António Maio ganhou 15 posições no Dakar

Apesar de diversas peripécias, o piloto da Yamaha registou um excelente resultado este domingo na prova rainha do todo-o-terreno mundial a disputar na Arábia Saudita.

(auto.look2010@gmail.com)

Depois de um prólogo cauteloso, António Maio teve hoje um excelente desempenho na segunda parte da etapa inaugural do Dakar 2022. O campeão nacional de Todo-o-Terreno registou o 14.º tempo na etapa, superando muitos dos pilotos oficiais da Classe GP onde agora está inserido, entre eles o vencedor da prova do ano passado tendo subido do 30.º lugar alcançado no prólogo para a 15ª posição da classificação geral que agora ocupa.

«A etapa de hoje foi só areia. Só fora de pista. Não era um percurso ao meu jeito. Muita bossa de camelo, nada de dunas grandes. Aquela areia mole, chata, com aquelas ervinhas. O início foi tranquilo, mas ao oitavo km havia uma vala de perigo 2. Saltei, mas o impacto foi um pouco mais forte e abriu-se o airbag», começou por referir o piloto alentejano.

«O airbag acabou por esvaziar, mas tive de ir com mais cautela e fiquei um pouco desorientado. Ainda, antes da neutralização, onde pude trocar o airbag, perdi muito tempo numa trialeira com pedras e areia. Foi complicado, pois a moto enterrava-se e eu já não sabia o que fazer. Ter perna curta é o que dá», acrescentou António Maio.

«Na parte final já consegui meter um ritmo em que me sentia confortável. Já estava também mais habituado ao tipo de terreno. A navegação correu bem, foi tranquila, não tive grandes stresses, mas a corrida está mais exigente este ano relativamente aos anteriores o que pode ser bom para mim. A mota está impecável e o Bruno continua a tratar bem dela e agora vou preparar as coisas para a etapa maratona de amanhã», relatou António Maio no bivouac em Há’il.

Amanhã deveria ser realizada a primeira parte de etapa maratona que teve de ser cancelada e o bivouac alterado de Al Artawiyah para Al Qaisumah devido ao mau tempo e às chuvas que deixaram o local previsto, sem condições para receber a caravana desta 44.ª edição do Rali Dakar. Os concorrentes deveriam ter pela frente um percurso cronometrado de 339 Km, mas o traçado será naturalmente alterado, pelo menos em parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.