Alonso: “Liderámos em seco, molhado, dia e noite”

“A vitória nas 24 Horas de Daytona foi merecida. Estivemos na frente da prova de resistência quando conduzimos nas mais diversas razões, pelo que o desfecho é justo”, sublinhou o antigo piloto de Fórmula 1.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Fernando Alonso não cabia em si de felicidade após terminar a lendária prova norte-americana ao volante do Cadillac DPi da Wayne Taylor Racing fazendo equipa com o holandês Renger van der Zende, o norte-americano Jordan Taylor e o japonês Kamui Kobayashi.

O piloto espanhol, que venceu as 24 Horas de Daytona antes da hora prevista devido à chuva, diz que foi uma das provas mais bem elaboradas ao nível estratégico. É verdade que as 24 Horas de Daytona terminaram mais cedo, devido à chuva, mas o antigo bicampeão mundial de Fórmula 1 esteve imparável em pista. Fernando Alonso teve a missão de acelerar no último turno de condução e foi dele a ultrapassagem decisiva, ao brasileiro Felipe Nasr, a cerca de duas horas do final.

«Nós liderámos à noite, de dia, no piso molhado, no piso seco, pelo que merecemos vencer», justificou o mais recente campeão de Daytona. A equipa do piloto espanhol, que no final do ano passado abandonou a Fórmula 1 para integrar o Mundial de Resistência e Fórmula Indycar, sucede aos portugueses João Barbosa e Filipe Albuquerque que, este ano, tiveram um desempenho modesto.

«Com zero de experiência em resistência, antes do ano passado, este desfecho é algo muito grande», afirmou Fernando Alonso, acrescentando que «fizemos uma corrida perfeita e estou feliz pela equipa e pela vitória».

«A equipa reúne um grupo fantástico e foi, com toda a certeza, uma corrida muito difícil devido às condições climatéricas. Foi muito stressante, mas conseguimos superar as adversidades e “sobreviver” a cada volta ao traçado, porque nunca tínhamos andado nestas condições. Cruzar a linha de meta no lugar mais alto do pódio é algo de extraordinário», sustentou o espanhol, primeiro campeão de Fórmula 1 a vencer esta lendária prova de resistência disputada em solo norte-americano.

«Esta vitória é especial. Vencer este tipo de corridas de resistências em lugares icónicos como Daytona, tem, forçosamente, um significa muito peculiar, sobretudo com uma experiência de resistência praticamente nula, antes do ano passado, o que não deixa de ser relevante. Esta vitória é fantástica. Posso dizer que estive no lugar certo nos momentos certos, então não poderia estar mais feliz com o desempenho», finalizou Fernando Alonso.

O piloto espanhol juntou a vitória na clássica norte-americana da Resistência ao triunfo do ano passado nas 24 Horas de Le Mans. As 24 Horas de Daytona abriram o campeonato de Endurance norte-americano (IMSA). Fernando Alonso segue para a Indy 500 no mês de Maio para mais uma legítima missão: obter a Tripla Coroa (24 Horas de Le Mans, GP do Mónaco de Fórmula 1 e 500 Milhas de Indianápolis).

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação