António Maio saiu de Góis campeão de TT

António Maio, nas motos, Luís Engeitado, nos quads, e Roberto Borrego, nos SSV, garantiram os respectivos títulos na competição do Góis Moto Clube. A acelerar em casa, Gonçalo Bandeira (Gas Gas) foi terceiro nas motos e Luís Pimenta em segundo nos quads.

(auto.look2010@gmail.com) – Fotos: JOÃO DA FRANCA

O piloto António Maio (Yamaha) venceu hoje o Raide TT de Góis, sétima e última prova do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, e sagrou-se campeão nacional da modalidade pela sexta vez na sua carreira

O piloto alentejano e capitão da GNR não deu qualquer veleidade aos seus mais directos opositores na prova bem estruturada pelo Góis Moto Clube, gastando, nos dois dias, 4h46m19,577s, deixando o segundo classificado, Gustavo Gaudêncio (Honda), a 3m30s.

A acelerar em casa, Gonçalo Bandeira (Gas Gas) terminou no degrau mais baixo do pódio, a 7m55s do vencedor. Com estes resultados, António Maio conquistou a “coroa” nacional, batendo precisamente Gustavo Gaudêncio, regressado este ano ao campeonato.

Nos quads, Luís Engeitado (Yamaha) foi o mais rápido, conquistando, também, o título nacional, aproveitando o acidente sofrido por Luís Fernandes (Yamaha), quando liderava. Também a acelerar em casa, o campeão da Europa de Bajas, Luís Pimenta (Yamaha), ocupou o lugar intermedio do pódio, a 12m52s, com Rafael Carvalho (Yamaha) a cotar-se o terceiro mais rápido, a 26m42s de Luís Engeitado.

Nos SSV, a vitória também deu título, neste caso a Roberto Borrego (Can Am), que deixou Nelson Caxias (Can Am) em segundo, a 2m12s, e Alexandre Pinto (Bombardier) em terceiro, a 2m40s. Líderes da classificação geral do campeonato nacional TT ao longo de quase toda a temporada a formação do Team Sharish composta por João Monteiro e Victor Melo não conseguiram o ceptro final, numa prova marcada por alguns contratempos e percalços que levaram o Can-Am com as cores da South Racing a terminar a prova no sétimo posto.

Uma posição que não permitiu á dupla alcançar o titulo no final de uma ano onde a regularidade foi a grande arma da equipa e onde o abandono na Baja de Portalegre – a anterior ronda do campeonato – acabou por ser igualmente decisiva quanto á posição final no campeonato.

Refira-se que o 28.º Raide TTT de Góis disputou-se ao longo de 295,5 km cronometrados num percurso que utilizou pistas dos concelhos de Góis, Pampilhosa da Serra e Arganil. Começou no sábado com um prólogo de 6,5 km seguido de dois sectores seletivos de 145 e 72 km respectivamente, disputados no dia de sábado. Neste domingo, os pilotos abordaram de novo a passagem pelo sector selectivo de 72 km.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *