Alonso vence com antecipação as 24 Horas de Daytona

Piloto espanhol vence lendária prova de resistência com final antecipado. Fernando Alonso sucede aos portugueses João Barbosa e Filipe Albuquerque, nonos classificados, a 20 voltas do vencedor, enquanto nos GTD, o compatriota Pedro Lamy foi 22.º classificado.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Fernando Alonso, Jordan Taylor, Kamui Kobayashi e Renger Van Der Zande lograram o triunfo no Cadillac #10

Faltavam 10 minutos para as 24 horas ficarem completas quando a direcção da corrida exibiu a bandeira vermelha e deu a corrida por concluída, depois da mesma ter estado parada horas antes, em consequência da forte chuvada que desabou sobre Daytona. A corrida foi interrompida quando faltava cerca de uma hora para a sua conclusão, e face à decisão tomada, Jordan Taylor/Fernando Alonso/Kamui Kobayashi/Renger Van Der Zande (Cadillac) asseguraram a vitória, tendo um final de corrida muito mais descansado do que aquilo que era previsível, face à escassa diferença que separava os três carros da frente.

A chuva e os numerosos incidentes que foram acontecendo, muitos deles, por causa das escassas condições de aderência levaram às várias situações de bandeiras amarelas, com a degradação das condições de segurança a levarem ao final antecipado da corrida.

Filipe Albuquerque

Ao contrário do que sucedeu o ano passado, a corrida norte-americana não correu bem para as cores portuguesas, com Filipe Albuquerque/João Barbosa/Christian Fittipaldi (Cadillac) a terminarem em nono, a 20 voltas do vencedor, e Pedro Lamy/Paul Dalla Lana/Matthias Lauda/Daniel Serra (Ferrari 488 GT3) a ficarem em 22.º lugar, entre 47 equipas.

Para a equipa do Cadillac, relegada para o derradeiro lugar da grelha, em consequência de uma falha de travões, na qualificação, a situação complicou-se, ainda, antes da largada, por o inglês Mike Conway não ter conseguido chegar a Daytona, o que obrigava a maior esforço dos trio luso-brasileiro.

Pedro Lamy

Sem nada a perder, limitaram-se a fazer uma corrida de trás para a frente, com as interrupções a não ajudarem na recuperação desejada.

«Estas não foram as 24 Horas que imaginava. O início foi bastante bom, passei para segundo sem bandeiras amarelas e isso demonstra o andamento que tínhamos. Simplesmente, tivemos um problema com as luzes de travão e não é permitido conduzir assim. Perdemos 11 voltas com isso, mais cinco com outro problema», lamentou Filipe Albuquerque.

A partir daí, o objectivo foi apenas terminar para amealhar pontos: «Ficámos fora da corrida quando ainda faltavam 20 horas. Foi bastante doloroso fazer tanto tempo só para acabar. Terminámos em sétimo (da classe reservada aos protótipos), o que é positivo para o campeonato, mas é sempre doloroso vir com o objectivo de ganhar, ter um excelente carro e não conseguir», assinalou o piloto de Coimbra. Mais difícil foi a tarefa de Pedro Lamy e dos seus companheiros, que acabaram no 22.º lugar.

CLASSIFICAÇÃO

1.º Jordan Taylor/Fernando Alonso/Kamui Kobayashi/Renger Van Der Zande (Cadillac), 593 voltas; 2.º Pipo Derani/Felipe Nasr/Eric Curran (Cadillac), a 13,458”; 3.º Helio Castroneves/Alexander Rossi/Ricky Taylor (Acura), a 13,964” (…); 9.º, Filipe Albuquerque/João Barbosa/Christian Fittipaldi (Cadillac), a 20 voltas (…); 22.º Pedro Lamy/Paul Dalla Lana/Matthias Lauda/Daniel Serra (Ferrari 488 GT3).

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação