Arganil já cheira a Vodafone Rali de Portugal

O Vodafone Rali de Portugal regressa a Arganil sexta-feira da próxima semana, depois de a edição do ano passado ter sido travado pela pandemia.

(auto.look2010@gmail.com)

O protocolo que une os esforços dos municípios da região Centro que acolhem o Vodafone Rli de Portugal, nomeadamente Arganil, Coimbra, Góis, Lousã e Mortágua, aos do Automóvel Club de Portugal (ACP) e do Turismo Centro Portugal, foi celebrado esta quinta-feira no município conimbricense.

Durante a sessão, o presidente da Câmara Municipal de Arganil, Luís Paulo Costa, evidenciou a importância que o evento tem na projecção do concelho, num ano em que as restrições causadas pela Covid-19 se revelam uma dura pedra num caminho que se desejava totalmente desimpedido. O autarca arganilense criticou as regras que determinam o recuo do concelho no processo de desconfinamento, mas salientou que a decisão não terá reflexo na passagem do Vodafone Rali de Portugal pelo município.

«Era importante termos bem em atenção a realidade demográfica de concelhos como o de Arganil. Estamos a falar de cerca de 65 casos num território com 332 quilómetros quadrados e 11 mil habitantes», afirmou Luís Paulo Costa, que falava aos jornalistas em Coimbra, no final da assinatura do contrato-programa de apoio à realização do Vodafone Rali de Portugal, que vai passar pela região Centro.

Para o autarca, o Governo e as autoridades de saúde deveriam considerar também o índice de transmissibilidade, considerando que para a decisão do recuo no desconfinamento essa componente não foi tida em atenção: «É pena que esse exercício não tenha sido feito, porque chegariam facilmente à conclusão de que a situação de Arganil resulta de surtos a nível das escolas, em que dos casos que temos mais de metade são de crianças até dez anos]. A situação está restrita, está identificada e está contida», disse.

«Em anos como este, em que a pandemia causa um conjunto de constrangimentos na circulação de pessoas, em particular dos adeptos, será em termos de promoção do território que o retorno vai ser, certamente, mais sentido», frisou o autarca, afirmando-se consciente de que o impacto do Vodafone Rali de Portugal não se esgota nos três dias de prova, de 21 a 23 de Maio.

A classificativa de Arganil conta, este ano, com uma nova Zona de Espectáculo e mais cinco quilómetros de prova do que em 2019. Os pilotos fazem-se à estrada a partir da mítica Casa do PPD, imortalizada nos “road-book” da prova, seguindo pelas zonas da Deguimbra, Sardal, Pai das Donas e Esculca, antes de chegada ao Alqueve.

A primeira passagem está agendada para as 10h08 e, a segunda, para as 14h38, que terá transmissão televisiva, em directo. Entre as duas passagens, pilotos e máquinas reagrupam no Parque Verde Urbano do Sub-Paço, na vila de Arganil, onde está localizado o Parque de Assistência.

HISTÓRIA DO RALI DE PORTUGAL EM ARGANIL ETERNIZADA EM SERIGRAFIA

«Que maravilha». Foi desta forma que Carlos Barbosa, presidente do Automóvel Club de Portugal (ACP) reagiu à serigrafia que recebeu das mãos do presidente da Câmara Municipal de Arganil. O trabalho, a que o arganilense e autor João Seco baptizou de “Os Campeões de Arganil», reflecte e eterniza os inesquecíveis momentos de glória e os históricos triunfos vividos no concelho, através de um desporto adorado por muitos e idolatrado por tantos.

Foi a convite de Gonçalo Cunha (Cerâmica – Bar & Lounge) que João Seco elaborou a pintura que tributa o “impacto” que o Rali de Portugal teve e tem na região de Arganil. Uma visão pessoal daquilo que foi a sua história. Durante o processo, João Seco contou com a ajuda preciosa de Francisco Vasconcelos e Rodrigo Ventura que o auxiliaram com documentação histórica e testemunhos.

Esta obra esteve exposta na Cerâmica – Bar & lounge, com um tamanho real de 2,50 metros/0,80 metros).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *