António Félix da Costa no pódio no Bahrain

Foi no Bahrain, no circuito de Sakhir, que António Félix da Costa voltou a evidenciar os seus dotes de piloto, terminando no lugar mais baixo do pódio a penúltima prova da temporada de 2021 do Campeonato Mundial de Resistência (FIA WEC).

Auto.look2010@gmail.com)

O piloto português e os seus colegas de equipa Roberto Gonzalez e Anthony Davidson, estiveram em grande destaque esse sábado ao levarem o carro n.º 38 da equipa JOTA até ao 3.º lugar do pódio da LMP2, mantendo em aberto a luta do título Mundial para a derradeira prova, agendada para o próximo fim-de-semana, também no circuito de Sakhir.

A batalha pelos lugares da frente na classe LMP2 voltou a ser um dos pontos de interesse das 6 Horas do Bahrain, com a equipa de Félix da Costa, Gonzalez e Davidson a manter-se sempre nos cinco primeiros na fase inicial da corrida, numa estratégia de ataque na fase final. Foi precisamente aí que António Félix da Costa pegou no volante e efectuou um turno de condução fortíssimo, ascendendo ao 3.º lugar, já nos momentos finais da corrida.

Largando da 3.ª posição da grelha, coube a Roberto Gonzalez a tarefa de largar no carro n.º 38 da JOTA, com o mexicano a manter-se perto dos pilotos da frente, num turno bastante sólido e sem erros. Depois foi Félix da Costa ao volante para um duplo turno de condução, onde o português recuperou duas posições até ao 5.º lugar, passando depois o volante ao Inglês Anthony Davidson.

Mas o melhor estava guardado para a parte final da corrida composta por 6 Horas de duração, com António Félix da Costa a regressar ao volante para um duplo stint final de cortar a respiração, com o piloto português a imprimir um ritmo muito forte, recuperando mais de 30 segundos para o carro que seguia à sua frente, o n.º 22 da United, pilotado por Filipe Albuquerque.

A menos de 20 minutos do final iniciou-se então este duelo luso de titãs com António Félix da Costa a suplantar o seu amigo e rival Filipe Albuquerque, numa manobra de grande nível na travagem para a curva 1. A partir dai e até ao final, António Félix da Costa continuou a ganhar tempo a Filipe Albuquerque, abrindo a vantagem para mais de 7 segundos e garantindo o 3.º lugar final.

«Fizemos uma corrida sem erros e fomos premiados com este pódio, totalmente merecido e que nos mantem na luta do título, a decidir no próximo fim-de-semana. Na corrida de hoje tanto o Roberto como o Anthony estiveram muito bem e a mim foi-me pedido que efetuasse o turno final, onde dei tudo o que tinha e quando cheguei perto do Filipe (Albuquerque) sabia que não seria fácil ultrapassá-lo, mas acabou por correr bem a manobra na curva 1 e com isso chegámos ao pódio» admitiu António Félix da Costa.

«É sempre bom lutar em pista com pilotos do nível do Filipe (Albuquerque), ainda mais quando estamos a lutar também pelo título Mundial. Falta apenas uma corrida e, no próximo fim-de-semana, sabemos que a nossa tarefa não será fácil, mas estamos focados em ganhar a corrida e lutar para conquistar o título Mundial na LMP2. Esse é o objectivo que temos em mente», sublinhou o piloto de Cascais.

A corrida de hoje foi ganha pela Toyota, mas a batalha que mais interessa desperta é sempre a luta na classe LMP2, onde a WRT levou de vencida as 6 horas do Bahrain, com Robin Frijns, Ferdinand Habsburg e Charles Milesi ao volante.

Na 2.ª posição terminou o carro n.º28 da JOTA, de Sean Galael, Tom Blomqvist e Stoffel Vandoorne, com o 38 também da JOTA a fechar o pódio, a viatura de Félix da Costa, Roberto Gonzalez e Anthony Davidson.

Quando falta disputar apenas a derradeira prova da temporada 2021 do FIA WEC, a batalha pelo título Mundial está electrizante, com António Félix da Costa, actualmente na 3.ª posição, mas com possibilidades de chegar ainda ao título Mundial. Estão em disputa 39 pontos no próximo fim-de-semana, nas 8 horas do Bahrain e 17 são os pontos que separam Félix da Costa do actual líder da classificação. Tudo em aberto, numa prova que terá transmissão integral em direto no Eurosport, entre as 11h00 e as 19h00.

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO LMP2

Habsburg / Frijns / Milesi – 113 pontos

Galael / Blomqvist / Vandoorne – 108 pontos

Félix da Costa / Gonzalez / Davidson- 96 pontos

Hansoon – 88 pontos

Brundle / Smiechowski – 69 pontos

Scherer / Albuquerque – 65 pontos

Van der Zande – 54 pontos

Garcia / Nato – 41 pontos

Hanley / Hedman / Montoya – 40 pontos

Van der Garde / Van Uitert – 40 pontos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *