Alfa Romeo apresenta C41 com evolução do C39

O monolugar, que visa melhorar desempenho no Mundial de Fórmula 1, é uma evolução do C39, que na época passada terminou o campeonato em oitavo lugar, entre as 10 formações concorrentes.

(auto.look2010@gmail.com)

A Alfa Romeo apresentou hoje, em Varsóvia, o C41, monolugar com o qual o piloto finlandês Kimi Raikkonen e o italiano Antonio Giovinazzi procurarão melhorar esta época o desempenho de 2020 no Campeonato do Mundo de Fórmula 1.

«Terminámos a temporada passada em oitavo lugar, pelo que temos de almejar um resultado melhor em 2021. Para isso, precisamos de continuar a melhorar em todas as áreas, na pista e na sede», disse o director da equipa, Frédéric Vasseur.

A Alfa Romeo revelou, em comunicado, que «devido às restrições impostas pela pandemia da Covid-19, o carro mantém muitos dos componentes do seu antecessor, mas surpreende pelo seu aspecto renovado, nomeadamente, no que diz respeito ao nariz, zona em que a equipa preferiu focar o seu desenvolvimento».

O monolugar, que manterá as cores vermelho e branco tradicionais da equipa, é uma evolução do C39, que na época passada terminou o campeonato em oitavo lugar, entre as 10 formações concorrentes.

«Todas as equipas na grelha têm expectativas muito altas. Todos esperam fazer um bom trabalho no inverno e estar em uma boa posição para a primeira corrida. Em breve todos mostrarão os seus trunfos», acrescentou Frédéric Vasseur.

O carro vai contar com um novo motor Ferrari e a Sauber Motorsport acompanhará a Alfa Romeo, continuando com uma relação que começou em 2018. A parceria entre a Alfa Romeo e o Sauber Group não se limita à competição automóvel. A colaboração, tanto técnica como comercial, permite transferir a competência técnica da Sauber Engineering para as viaturas de estrada de produção em série da Alfa Romeo. O projecto Giulia GTA beneficia particularmente desta duradoura parceria, alavancando o inestimável know-how técnico dos departamentos de Engenharia e Aerodinâmica da Sauber AG, tendo a Alfa Romeo confiado à divisão de Engenharia da Sauber a produção da maior parte dos componentes em fibra de carbono do GTA e GTAm, em especial dos que têm impacto sobre a aerodinâmica.

De acordo com Jan Monchaux, director técnico da Alfa Romeo Racing ORLEN, «o C41 é o resultado de uma situação muito invulgar na Fórmula 1, em que os regulamentos nos impediram de desenvolver um carro completamente novo». «Por esta razão, o nosso monolugar para a época de 2021 possui muitos componentes em comum com o C39, com excepção daqueles que os regulamentos nos obrigaram a alterar, como a parte inferior do chassi e a estrutura de segurança no nariz, no qual usámos os nossos dois tokens de desenvolvimento. Isso significa que, quando chegarmos aos testes, vamos conhecer o carro muito melhor do que habitualmente, mas ainda será crucial aproveitar ao máximo esses três dias para verificar se a realidade vai ao encontro das nossas expectativas e para conhecer os novos pneus. Estamos prontos para a nova época e mal podemos esperar para ver o nosso novo carro em pista», sublinhou Jan Monchaux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *