António Maio vence Rally Raid – AJP em Góis

Terminada a época do TT com a realização da Baja de Portalegre 500, a temperada do “fora-de-estrada” competitivo continuou este fim‑de‑semana com a realização da segunda etapa do Campeonato Nacional Rally-Raid nos míticos traçados da região de Góis e concelhos contíguos.

(auto.look2010@gmail.com) – Fotos: JOÃO DA FRANCA – Vídeo: A2 COMUNICAÇÃO

 Organizada pelo Góis Moto Clube, prova que teve como centro nevrálgico a sede do clube beirão, na conhecida Quinta do Baião, percorreu mais de 350 quilómetros nos concelhos de Arganil, Góis, Oleiros e Pampilhosa da Serra.

António Maio

No primeiro dia de dois dias de competição, sempre com a chuva e as baixas temperaturas típicas da região e do ano a acompanharem a caravana, foram cumpridos 220 quilómetros, onde António Maio foi o mais rápido com a sua Yamaha.

O piloto alentejano logrou o triunfo com 2h33m, batendo Mário Patrão e Fausto Mota por uma diferença inferior a 10 segundos. O campeão em título, Bruno Santos, foi quarto classificado no fecho do dia, cabendo a Bruno Borrego o quinto lugar.

No segundo e decisivo dia de prova, foi Fausto Mota quem mais depressa cumpriu os 120 quilómetros desenhados pelo Góis Moto Clube, cruzando a linha de chegada com escassos 23 segundos de vantagem sobre António Maio, sendo seguidos por Mário Patrão, Bruno Santos e Bruno Borrego.

Mário Patrão

Nas contas finais da prova, António Maio saiu de Góis na qualidade de vencedor, com pouco mais de cinco minutos de vantagem sobre Mário Patrão. O pódio ficou encerrado por Fausto Mota, na frente de Bruno Santos e Bruno Borrego.

António Maio salienta o primeiro dia marcado pela difícil navegação, mas revela sentir-se satisfeito pela classificação que conquistou: «A prova correu muito bem. O primeiro dia foi bastante complicado, muito nevoeiro e chuva também o que dificultou a navegação, mas é sempre um prazer conduzir aqui em Góis. Esta prova tem um percurso muito variado, o que me agrada. Conseguimos cumprir o principal objectivo, que era vencer», sublinhou.

Fausto Mota

«No primeiro dia ganhámos com uma vantagem confortável, o que levou a que, no segundo, a preocupação principal passasse por conseguir gerir a corrida e foi isso que fiz. O percurso do derradeiro dia foi mais animador. Não choveu e isso também ajudou em termos de tracção, à navegação e à progressão no terreno. Fico contente com este resultado. Demos mais um passo na nossa na aprendizagem em termos de navegação, é muito positivo sair daqui com o primeiro lugar do Campeonato», revela o piloto e oficial da GNR.

Quando ainda faltam duas provas para o final do campeonato, o piloto acrescenta que vai «encarar as duas últimas provas como as iniciais». «Quero disputar todo este campeonato. É óbvio que a prova do Dakar ser tão perto limita um pouco a nossa vontade de querer acelerar mais e ser mais rápido sob pena de poder comprometer a corrida, mas acima de tudo quero terminar o campeonato sem nenhuma lesão para poder estar a 100% para enfrentar o Dakar», sublinhou António Maio.

Depois de um segundo lugar conquistado na jornada inaugural do Campeonato Nacional de Rally Raid, Mário Patrão, volta a subir ao pódio e a repetir o feito na segunda prova do CNRR, em Góis. O piloto apoiado pelo Crédito Agrícola, Bahco e Lusíadas Saúde, revelou que «foi uma prova marcada pela chuva e pelo nevoeiro, com os pisos bastante escorregadios e montanhosos por vezes difíceis de fazer com a moto de rally, mas fiz uma prova bastante inteligente e regular, abri pista durante grande parte da prova e não cometi erros». «Saio de Góis contente com o trabalho realizado e agradeço a todos os patrocinadores por me darem estas condições a competir».

Por seu turno, Fausto Mota, terceiro classificado, admitiu que «esta prova correu muito bem». «No primeiro dia choveu muito, havia zonas muito escorregadias, mas são os terrenos de Góis. A organização está de parabéns, a prova estava bem marcada e não houve problemas de navegação. Em Góis consegui andar bem, ganhar no segundo dia e fazer terceiro à geral, pelo que o balanço é muito positivo, mas vamos prova a prova. Estamos a dois meses do Rali Dakar. Quero aproveitar para andar o máximo possível com a moto, sempre com o cuidado de não me lesionar para não comprometer o objectivo final, o Rali Dakar. Esta é uma boa preparação. As provas de navegação são essenciais para treinar. Aproveito para agradecer o apoio da família, patrocinadores e amigos», concluiu o piloto de Marco de Canaveses.

Nos SSV, foi a dupla Nuno Guilherme e Susana Anastácio que venceu com mais de 20 minutos de vantagem sobre David Rodrigues e Cláudia Ramos. O pódio foi encerrado por Rui Farinha e Rui Pita. Nos quads venceu o espanhol Angel Muiño e, na Promoção, foi Rui Matias quem subiu ao degrau mais alto do pódio.

A próxima prova levará a caravana até ao Marco de Canaveses entre os dias 22 e 24 de Novembro.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação