Alexey Lukyanuk o mais rápido na Qualifying Stage

O piloto russo é o alvo a bater no Azores Rallye, prova pontuável para o Campeonato Europeu de Rally (ERC-FIA). Alexey Lukyanuk é o principal favorito ao triunfo, depois de ter sido o mais rápido na prova de qualificação, em Lagoa, para o 55.º Azores Rallye.

(auto.look2010@gmail.com) – Fotos: JORGE CUNHA / DPPI

Alexey Lukyanuk

Ao volante de um Citroën C3 Rally2, equipado com pneus Pirelli e navegado pelo compatriota Alexey Arnautov, Alexey Lukyanuk passou pelo teste de 3,12 km com o tempo de 1m50,722s. O actual campeão da ERC foi 1,792 segundos mais rápido que o actual líder do campeonato, Andreas Mikkelsen, com Yoann Bonato a ser o mais rápido entre os estreantes nos Açores, a ser terceiro ao volante do seu CHL Sport Auto Citroën com pneus Michelin.

«É fantástico e uma alegria enorme de guiar. É uma sensação incrível. Eu quero ir a fundo mas vamos ver o que nos reserva o fim-de-semana e como vai ser o estado do tempo, mas até agora a sensação é boa, as notas de ritmo são excelentes e o tempo é muito bom», disse Alexey Lukyanuk.

Andreas Mikkelsen

Andreas Mikkelsen, o piloto da Toksport WRT com o Škoda Fabia Rally2, afirmou, por seu turno, que «correu tudo bem». «Eu só consegui fazer uma passagem, mas estivemos muito bem. O nosso objectivo é aumentar a nossa liderança no campeonato e, ainda por cima, numa ilha que gosto particularmente e, por isso, estou muito feliz por estar de volta», acrescentou.

Miko Marczyk, membro da ERC-Michelin Talent Factory, outro recém-chegado aos Açores, foi o quarto para a equipa Orlen, seguido por Norbert Herczig, da Škoda Rally Team Hungaria, e Dani Sordo (Team MRF Tyres).

A dupla da Rallye Team Spain, Nil Solans e Efrén Llarena, terminou logo a seguir, enquanto Erik Cais (Yacco ACCR Team) e Umberto Scandola, da Hyundai Rally Team Italia, completaram o top 10. Erick Cais sublinhou ter sido cauteloso nalgumas partes de baixa aderência da especial de qualificação, totalmente em pisos de terra, enquanto Umberto Scandola destacou um problema na válvula.

Dani Sordo

Ricardo Moura sofreu um problema mecânico: «Tratou-se de uma anomalia ao nível do sensor que não estava a funcionar bem, faltando energia e, antes, ficou preso, sustentou o açoriano de Ponta Delgada, que não foi além do 12.º tempo, atrás do líder do campeonato açoriano Ruben Rodrigues.

Luís Rego foi 13.º e o júnior Pedro Antunes o 14.º e o recém-chegado mexicano ao ERC, Benito Guerra, na 15.ª posição. Javier Pardo foi o mais rápido entre os carros ERC2, no seu Suzuki Motor Ibérica Swift Rally2 com o líder do campeonato. Dmitry Feofanov, a deixar escorregar o seu Suzuki numa zona suja e fazer meio pião.

Pep Bassas (Rallye Team Spain), num Peugeot 208 Rally4, superou o rival da ERC3 Jean-Baptiste Franceschi (Toksport WRT Renault Clio Rally4). Já Adrian Chwietczuk e Victor Cartier não participaram na Qualifying Stage após acidentes nos treinos livres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *