António Santos e Tiago Silva exemplares em Mortágua

Dupla Team Habimóvel AS Racing voltou a sentir a adrenalina dos ralis, conduzindo o velhinho Opel Kadett GSI pela dureza dos pisos de Mortágua, registando o 13.°lugar da geral no “Centro de Ralis”, 2.°na classe X2 e 2.° no Desafio Kumho Centro da  Divisão 2.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt) – Fotos: NUNO DINIS PHOTOS

«Sabíamos que tínhamos de ser inteligentes e que o Rali de Mortágua iria ser bastante complicado e difícil para nós. Derivado ao facto de o nosso Opel Kadett estar com uma caixa original e a dureza do piso também não ajudou em nada. Aliás, arrisco-me a dizer que foi a prova mais dura que fiz em toda a minha vida», foram estas as palavras de António Santos depois de recuperado o “fôlego” face às incidências da prova do Clube Automóvel do Centro.

«O Rali de Mortágua foi encarado com muita cautela, não só pelo que já foi supracitado, mas também porque no Team Habimóvel AS Racing orgulhamo-nos da nossa reputação, integridade e conduta ética. Como queremos continuar a ser merecedores da confiança que nos foi confiada, é nossa obrigação proteger esse activo e, por via disso, a nossa função é procurar projectar os nossos parceiros empresariais, sem descurar os nossos familiares e todos aqueles que nos apoiam e nos seguem para todo o lado», sublinhou António Santos.

Face a este legítimo propósito, tanto o piloto como o navegador Team Habimóvel AS Racing entraram «focados em chegar ao fim e de olhos postos na melhor classificação possível». «Foi bastante complicado para nós e, em alguns momentos, até bastante frustrante, por sabermos de antemão que não tínhamos argumentos para lutar de igual para igual, pelo que nos limitámos a rodar o melhor que podíamos e sabíamos», sustentou.

Perante um “mar” de incertezas e prognósticos “só no final da prova”, António Santos e Tiago Silva conseguiram o 13.°lugar da classificação geral no Campeonato Centro de Ralis, segundo na classe X2 e segundo no Desafio Kumho Centro da Divisão 2, «pelo que consideramos ter sido, sem margem para dúvidas, uma vitória para nós», adiantou o piloto de Vila Nova de Poiares.

Naturalmente que «nos resta agradecer a todos os nossos parceiros, que sem eles nada seria possível, e aos nossos amigos, simpatizantes e família, mas gostaria de deixar um agradecimento especial a Frederico Luís, da Art of Speed, que se disponibilizou para nos ceder a caixa de velocidades para o Opel Kadett GSI, caso contrário não participaríamos no Rali de Mortágua».

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação