (Mitsubishi Carisma GT), a 1m02,07s e 1m24,0s da liderança, respectivamente,

Estava dado o mote de que a prova iria ser discutida a três, mas na segunda passagem, Fernando Peres, como que a perder o fio ao novelo, voltou a ceder 11,9 segundos na sequência de uma ligeira saída de traseira no Mitsubishi Lancer Evo IX que o fez perder muito tempo, uma vez que foram afectados órgãos importantes no rendimento do propulsor, pelo que os olhares passaram a incidir na prestação de Armando Carvalho e Leonardo Coelho.

Na terceira passagem, o enigma ficou descodificado. Armando Carvalho prosseguiu numa toada rápida e consistente a fim de não perigar a liderança, numa altura em que Fernando Peres, com os tais problema no carro da marca dos três diamantes, a ver-se obrigado a abandonar na ligação, enquanto Leonardo Coelho, que mais parecia uma lebre na ânsia de alcançar o topo da classificação, acabou por bater e, com isso, terminar a prova caseira na quarta posição, a distantes 7m00,2s.

Perante este cenário, Gaspar Pinto/Bernardo Gusmão e Daniel Ferreira/Rodrigo Pinheiro não esbanjaram a oportunidade de ocuparem os restantes dois lugar de destaque do pódio, embora a 2m10,4s e 5m06,6s, de Armando Carvalho/Ana Santos, respectivamente.

Na quinta posição terminou Eduardo Santos/Miguel Sintra (Subaru Impreza WRX STi), a 7m43,1s dos vencedores, cabendo a Filipe Abrantes/Luís Cavaleiro, em Citroën C2 R2, ocuparem o sexto posto, a 8m27,9s, mas com o justo triunfo na categoria das 2 Rodas Motrizes, fruto de uma actuação irrepreensível.

Na sétima posição terminaram Américo Maçarico/Luís Ribeiro (Mitsubishi Carisma GT), a 8m28,9s, com Gonçalo Figueira/Tiago Amado, em Citroën AX, no oitavo lugar, a 8m34,7s, relegando Luís Almeida/Ricardo Bettencourt (Fiat Punto HGT), para o nono posto, a 8m50,0s, segundos e terceiros nas 2 Rodas Motrizes.

Este último, proveniente de Vila Nova de Poiares, teve ainda como prémio de consolação o triunfo no P2 que, ao esgrimir argumentos com os seus mais directos opositores, na circunstância Hélder Cordeiro/Bruno Pereira, também em Fiat Punto HGT, ficou precisamente atrás de si, esbanjando, por isso, importantes pontos para o campeonato. Já Vítor Gomes, navegado por Joel Oliveira, conduziu o Peugeot 206 GTi ao 11.º posto, a 17m59,1s dos vencedores.

 

FERNANDO TEOTÓNIO “AUTORITÁRIO” NA PROVA EXTRA

Na prova extra, Fernando Teotónio, navegado por Luís Morgadinho, conduziu o Mitsubishi Lancer Evo X, com o qual deverá fazer jus ao sem nome no Campeonato de Portugal de Ralis, ao primeiro lugar, com o tempo de 43m04,0s. A segunda posição ficou na posse de José Rocha e Rui Raimundo, num Ford Fiesta R5 MKII, a 4m17,6s.

Enquanto o primeiro aproveitou a prova do Clube Automóvel do Centro, apoiada pela Câmara Municipal de Mortágua, a fim de sentir o pulsar da sua nova “arma” para enfrentar o pelotão do escalão primodivisionário, dos ralis em Portugal, já o segundo fez a sua estreia em ralis com a viatura utilizada pelo filho, Luís Rocha, no Constálica Rally Vouzela.

CLASSIFICAÇÃO FINAL

1.º Armando Carvalho/Ana Santos (Mitsubishi Lancer Evo V)    42m01,0s

2.º Gaspar Pinto/Bernardo Gusmão (Mitsubishi Lancer Evo V), a 2m10,4s

3.º Daniel Ferreira/Rodrigo Pinheiro (Mitsubishi Carisma GT), a 5m06,6s

4.º Leonardo Coelho/Filipe Gomes (Subaru Impreza WRX STi), a 7m00,2s

5.º Eduardo Santos/Miguel Sintra (Subaru Impreza WRX STi), a 7m43,1s

6.º Filipe Abrantes/Luís Cavaleiro (Citroën C2 R2), a 8m27,9s

7.º Américo Maçarico/Luís Ribeiro (Mitsubishi Carisma GT), a 8m28,9s

8.º Gonçalo Figueira/Tiago Amado (Citroën AX), a 8m34,7s

9.º Luís Almeida/Ricardo Bettencourt (Fiat Punto HGT), a 8m50,0s

10.º Hélder Cordeiro/Bruno Pereira (Fiat Punto HGT), a 10m58,9s

11.º Vítor Gomes/Joel Oliveira (Peugeot 206 GTi), a 17m59,1s

PROVA EXTRA

Fernando Teotónio/Luís Morgadinho (Mitsubishi Lancer Evo X), 43m04,0s

José Rocha/Rui Raimundo (Ford Fiesta R5 MKII), a 4m17,6s

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação